Sérgio Camargo

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para navegação Ir para pesquisar

Cquote1.svg Meu irmão é um capitão do mato! Ninguém na família quer conversar com ele! Cquote2.svg
Irmão de Sérgio Camargo sobre Sérgio Camargo

Jair Bolsonaro imitando um certo presidente francês ao lado de dois seguranças

Pense em um negro que odeia outros negros, que é chamado pelos próprios parentes de capitão do mato e que é um funcionário público que não trabalha. Se pensou no Fernando Feriado errou! Estou falando do presidente da Fundação Palmares, uma instituição criada para cuidar dos interesses dos pretos, Sérgio Camargo. Como toda equipe de governo do Jair Bolsonaro (um ministro do Meio Ambiente que pratica crime ambiental, uma ministra da Agricultura que defende o agronegócio, um ministro da Educação que odeia professores e que parece semianalfabeto por ter estudado com o astrólogo Olavo de Carvalho, um ministro da Justiça que perseguiu e tirou das eleições o principal adversário do Jair Bolsonaro quando era um juiz provinciano no Paraná, um secretário da cultura que faz plágio de Joseph Goebbels, um chanceler que odeia o principal parceiro comercial do Brasil etc.), Sérgio Camargo é um negro que odeia negros, africanos e que faz de tudo para promover a cultura branca e europeia no Brasil.

Sérgio Camargo é tão racista que talvez consiga o feito inédito de ser o primeiro negão condenado por crime de racismo no Brasil. Assim como outros negros do governo nazista do Jair Bolsonaro, que são bem poucos, talvez o único negro seja ele e o Hélio Negão, que não fala nada, só aparece ao lado do Jair Bolsonaro para o presidente brasileiro parecer menos racista, misógino e homofóbico, Sérgio Camargo sabe o lugar do negro na sociedade. Sabe tanto que nunca é convidado para participar os eventos conservadores promovidos pelos alunos do astrólogo Olavo de Carvalho. Quando a neta de um ministro nazista de Adolf Hitler visitou o Palácio do Planalto em Brasília, Sérgio Camargo e Hélio Negão foram os únicos bolsonaristas e membros do governo de Jair Bolsonaro que não tiraram fotos ao lado da deputada de extrema-direita alemã.

Esse artigo é sobre um negro que odeia negros. O que mais dizer? Não, eu já disse, não estou falando do Fernando Holiday, que quer acabar com o dia da consciência negra do Zumbi dos Palmares, com as cotas para negros nas universidades e nos concursos públicos e com a Secretaria da Igualdade Racial.