Voyager 2

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para navegação Ir para pesquisar

Voyager 2 (não confundir com Voyeur 2, um filme pornô) é a primeira sonda espacial do Programa Voyager, mas é chamada de "2" porque ela carrega um adesivo do Rubinho Barrichello para que algum dia quando esta sonda for descoberta por alienígenas eles possam saber quem foi o maior vice da história da Fórmula 1.

A sonda Voyager 2 tem sua energia fornecida por três geradores termoelétricos de radioisótopos produzidos a partir do trabalho de 5 hamsters e 1 chinchila correndo diariamente numa roda de ouro de exatos 47 centímetros de diâmetro (exceto aos domingos e feriados) o que oferece velocidades de até 1000000002 km/h à espaçonave.

A navegação é realizada via controle remoto de aeromodelismo.

Trajetória[editar]

Uma pintura de Edvard Munch cujos créditos são da Voyager 2.

Primeiro deu uma passada em Júpiter chegando bem atrasado depois da Voyager 1, tirou meia-dúzia de fotos, mas como aquela câmera era lamentável decidiu não arriscar queimar o filme e partiu para outra missão.

Em Saturno, fez a surpreendente descoberta da existência do console Sega Saturn em Ganimedes, todos com cartuchos do Pac Man, sendo estes vestígios claros de vida desinteligente naquele planeta, todos sabem que na época o Super Nintendo era mil vezes melhor.

Depois visitou Netuno... ou foi Urano primeiro? Bem planetas parecidos, descobertas parecidas, tanto faz.

Com a missão concluída, a Voyager 2 viaja hoje para o além e chegará na Constelação de Andrômeda daqui a 220.000.000.000.000 d.5°C.3°J.F. (depois do quinto Cristo do Terceiro Juízo Final), a expectativa dessa demora é o tráfego lento e congestionamento em torno de Netuno por causa do engarrafamento da Marginal Tietê, o que atrasa o rápido progresso da missão.

A Voyager 2 carrega em seu interior algumas baguetes (a parcela que representa o povo francês). Porém todas baguetes já foram comidas pelos hamsters, que pelos cálculos só viverão até 2020, coitadinhos.

Descobertas[editar]

Quando a Voyager 2 passou por Júpiter não avistou nenhum bebê jupiteriano. A Grande Mancha Vermelha foi estudada por meses, os cientistas que acreditavam se tratar de um enorme bordel decepcionaram-se ao descobrir que não passava de uma imensa poça de jujubas do sabor vermelho.

Em Saturno nenhuma cidade flutuante foi encontrada, como sugeriu antes o astrônomo George Lucas.

Como sua passagem por Urano foi irrelevante, em Netuno até chegou a descobriu a existência de dançarinas netuanianas de dança do ventre, mas como o planeta tem densas nuvens, as dançarinas infelizmente não puderam ser fotografadas.

Programa Voyager
Voyager 1Voyager 2
Voyager Golden Record