Xuxa e os Duendes

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para navegação Ir para pesquisar
Esta página se adequa à Nova Política de Conteúdo Sexual.
Conteúdo impróprio para menores de 18 anos! Tirem as crianças da sala! Este artigo tem conteúdo impróprio para menores!
Este artigo pode conter pornografia pesada ou leve. De preferência, leia-o de olhos fechados...

Se ele estiver cometendo uma infração à Política de Conteúdo Sexual, por favor, reporte à moderação.
Shoosha and the Goblins
Xuxa e os duendes.jpg
Versão do diretor, sem cortes e sem censura
Bandeira do Brasil Brasil
2001 • cor • 90 minutos
Direção algum maconheiro
Produção Marlene Mattos
Baseado em baseado mesmo
Elenco Xuxa e os duendes
Estúdio Projac
Produtora Globo Filmes
Distribuição Warner Bros. Pictures
Lançamento nunca, foi um delírio coletivo
Idioma miguxês
Orçamento alto
Receita chá de cogumelos

Cquote1.svg Você quis dizer: Xuxa e a Esquizofrenia Cquote2.svg
Google sobre Xuxa e os Duendes
Cquote1.png Experimente também: Super Xuxa contra Baixo Astral Cquote2.png
Sugestão do Google para Xuxa e os Duendes
Cquote1.svg Uende está o donde? Cquote2.svg
Chapolin Colorado sobre Xuxa e os Duendes

Xuxa e os Doentes Duendes é um grande clássico do cinema infantil brasileiro, que marcou o retorno da Rainha dos Baixinhos a seu público-alvo principal: as crianças. Sim, porque no final dos anos 90, ela passou a investir mais nos adolescentes e jovens adultos a mando da Globo, apresentando o dominical vespertino Planeta Xuxa e lançando filmes de enredo um pouco mais maduro. Claro que nem se compara à maturidade de um certo outro filme que ela fez no passado...

Sobre[editar]

A produção de Xuxa e os Duendes foi considerada caríssima para a época devido ao alto investimento em (d)efeitos especiais até então inéditos em longa-metragens nacionais, que incluíam belíssimos cenários de chroma key e fantasias de fazer inveja aos dançarinos da Carreta Furacão.

Xuxa teve a ideia do roteiro após uma bad trip, afirmando que realmente havia visto duendes. Bom, talvez ela estivesse assistindo aquele episódio de Chapolin em que fantoches bebem água da Jamaica, mas dar a entender que estava drogada seria menos prejudicial à sua carreira global do que admitir que assistiu uma atração da concorrência.

Devido ao orçamento exagerado, não sobrou grana para contratar atores decentes, então Xuxa teve que apelar para celebridades aleatórias que eram seus amigos pessoais e toparam atuar gratuitamente. Claro que muitos não acreditaram no projeto e rejeitaram o convite, como os galãs Rodrigo Santoro e Reynaldo Gianecchini, cotados para serem o par romântico da protagonista. Não conseguiram arrumar nenhum bonitão que topasse, então a parte do romance foi excluída antes de começarem as filmagens.

Outras pessoas que declinaram da proposta foram o cantor Fábio Jr., que interpretaria o vilão, e a apresentadora Eliana, que seria uma das fadas amigas de Xuxa. Aliás, uma das estratégias de marketing para o filme seria reunir a poderosa tríade das apresentadoras loiras infantis Xuxa, Angélica e Eliana, até para afastar os boatos de que as três eram inimigas na vida real, mas a cantora dos dedinhos foi barrada pela Record, emissora em que trabalhava na época, que estava em fase de pré-produção do flopado Eliana e o Segredo dos Golfinhos.

Enredo[editar]

Kira no momento em que se descobre (literalmente) o duende da luz.

O filme começa com um guri retardado ouvindo uma história contada por sua avó, que aparece de costas para fazer um suspense de quem poderia ser, sendo que qualquer idiota consegue perceber que é a própria Xuxa fazendo uma voz forçada de velha.

A idosa senil narra a epopeia do príncipe duende Damiz, que no dia do seu aniversário de treze anos, é sequestrado por um troll, levado a uma casa habitada por uma família humana no meio da floresta e aprisionado dentro da parede do quarto de Nanda, a guria retardada que mora ali com seus pais. Devido aos poderes da magia negra, Damiz não tem como sair dali e só pode ser libertado pelo lendário duende da luz. Enquanto isso não acontece, suas forças vitais vão sendo lentamente sugadas.

Quem está por trás desta maldade é Gorgon, um duende trans que não se identifica como duende e se diz humano. Engraçado que mesmo odiando ser duende, ele não abre mão dos poderes mágicos que sua raça lhe proporciona. Hipocrisia que fala? O vilão tem como objetivo destruir a natureza e, consequentemente, acabar com a existência dos duendes e fadas. Sendo duende, provavelmente Gorgon acabaria morrendo também, mas como jura que é humano, ele acha que é imune às fraquezas dos seres elementais. Como aliado de seu plano infalível que com certeza irá falhar, além do troll de estimação que nem aparece mais no filme depois, Gorgon hipnotiza um empresário rico que se chama... Rico. Ambos firmam uma sociedade que pretende demolir a casa onde Damiz está preso e construir uma grande fábrica que deixará a floresta verde toda cinza com sua fumaça.

Kira, a protagonista, que obviamente é interpretada pela Xuxa, é uma maconheira doida vizinha e melhor amiga de Nanda, mesmo sendo uns trinta anos mais velha, mas a mentalidade é a mesma. Trabalha em uma estufa e tem dois ajudantes chamados Valdisnei e Vanderson, respectivamente trajando macacões vermelho e verde, sendo apelidados de Tomate e Alface por motivos óbvios. Quando Gorgon e Rico fecham negócio com o pai de Nanda, é Kira quem vai consolá-la, pois os pais negligentes da menina estão pouco se fodendo para os sentimentos dela.

Com ajuda das fadas irmãs Mel e Melissa, enviadas pelo rei e a rainha dos duendes, Kira descobre a verdadeira identidade de Gorgon e é aprisionada pelo duendão malvado na parede de Nanda junto com Damiz. Em crise de abstinência da maconha, ela desmaia e tem um sonho que na verdade é um flashback, revelando que é a princesa duende que teve a memória apagada para infiltrar-se entre os humanos e resgatar a crença deles na magia. Ao despertar, Kira recupera as lembranças e conclui que ela mesma é o tal duende da luz. Unindo seu amuleto mágico ao amuleto idêntico que seu irmão Damiz carrega, ambos conseguem sair da parede amaldiçoada.

De volta ao mundo dos duendes e fadas, que aparentemente fica naquela mesma floresta, mas é invisível aos humanos que não acreditam em magia, Kira volta a sua forma original, cuja única diferença além da roupa são as orelhas pontudas. Com ajuda dos figurantes encantados, ela cura Damiz e derrota Gorgon em uma constrangedora quebra da quarta parede, pedindo que os espectadores do filme batam palmas para mostrar que a mágica é real. O vilão literalmente vira purpurina, Rico fica bonzinho e desiste de comprar a casa de Nanda, Alface dá um socão na cara de Tomate e os seres elementais aparecem para os humanos, exceto os pais de Nanda que convenientemente nunca estão presentes quando algo sobrenatural acontece. O rei e a rainha duendes, pais de Kira e Damiz, pedem que ela escolha se deseja retornar com eles ou permanecer vivendo entre humanos. Claro que a loira burra escolhe a segunda opção, dizendo que sua missão na Terra ainda não acabou.

A cena final volta para o moleque e a velha do início, revelando que a dita cuja é Kira e surpreendendo um total de zero pessoas. O neto herda a esquizofrenia da avó e sai berrando que viu duendes, enquanto um calendário revela que estão no ano de 2031.

Personagens (e elenco)[editar]

Kira salvando seu irmãozinho Damiz do feitiço de Gorgon.
  • Kira (Xuxa Meneghel) - Protagonista, é a princesa dos duendes que abdicou de sua memória para viver infiltrada entre os humanos e incentivar o uso de drogas entre os mesmos. Duende da luz, mesmo quando recorda-se de suas origens ela abre mão de sua família real para continuar no mundo humano traficando folhinha verde.
  • Rico (Gugu Liberato) - O anti-herói do filme, que no início parece vilão, mas no final vira mocinho. É um empresário muito rico, como sugere a sutileza de seu nome, dono de uma grande construtora. Enganado por Gorgon, vira sócio deste e passa a se importar somente com dinheiro, deixando seus valores morais de lado.
  • Gorgon (Guilherme Karam) - É o duende da inveja, verdadeiro vilão do filme e provavelmente foi quem teve a melhor atuação. Tem um anel mágico que solta uma fumacinha escura sinistra que traz maus fluidos. Odeia ser duende e deseja se vingar de Kira porque sei lá. Monta uma sociedade com Rico e planeja destruir a natureza da floresta construindo prédios no lugar.
  • Fada Melissa (Angélica Ksyvickis) - Considerada a fada mais atrapalhada de todas, é enviada com sua irmã Mel ao mundo dos humanos para alertar Kira sobre Gorgon. É paquerada por Alface e Tomate.
  • Fada Mel (Wanessa Camargo) - Irmã de Melissa, é a responsável da dupla. Também foi enviada ao mundo humano para ajudar Kira e vira alvo dos ajudantes tarados dela.
  • Zinga (Ana Maria Braga) - A rainha dos duendes, mãe de Kira e do príncipe Damiz, casada com o rei Mika. Consegue ter a pior atuação desse elenco deplorável.
  • Tomate (Luciano Huck) - Assistente atrapalhado de Kira e alívio cômico do filme, ainda que suas cenas sejam todas forçadas e sem graça. Legal é ver ele flertando com Melissa, uma previsão do futuro dos "atores" na vida real.
  • Alface (Tadeu Mello) - Outro assistente atrapalhado de Kira e também alívio cômico. Embora tenha sido interpretado por um humorista, suas piadas também não têm graça nenhuma. O que salva sua participação é a porrada que dá em Tomate no final.
  • Fada Morgana (Luciana Gimenez) - Rainha das fadas, é a responsável por autorizar Kira em sua missão. Antes da loira partir, foi presenteada por Morgana com uma bota horrorosa cujo outro pé lhe foi entregue somente após curar-se da amnésia.
    A fada rainha Morgana confraternizando com o rei duende Mika. Rainha Zinga que se cuide!
  • Duende Sábio (André Valli) - Um dos únicos atores que presta no elenco, é o conselheiro real de Zinga e Mika. Como todo sábio estereotipado dos filmes, ele fica soltando umas frases motivacionais clichês que parecem tiradas de algum livro barato de autoajuda.
  • Jéssica (Cláudia Alencar) - Mãe de Nanda, é uma baita MILF. Ela bem que tenta acreditar na filha, mas não consegue enxergar o buraco na parede com Damiz dentro porque não fritou seus neurônios fumando baseado.
  • Mika (Emiliano Queiroz) - O rei dos duendes, casado com Zinga e pai de Kira e Damiz. Se fosse humano certamente já estaria broxa, visto que tem aparência de um velho caquético acabado e o visual da esposa também não ajuda muito a ficar de pau duro.
  • Cléo (Zilka Salaberry) - Sinceramente, eu não faço a menor ideia de quem é esta personagem e nem lembro dela no filme. Só listei aqui porque aparece nos créditos finais.
  • Otávio (Carlos Gregório) - Pai de Nanda, é um homem feio, careca e falido, o que nos faz questionar como ele consegue sustentar o casamento com uma gostosa. Não dá a mínima para o que a filha pensa e seu único argumento é de que ela entenderá tudo quando crescer.
  • Nanda (Debby Lagranha) - A pirralha que mora em uma mansão na floresta com seus pais. Considera Kira sua melhor amiga, já que nunca conheceu outra criança, aí teve que se contentar com uma adulta retardada. O final sugere que ela tem uma quedinha por Damiz, mas nada fica bem explicado, porque eles ainda nem entraram na puberdade.
  • Damiz (Leonardo Cordonis) - Príncipe dos duendes e também o duende da amizade. É irmão mais novo de Kira, mas como ainda era um bebê quando ela partiu, não tem lembranças suas. Foi sequestrado por um troll a mando de Gorgon e levado à força para o mundo humano, onde fica preso na parede do quarto de Nanda.
  • Zaki (Guilherme Vieira) - O neto aleatório de Kira cujas origens não são explicadas. Aparece no comecinho e no finzinho do filme apenas para ouvir toda essa merda de história sendo contada pela avó. Ao término desta, claramente fica com danos cerebrais irreversíveis.
  • Rodim, o duende veloz (David Brazil) - Mensageiro do rei e da rainha, é aclamado como o duende mais rápido do mundo, exceto para falar, já que é gago. Baita fofoqueiro que fica levando e trazendo notícias do mundo humano para o mundo dos duendes.
  • Duende Músico (Carlinhos Brown) - Acho que eu vi ele na cena de aniversário de Damiz, mas tinha tanto figurante que eu não tenho certeza. É ele quem canta a música-tema do filme.
  • Fadas e duendes figurantes (Paquitas e Paquitos) - Auxiliam Kira na batalha final contra Gorgon, soltando uns poderezinhos escrotos com as mãos e com a boca. Dentre aquele bando de gente colorida fantasiada, é possível reconhecer grandes talentos da televisão brasileira como Adriana Bombom, Lana Rodes, Monique Alfradique e o sensacional Théo Becker.

Trilha sonora[editar]

Foi lançado um CD com quatorze faixas, dentre elas:

  1. O Maravilhoso Mundo dos Duendes - Xuxa
  2. Duendes - Carlinhos Brown
  3. A Magia do Amor - Angélica
  4. Tudo Que Você Sonhar - Wanessa Camargo
  5. No Reino das Águas - Michael Sullivan

O restante são músicas instrumentais entediantes.

Nota: Tem o filme completo no YouTube. Se quiser ter uma diarreia mental, vai lá e assista!