Vagantes Brancos

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para navegação Ir para pesquisar
Mamoswine.png Este artigo é GELAAAAAADO!

Mamutes vigiam o artigo, então vá pra casa, coloque um casaco e beba um chocolate-quente. Cuidado com o Yeti e não lute contra Camus de Aquário!


Spoiler5.JPG ATENÇÃO! O texto abaixo pode conter (ou não) um ou mais SPOILERS!

Ou seja, além de deixar o artigo com mais pressão aerodinâmica nas retas e mais estável nas curvas de alta, ele pode revelar, por exemplo, que a mulher que passou o One For All para o All Might era avó do Tomura Shigaraki, ou que Akuma destrói M. Bison com um apaga-luz.

Spoiler3.jpg

Cquote1.svg Ah, são os Cavaleiros da Morte de World of Warcraft! Cquote2.svg
Jogador de WoW

Cquote1.svg Que os Outros o levem. Cquote2.svg
Tipo comum de insulto em Westeros

Vagantes Brancos ou Caminhantes Brancos ou Outros ou Neverborn são uma raça do violento e pornográfico mundo de Game of Thrones.

Descrição[editar]

Um Caminhante Branco em seu ambiente

Os Caminhantes são criaturas humanóides que utilizam magias de gelo e adoram Rh'ddor, o Grande Outro. Nos livros são tipo elfos de gelo; na HBO são tipo zumbis de gelo. Usam espadas e armaduras feitas de cristal. Seus cabelos são brancos, olhos são sempre azuis e possuem força sobre-humana, fruto de suas oferendas a seu deus.

Origens[editar]

Os Caminhantes foram uma vez homens normais transformados pelas Crianças da Floresta e manipulados mentalmente para transformar em gelo tudo o que tocam e destruírem a raça humana. Mas deu errado e o controle mental não foi bem feito. Agora os Caminhantes Brancos transformaram o local onde foram transformados em uma área polar ao norte de Westeros e leste de Essos. A coisa ficou tão perigosa que fortificações tiveram de ser erigidas na Muralha de Westeros e para tapar buraco nas Montanhas de Morn em Essos.

Poderes[editar]

Super-ataque de um Caminhante Branco

Com a bênção de Rh'ddor, os Caminhantes Brancos são super-rápidos, super-fortes e possuem super-poderes mentais capazes de reanimar e controlar gente morta e animais mortos. Além de imunidade ao gelo. Também podem transformar outros humanos em Caminhantes.

Em contrapartida, porque nada é perfeito, eles morrem instantaneamente se sua pele tocar fogo, obsidiana ou aço valiriano.

Cultura[editar]

  • Eles desenvolveram uma língua própria, chamada "língua escrota" (skroth, na grafia nativa), impronunciável pelos seres de sangue quente.
  • Não trabalham o ferro, usando armas e armaduras feitas de cristais de gelo enganosamente resistentes.
  • Não possuem cidades. Eles se aglomeram em charnecas vazias nas profundezas das Terras de Sempre Inverno, cercadas de pilares e mesas de gelo, e ficam lá hibernando.
  • Os Caminhantes são uma das poucas raças que não se reproduzem pela maneira convencional. Usando seu Toque Gelado, transformam gente em Caminhantes (eles preferem bebês, porque é mais fácil do que fazer lavagem cerebral, tipo o que rolou com Fedor), o que é feito em suas mesas de gelos.

Uma Canção de Gelo e Fogo[editar]

Confronto entr as sacerdotisas do Fogo e do Gelo

Não se sabe muito sobre o passado dos Caminhantes, exceto que gostavam muito de montar exércitos de zumbis gelados e odiavam as Crianças da Floresta. E construíram uma muralha de gelo para protegê-los dos adoradores de Rh'llor (ou você achava mesmo que foi Bran, o Contrutor, que construiu uma parede de gelo para parar o avanço de criaturas de gelo... não faz muito sentido). Sendo a única raça gélida do mundo conhecido, estavam em grande desvantagem.

Também é sabido que foram co-protagonistas no apocalipse que ocorreu na Era dos Heróis, que resultou na Grande Noite, um inverno que durou uma geração e as pessoas tiveram que se refugiar em bunkers subterrâneos enquanto os Caminhantes faziam o The Walking Dead na superfície.

A paz foi restaurada com o primeiro Azor Ahai, o herói que pacificou/destruiu os Caminhantes, reenviando-os ao norte em frangalhos. Esse evento foi chamado de A Canção de Gelo e Fogo, erroneamente traduzido como As Crônicas de Gelo e Fogo.

A trégua[editar]

Livre estou:Os Caminhantes Brancos também se beneficiaram

Antes de deixar o mundo físico, Azor Ahai pez um pacto entre homens e zumbis, para que não ocorresse outro apocalipse. Os Caminhantes Brancos tinham sérios problemas de fertilidade e disfunção erétil, causados pelo isolamento geográfico, casamentos consanguíneos e pelo própria fisiologia dos Caminhantes... que são... frios, oras.

Sendo assim, Azor Ahai decidiu que os bastardos gerados a sul da Muralha seriam enviados à Patrulha da Noite, integrando-se a ela ou aos Caminhantes, via Fortenoite (pelo mesmo buraco que Sam usou para entrar na Muralha e Bran usou para sair dela).

A BOA Rainha Alysanne[editar]

Alysanne Targaryen era conhecida por sua bondade e, após o sétimo livro, será conhecida por tomar as 3 atitudes infalíveis para iniciar um novo confronto entre Caminhantes e a humanidade:

1: Alyssane baniu o direito do senhor à primeira noite. Assim ela acabou com uma penca de bastardos que poderiam integrar a Patrulha..

2: Alyssane bondosamente retirou terras dos Umber e dos Bolton (os principais geradores de bastardos em toda Westeros depois dos Martell), dando-as a Patrulha da Noite.

3: Mandou selar Fortenoite para interromper o fluxo de crianças pelo Portão Negro, o que Alysanne achou "desumano" (como se eles fossem morrer... coitada).

Só faltou abastecer Castelo Negro com um suprimento de fogovivo.

Se virando nos 30[editar]

Após as 3 atitudes infalíveis da rainha Alysanne, os Caminhantes Brancos ficaram dependendo só de Craster, que dava seus bebês homens pra eles. Mas nem mesmo 5 viagras por dia fariam Craster dar conta do recado.

E assim, A Canção de Gelo e Fogo é basicamente uma história de como a falta de um plano de saúde Bost♂n iniciou um segundo apocalipse zumbi.

Ver também[editar]

v d e h
Valar Morghulis!!!