Super Mario World

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para navegação Ir para pesquisar
Virtualgame.jpg Super Mario World é um jogo virtual (game).

Enquanto você lê, Sua Irmã isola seu controle do Wii.

O Mundo de Super Mario
Super Mario World cover.png

Capa do jogo

Informações
Desenvolvedor Nintendo
Publicador Nintendo
Ano 1990
Gênero plataforma/zoofilia/maus-tratos
Plataformas Super Nintendo
Avaliação 10/10 conforme nintendistas
Classificação indicativa Jogadores raízes que nasceram na época dos tazos e não criancinhas malditas que só sabem assistir Felipe Feto, jogar 40 noites e reclamar de tudo!

Cquote1.svg Conta tudo pro Ibama, Yoshi! Cquote2.svg
Pópis sobre Mario continuamente agredir o Yoshi
Cquote1.svg É aquele jogo que tem que dar tiro? Cquote2.svg
Carla Perez sobre sobre Super Mario World
Cquote1.svg Esse jogo influencia as pessoas a agredir os animais! Cquote2.svg
denúncia da RecordTV sobre Super Mario World
Cquote1.svg Super Mario ZA WARUDO!!! Cquote2.svg
Dio Brando sobre sobre Super Mario World

Super Mario World é um MMORPG offline da Nintendo lançado para Super Nintendo e provavelmente o mais famoso jogo da série Super Mario, tão famoso que na sua época vendiam o cartucho e um console de SNES vinha de brinde. Foi um jogo revolucionário para sua época por trazer Yoshis de 4 cores diferentes e 96 fases dentre fases normais e fases secretas.

Por conta de ser o jogo da série Super Mario mais drogado, é o jogo favorito de seu próprio criador, Xingaram Minha Moto.

Jogabilidade[editar]

Mario prestes a cometer mais um genocídio.

Como em qualquer outro jogo de Mario, Super Mario World é um game de plataforma 2D no qual controlamos Mario em sua insana vontade de sair correndo feito um encanador psicopata doido consumindo drogas e ceifando a vida de diversos tipos de animais fofos que passem pela sua frente. O objetivo do jogador é simplesmente passar de fases, mas a matança desenfreada é plenamente incentivada quando é garantido muitos pontos extras para cada criatura morta durante esse trajeto de concluir uma fase, e dependendo do nível de crueldade, um genocídio por exemplo, quando se extermina 10 animais de uma vez, o jogador é recompensando com uma vida.

Embora o jogo se venda como multiplayer, isso não é verdade. O Player 2 vai apenas controlar o Mario verde, nesse caso, literalmente o Mario Verde e ambos jogadores jogam uma fase de cada vez. Enquanto um joga, o outro só assiste.

O power-up inédito da vez é a capinha, que permite o Mario voar e pular a maioria das fases na maior moleza. A capinha é tão foderosa que nunca mais apareceu.

Yoshis[editar]

A grande novidade desse título em relação aos Super Marios anteriores é que foi introduzido o uso do Yoshi, um dinossauro deformado e assexuado que possui uma língua três vezes maior que o próprio corpo e um sistema digestivo conectado ao sistema reprodutor de modo que ao comer muitas frutas, animais e objetos em geral em sua dieta onívora ele pode cagar ovos dando origem a novos Yoshis. A sua principal função é ser cruelmente sacrificado em abismos para auxiliar o Mario em conseguir pulos mais distantes. Estes singelos animais que também servem de montaria para Mario podem ser encontrados no jogo nas mais variadas cores que conferem diferentes habilidades:

Mario e seu amigo Yoshi indo superar mais um buraco infinito.
  • Yoshi verde - O tradicional, é o Yoshi que digere adequadamente os cascos de tartaruga que come. Quando ele come o casco verde, ele cospe a carapaça verde. Quando ele come o casco vermelho, aí ele cospe fogo. Quando ele come o casco amarelo, aí quando pisa no chão solta um peido que mata inimigos por intoxicação. Quando ele comer o casco azul, ele voa que nem uma galinha.
  • Yoshi Azul - Você libera ele na segunda fase do mundo especial que é aquela fase chatíssima da água que tem mais de oito mil peixes verdes e peixes chatíssimos que te perseguem a fase. Parece que vai ser um Yoshi da água ou algo do tipo, mas na verdade o Yoshi azul quando come qualquer tartaruga fica voando igual a uma galinha, não falta nem botar um ovo e se você apertar o botão de cuspir o casco, tu despenca de uma altura de mais de oito mil metros e não te acontece nada se não cair num buraco infinito.
  • Yoshi Amarelo - É liberado na terceira fase do mundo especial, aquela que tem o Lakitu chato pra caralho. Devido ao seu sistema digestivo falho, quando ele come qualquer tartaruga ele fica com gases, então sempre que pisa no chão solta uma bufa que faz qualquer inimigo desistir de viver, além de detonar de tudo o que haver em volta, menos os blocos, canos e o próprio chão da fase. Esse Yoshi é divertido mas ele é inútil.
  • Yoshi Vermelho - É o mais inútil dos Yoshis. Como ele possui forte azia, quando ele come qualquer tartaruga ele cospe fogo ao invés de soltar a casca da tartaruga como os outros fazem. Mas só não consegue converter o casco verde em fogo, provavelmente por aquele cacho deve ser feito de sal de frutas. Ele é liberado na quarta fase que tem muitas tartarugas vermelhas e azuis.
  • Yoshi Prateado - Esse Yoshi você consegue na fase Outrageous do mundo especial e você precisa fazer um bug que é um frame perfect que é chatissimo para um caralho de executar. Uma trabalheira que não vale a pena fazer porque esse Yoshi é igual ao Yoshi Amarelo, então só serve pra ostentação.

Enredo[editar]

O jogo segue Mario que mais uma vez precisa resgatar sua cadela, Peach, de uma gangue hostil de tartarugas antropomórficas e Goombas deformados liderada por Bowser, um primo distante de Godzilla. Se Mario está fazendo isso para mostrar que ele realmente se importa ou apenas porque ele não tinha nada melhor da vida o que fazer, é desconhecido.

Antes do mencionado sequestro, Mario e sua garota Peach deixam o Reino do Cogumelo para fugir da horrível guerra que eclodiu contra Hyrule. Indo eles passar um tempo na Ilha do Yoshi, um resort no Oceano Pacífico habitado por dinossauros comilões e amigáveis chamados Yoshis. No entanto, os Yoshis são quase todos assassinados pelos Koopas por não terem pago sua dívida com os Koopas por suas capas e portais mágicos. Mario, todavia, encontra alguns sobreviventes empacotados em caixas e, através da magia da cooperação (com alguns sacrifícios, principalmente quando um abismo é grande demais para saltar normalmente), Mario e seus amigos Yoshis (eventualmente Luigi também) partem para deter Bowser. Enquanto tudo isso acontece, Peach fica no quarto do Bowser.

Durante sua saga nessa nova ilha Mario precisa enfrentar os 7 pecados capitais na forma de filhos do Bowser para obter as sete chaves que dão acesso ao castelo final de Bowser.

Regiões[editar]

São mais de 5 regiões espalhadas pelo mapa inteiro, sul, sudeste, centro oes... brincadeira, são regiões comestíveis e outras não, vamos descobrir quais são as regiões e tudo mais.

Ilha de Yoshi[editar]

Mario se fodendo mais uma vez num buraco infinito, o segundo pior inimigo do jogo, só não é pior que a lava.

Uma das poucas ilhas do jogo cujo nome não é comestível, o local é a propriedade privada do dinossauro-lagartixa Yoshi, embora a região seja invadida por tartarugas antropomórficas. Como é a primeira região, as fases são como grandes tutoriais com simplificações de tudo o que o jogador encontrará nos mundos seguintes, como canos, água, escorregas, strikes, etc. São basicamente fases para treinar os noobs de plantão, todos jogam a fase dois antes da fase um.

Essa é a região que tem o 1º castelo, cujo chefe é maluco, Iggy Koopa, que irresponsavelmente brinca em um balanço no meio de um lago de lava. O destaque deste castelo são as tartarugas penduradas em uma rede de pesca que ficam passeando por ela. Após Mario jogar o bicho na lava, ele coloca o ovo amarelo pra fora do castelo, usa estalos da marca fantasminha para destruir o castelo, e faz ovo frito com o ovo de Yoshi amarelo parte pra mais uma aventura, dessa vez na Planície da Rosquinha.

Planície da Rosquinha[editar]

Uma ilha bem maior que a anterior e com mais fases. Aqui você tem o primeiro contato com as temidas casas-fantasmas desse jogo, que são verdadeiros labirintos irritantes que só fazem você perder vida e paciência, com fantasmas drogados que tem problemas em encarar encanadores. Essas casas mal assombradas sempre tem uma passagem secreta para um lugar cheio de cogumelos, flores de fogo e penas e rotas alternativas no mapa.

Outra coisa que você descobre nessa ilha são as capas voadoras, que provavelmente foram roubadas da Liga da Justiça ou qualquer outro lugar, pois uma pena gigante vira uma capa amarela que garante ao Mario a habilidade de voar e roubar bastante pois dá para pular a fase inteira.

O 2º castelo ali localizado é protegido pelo chefe Morton Koopa Jr., que sobe paredes e morre com apenas três sentadas em cima da cabeça dele. O destaque deste castelo são as rochas espinhudas com mau-olhar que tentam te esmagar (os TWHOMPS!) além de uma série de colunas que se movimentam enquanto você as escala.

Cúpula da Baunilha[editar]

Mario visitando uma Creepypasta dentro de seu próprio jogo.

É o interior de uma caverna que se chama Vanilla, são fases fechadas que foram criadas para inutilizar a vantagem de se ter uma capa, não sendo possível voar por cima da fase inteira. Sabe-se lá porque, há uma casa fantasma ali (quem iria construir uma casa no meio de uma caverna? A Não ser que os próprios fantasmas tenham feito isso). Ali é possível abrir a caixa rosa com ponto de exclamação, que não tem utilidade em nenhum momento do jogo.

Ali está localizado o 3ºcastelo, onde fica o chefe Lemmy Koopa e outros dois cúmplices que são uns bonecos de pano para te enganar. O destaque deste castelo é a presença do filha da Puta do Kamek (ou Magikoopa, também conhecido como Maguinho do Preisteixu) que tem uma varinha mágica que atira os botões do Playstation com o principal objetivo de transformar as caixas de papelão em inimigos e muitas vezes isso te fode a vida ao desfazer uma passagem que você queria utilizar, sem contar que em 90% das vezes esse mago cretino e arrombado se materializa em cima de você, te matando, além de sempre voltar dos mortos depois de morto.

Cúpula secreta da Baunilha[editar]

É a menor área do jogo. Você libera essa desnecessária área depois de desbloquear os quadrados rosas ou vermelhos (eu não sei porque eu sou daltônico) sendo que desbloquear essa área é a única utilidade desses quadrado no jogo, embora seja até possível chegar lá sem eles. Depois de mais uma fase sem sal, infernal e sacal você entra pelo cano (literalmente) e sai em cima da caverna. Se você estiver com preguiça de zerar toda a Cúpula da Baunilha é preciso usar esse atalho. Lá tem um castelo inundado. O destaque dessa fortaleza é o fato de que algum idiota construiu essa fortaleza no meio de uma cachoeira, deixando-a completamente inundada. O chefe da fortaleza Chama-se Reznor e consiste em quatro triceratops imundos cuspindo bolas de fogo em você devido a uma forte azia, enquanto dão um passeio na roda gigante minúscula (falando sério, desta vez o Bowser se superou na criatividade!)

As Pontes Gêmeas[editar]

Mario ao ser atingido pelo liquidificador nas infernais fases das pontes gêmeas.

Como o nome diz são duas pontes interligando a cúpula da baunilha com a ilha chocolate (que é na verdade apenas uma pedra gigante com cor de chocolate vencido há mais 500 anos). É onde fica a primeira fortaleza do jogo, e uma das fases mais temidas que são aquelas de abismo contínuo onde você corre constante risco de ser atacado por um serrote mecânico.

Aqui fica o 4º castelo cujo chefe é Ludwig Von Bethoven Koopa, que aliás dentre os 7 filhos do Boswer é o que melhor tenta te atacar. Ele solta um Buga Vai e se fecha no seu casco para tentar te fazer um strike. O destaque deste castelo é quando você percorre uma câmara vermelha cheia de esqueletos de tartarugas (!?) e armas espinhudas.

Floresta das (Des)Ilusões[editar]

Árvores da Floresta das Ilusões vistas mais de perto.

Região visivelmente baseada no Acre, é um lugar infernizante onde você é obrigado a ficar procurando passagens secretas entre as árvores que sorriem malignamente de você estilo O Legendário do Zelda. Suspeita-se que as Koopas de lá ficam cheirando muitos gatinhos e Nescau e a fumaça fica lá causando fortes ilusões. Aqui ocorrem coisas muito malucas como animais e bombas transportados por bolhas (até hoje doentes mentais procuram saber se quem está causando essas bolhas) e tartarugas que ficam em cima de nuvens sorridentes atirando marretas do Zóio na tua fuça.

Localiza-se ali o 5º castelo onde está o Roy Koopa. O chefe utiliza as mesmas táticas de Morton Koopa Jr. do 2º castelo, mas agora ele faz as paredes se aproximarem para tentar dificultar para os claustrofóbicos. O destaque deste castelo é que você é levado por esteiras de blocos marrons móveis, ficando blindão pros últimos dois mundos dessa aventura que já está ficando tediosa, além tem que prestar atenção para não cair na lava (quem não prestar atenção nisso é oficialmente um imbecil com o seu único neurônio funcionando sendo a imbecilidade, não questiono essas pessoas pois isso é um dos efeitos colaterais da Floresta da Ilusão) .

Ilha do Chocolate[editar]

Um lugar que consegue ser ainda mais irritante que a Floresta das Ilusões já que todas as fases requerem encontrar um caminho secreto pois passá-las normalmente apenas te fará dar voltas no mapa e regressar ao mesmo lugar, sem nem precisar de Google Maps. Aqui você encontra alguns animais pré-históricos, uma fortaleza e um cano que quase ninguém sabe como entrar.

Aqui fica o 6º castelo protegido por Wendy O. Koopa, a única representante feminina dos Koopalings, entre muitas aspas """""feminina""""" pois essa mais parece traveco. Faz quase a mesma coisa que o chefe do 3º castelo, mas com fantasmas de fogo (os Pedoboos) que rebatem nas paredes para infernizar a vida dos noobs. O destaque deste castelo são as estacas do Catlevania gigantes que caem quase na velocidade da luz e sóis que rastejam em blocos de concreto (WTF!?).

Vale do Bowser[editar]

E finalmente estamos no lugar onde Mario tinha que ir o tempo todo. Aqui tem uma fortaleza, uma casa-fantasma, e outras fases quase desconhecidas. Ali está a localização do 7º castelo onde está Larry Koopa que utiliza as mesmas táticas do chefe do 1ºcastelo, agora apenas soltando bolas pelas cabeça (beleza né cara, nesse ponto já nem questiono nada). O destaque do castelo é o retorno do filha da puta maldito Kamek do 3º castelo.

Também fica ali o castelo do Bowser, a última fase do jogo que é tão fácil quanto as primeiras fases do jogo e parece uma boate, tanto por fora quanto por dentro, têm até uma sala com um globo de discoteca que ascende, onde o Bowser deixa a Peach bêbada para usá-la como bem entender. Ao chegar na hora de enfrentar o último chefão percebemos que o Bowser estava sem roupa com a Peach dando aquela chupada nervosa em sua rola (pela décima vez só aquele dia) então se esconde num xícara de palhaço (provavelmente baseada em Bozo) e para derrotá-lo é preciso jogar tartarugas robôs de Chernobyl na cabeça dele 6 vezes. O destaque deste castelo é a presença de um monte de salas com números e inimigos diferentes (uma mais horrorosa que a outra).

O Caminho das Estrelas[editar]

É uma montanha em formato de estrela que para o Mario acessar precisa encontrar no mapa estrelas com olhos que fazem Mario rodopiar até a estratosfera (WTF!?). Aqui não existem castelos ou casas-fantasmas (ainda bem, aquelas merdas são chatas pra caralho), mas sim fases completamente drogadas e nonsense que devem ser completadas com o uso de chaves mágicas que você precisa pôr em um buraco que te leva a outra dimensão desconhecida. Aqui você também pode liberar alguns parentes do Yoshi.

Zona Especial[editar]

Um dos tipos de desafio que aguardam nas fases da Zona Especial.

O Mundo especial, além de ser ainda mais drogado do que as fases do Caminho das Estrelas, é pouco acessado e inspirou jogos como Cat Mario e Super Mario Maker, são as fases mais filha da puta de Super Mario World. Porém, apesar de serem frustrantes (é um fenômeno raro ver um jogador normal passar a Tubular de primeira, uma fase sádica e desgraçada onde você deve flutar 99.9% do tempo com o power-up do balão de ficar balofo), embora os speedrunners malucos mais do que viciados conseguem passar sem nenhuma dificuldade. O jogador é tentado a jogar esses níveis porque uma caixa falante voadora misteriosa que estava ligada a alguma rádio mais misteriosa ainda promete uma super-recompensa, quando terminar este mundo, e por algum motivo todas as fases desse mundo duvidoso têm nome expressões de surfista (BRUH?).

Quando você chega no final da última fase percebe que foi enganado, era um scam feito para você dar ragequit e gastar todo seu dinheiro com controles, cartuchos de Mario, Super Nintendos e, se você estiver jogando em emulador ou no serviço online lixo do Ñ Intendo Switch, em PCs, Teclados Mouses, Switchs e controles, você apenas vê uma mensagem escrita com moedas "YOU ARE A SUPER PLAYER" (que na tradução para português fica: "VOCÊ É UM SUPER OTÁRIO"). Bem, pelo menos você foi elogiado, isso é uma coisa. Completando essa parte, o jogo faz com que os Koopas passem a fazer cospobre de Mario usando cabeças de Mário que mais parecem um mascote da Carreta Furacão e ainda deixa o cenário com cores invertidas.

A capirotesca fase Tubular é a principal responsável pelo maior número de controles, cartuchos e videogames atirados pela janela ou na parede na época de lançamento do jogo (e até hoje ela causa isso!). Absolutamente NINGUÉM chegou ao fim da fase Way Cool (ou não) que, apesar do nome, de legal não têm nada, a não ser que se faça como todo mundo que pega as asas do Yoshi logo na metade para passar na maior noobice malandragem (ou você pode simplesmente hackear o bagulho, por que não?). A fase Awesome é só para quem já está acostumado a escorregar no quiabo (ui! até o nome se chama Incrível). E a última fase possui a maior concentração dos Éverson óios Hammer Bros obesos Sumo Bros. (isso é plural? Sim bro, é plural) por fase quadrada, e é a única fase que tem o fundo em crepúsculo.