República Popular do Congo

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para navegação Ir para pesquisar


●République Impopulaire du Congo
●People's Republic of Oingo Boingo
●Congo-Moscowville

Bandeira da República Popular do Congo (1970-1991).png
Bandeira
Lema: Trabalho, Democracia, Paz (nessa ordem)
LocationRCongo.png
Essa beirada da picanha
Capital Brazzaville
Língua francês na frente dos branquinhos, kituba no resto do tempo
Tipo de Governo Socialismo com características congolesas
Quem manda Denis Sassou Nguesso
Moeda franco CFA (até hoje...)
População 2500000 pobres



República Popular do Congo foi um dos experimentos socialistas que a União Soviética promoveu fazendo a África de cobaia. Esse foi criado para comparar as maravilhas que maravilhas? do comunismo com a corrupção e desgraceira que comia solto no Congo Capitalista ali do lado.

História[editar]

Cidadãos congoleses posam para foto.

Ao alcançar a independência em 1960 a República do Congo era governada, por increça que parível, por um padre católico que exaltava as virtudes do liberalismo a mando dos imperialistas do Vaticano. O que virou um problema pois já havia um Congo capitalista mais a leste, e com a mesma política, todo mundo confundia mais ainda os dois Congos. Isso irritou a população, que foi às ruas demandar um Congo socialista com uma bandeira bonitinha vermelha e o mais importante, os saborosos rublos que viriam com o patrocínio da União Soviética.

Foi o que bastou para meia dúzia de militares de esquerda tomarem o poder. Logo o país foi transformado num estado marxista-leninista liderado pelo PCT, o Partido Congolês do Trabalho, onde leia-se o resto do povo trabalhar duro para sustentar a vida mansa dos burocratas do politburo. Falando nele, uma vez no poder virou um carrossel de líderes se engalfinhando na base da bala, e assim o presidente Alphonse Massamba-Délbat foi deposto por Marien Ngouabi, que foi fuzilado e substituído pelo manda-chuva Denis Sassou Nguesso, que conseguiu se manter no poder com uma série de medidas populares, como alfabetização para todos (assim o povo poderia elogiar o grande líder à vontade) e sobretudo aumentar o salário dos guardas, só pra garantir.

Em 1991 os patrões russos resolvem pular fora do Congo e com isso, o país tira o "Popular" do nome pra disfarçar. Enquanto isso Sassou Nguesso bota um boneco de posto como primeiro-ministro, no que seria uma suposta alternância de poder, mas logo logo ele tava lá de volta. E continua até hoje, se reelegendo com 127% dos votos em todas eleições.

Economia[editar]

A economia da República Popular do Congo era 99% baseada no petróleo e, como esse Congo era minimamente organizado comparado com a putaria do vizinho Congo Capitalista, o Congo socialista acabou sendo um dos países mais desenvolvidos da África. Mas se for nivelar por baixo assim, até o Brasil é desenvolvido.