Coronavírus da síndrome respiratória aguda grave

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
(Redirecionado de SARS-CoV)
Ir para navegação Ir para pesquisar
Coronavírus Round 1
Um grupo de Coronavírus Phase I não causando tanto estrago assim a uma célula
Um grupo de Coronavírus Phase I não causando tanto estrago assim a uma célula
Classificação científica
Grupo: Xiaomi Vírus
Ordem: Ursinpootus
Família: Xinjinpingidae
Gênero: Pastelisdipangolimvirus
Espécie: Coronavírus Stage 1

Coronavírus da síndrome respiratória aguda grave, também chamado de Coronavírus Light ou Gripezinha Chinesa, foi a versão beta lançada pelos chineses em 2003 do definitivo coronavírus da síndrome respiratória aguda grave 2 lançado só em 2019/20. Em sua época de lançamento a humanidade ainda não havia se tornado um bando de histérico alucinado com medo da morte e o vírus foi tratado como uma "Gripezinha" ao redor de todo mundo. Esta primeira versão do Coronavírus não fez sucesso porque não lotou nenhum hospital, não matou 1000 italianos por dia e não alastrou pânico, mas os chineses se mostraram bem insistentes em desenvolver sua versão melhorada alguns anos depois.

Origem[editar]

Com a origem do vírus rastreada até a província chinesa de Guangdong, foi muito fácil para os biólogos e virologistas da época logo descobrirem que se tratava de mais uma falta de higiene e nojeira característica dos chineses. Descobrir a origem do então novo vírus foi bem simples, bastou visitar um dos mercados de animais da região para logo descobrir que a civeta-de-palmeira-asiática (paranaues hermaphroditus) estava contaminada com o coronavírus. Tal animal é uma espécie de rato que vive em árvores, obviamente tornando-se uma especiaria da culinária chinesa que adora um rolinho primavera de fígado cru de civeta-de-palmeira-asiática e que acabou contaminando humanos através deste consumo.

Alastramento[editar]

Infelizmente o vírus não criou nenhuma pandemia e durante seus anos de proliferação ninguém precisou ficar em casa sem trabalhar. Poucas pessoas sequer souberam de sua existência na época. Influenza e vírus da dengue dominaram o mundo em 2003, não deixando muito espaço para o coronavírus ainda em estágio beta.

SARS e seus sintomas[editar]

A síndrome afetadora da respiração saudável (SARS) é o nome da doença causada pelo Coronavírus Light Fase 1. Tal doença foi considerada inexistente no Brasil, país que não segue o CID e possui seu próprio catálogo medicinal de doenças e portanto classificou a SARS como virose no catálogo nacional.

Uma das principais diferenças entre a SARS e o COVID-19 é que diferente de sua versão mais destrutiva, o coronavírus de 2003 não causa pânico generalizado, atos de xenofobia contra chineses e extinção em massa de idosos, o SARS causa apenas nariz escorrendo e tosse. Diferenciando-se também da MERS por não ser transmitida através de atos sexuais com camelos.