Toronto Raptors

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para navegação Ir para pesquisar

Cquote1.svg In Masai we Trust! Cquote2.svg
Torcedor do Raptors a partir de 2013

Kawhi saiu, franquia faliu
Kawhi saiu, franquia faliu logo
Conferência Leste
Divisão Atlântida
Fundado 1995
História Toronto Craptors
1995-atualidade
Arena Air Canada Center
Cidade Tô Tonto
Cores do time Preto e vermelho igual um certo time fracassado
Dono(s) Kawhi Leonard
Campeonatos 1
Títulos de Conferência 1
Títulos de Divisão 7
Números retirados Nenhum


Toronto Raptors é o patinho feio da NBA, pois é o único time do Canadá na competição, feito pro pessoal lá de cima dizer que também joga basquete. Por isso pode se dizer que é o melhor time canadense da liga... mas claro que não em termos de qualidade.

História[editar]

O mascote furry e ridículo do Toronto Raptors.

O Toronto Raptors foi criado em 1995. Sim, esse time é mais novo que você (ou não). O time criado tinha tudo, menos nome. Várias eram as opções, entre elas Beavers, Bobcats, Dragons, Grizzlies, Hogs, Scorpions, T-Rex, Tarantulas e Terriers, mas o nome escolhido mesmo Raptors, pois seu fundador era fã do filme Jurassic Park. O diretor-geral escolhido para o time foi Isiah Thomas, que já dirigiu 11 em cada 10 times da liga. Eles receberam como reforço o competente ex-jogador do Chicago Bulls, B. J. Armstrong, que se recusou a comparecer ao treino, provavelmente por aquela equipe ser muito pequena para ele.

Em seu primeiro jogo, contra o New Jersey Nets, a equipe de Toronto consegue sua primeira vitória. E foi ganhando de todo mundo até chegar aos play-offs e se cagar todo perante o Boston Celtics, perdendo 3 partidas seguidas. Dali para frente não aconteceu absolutamente nada de interessante no Raptors até 1999, quando disputou três play-offs, uma forma de consolo para os torcedores de uma equipe que nunca ganhou nenhum título importante, a não ser 1 títulozinho de divisão. De 2002 a 2006, apesar da intensa luta, o Raptors continuou sem ganhar nada. Situação que durou por outros 7 anos, para azar de seus infelizes torcedores. Ah, e foi nessa época que levaram os famosos 81 pontos do Kobe.

A era Masai Ujiri: Reconstrução e retorno aos playoffs (2013-atualmente)[editar]

Em 2013 o mágico no comando do Raptors, o nigeriano Masai Ujiri conseguiu fazer aquilo que todos achavam impossível: livrar-se do zumbi italiano Andrea Bargnani. Em troca vieram Kyle Lowry, DeMar DeRozan (DeMais esse nome hein?) e Jonas Valanciunas, que elevaram o time a condição de contender dos offs, algo muito díficil na forte e equilibrada conferência leste. Agora o time fica nas primeiras posições na temporada regular e toma um cacete nos playoffs para um time mixuruca como o Brooklyn Nets e o Milwaukee Bucks.

O primeiro título[editar]

Em 2019, fazendo uma pseudo-panelinha após vários fracassos contra o Cleveland Cavaliers e equipes "menores", o Toronto contratou jogadores de nomes, como o Kawaii, que carregou a equipe em metade dos jogos tanto da liga normal quanto dos playoffs e conseguiu uma vasco-posição na fase de grupos, a posição atual preferida da equipe. O Toronto passou os playoffs com facilidade, até chegar a final de conferência contra o Milwaukee Bucks, que em uma batalha para decidir o time menos pipoqueiro da conferência Leste, o Toronto ganhou e chegou a final contra a panelinha do Golden State Warriors. Com péssimos jogos em casa "motivados" pelo "rapper" que só causa problema Drake, o To-tonto conseguia ganhar fora de casa graças a lesão do Durant e isso foi determinante para o primeiro e último título desta equipe.

Estádio[editar]

Por falta de verba, o Toronto Raptors costumava jogar no mesmo estádio do Toronto Maple Leafs, mas atualmente joga no Air Canada Centre, que apesar do nome não é estádio de asa-delta.

Mascote[editar]

Um dinossauro, é claro. Dizem as más línguas que ele é o pai de Chris Bosh que aceitou pagar esse mico esse emprego pra ficar mais perto do filho

Grandes jogadores[editar]

O maior ídolo da história do Raptors é sem dúvida Bismack Biyombo, o Biyombão da massa Vince Carter, o maior enterrador da história, que só perde pros coveiros dos cemitérios do Rio de Janeiro. Depois dele vem o dinossauro duvidoso Chris Bosh, que por anos levou o time nas costas até ficar com desvio de coluna e ir se curar em Miami. Outros jogadores famosos incluem o vesgo de vidro Tracy McGrady, o espanhol José Calderon e o zumbi italiano Bargnani. Pelo milagre de ter ganho um título da NBA com esse time, podem-se incluir aqui Kawaii e Kyle Lowry.