Região Central (Singapura)

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para navegação Ir para pesquisar

Região Central é um dos principais bairros de Singapura, a capital econômica da Malásia. Caso a Malásia fosse um pênis murcho de chinês, a Região Central de Singapura seria exatamente a uretra, o que explica as grandes quantidades de líquido pastoso ejaculado diariamente no Mar de Java.

História[editar]

Uma reprodução em tamanho real da Região Central.

Com a independência de Singapura em 1955 a Região Central foi criada para enclausurar turistas indonésios incautos afim de naturalizá-los forçadamente como cingapurenhos, os homens foram escravizados a trabalhar atendendo telemarketing de toda e qualquer empresa de biscoitos recheados que existir no mundo, e as mulheres forçadas a servirem como prostitutas para agradar o exército britânico que só pediu algumas bocetinhas em troca de ceder independência a esse pedacinho de nada de terra.

Posteriormente toda Singapura caiu no esquecimento, o que incluiu a sua Região Central que só voltou a aparecer nos noticiários em 2010 graças ao surto de uma grave doença chamada Complexo de Napoleão, um fungo transmitido por protozoários presente no intestino de jumentos, o que causou uma pandemia local, visto que a principal refeição cingapurense é bucho de jegue ao óleo de testículos de baleia jubarte.

Economia[editar]

Este é o bairro com a maior quantidade de shopping por metro quadrado de pessoa do mundo, existindo em média 1 shopping para cada 2 pessoas. Há ao todo 2,1 milhões de shoppings, tal que mais de 2 milhões de shoppings vendem exatamente a mesma coisa, tornando a tarefa de encontrar coisas algo relativamente fácil.

A principal atividade econômica encontrada nessa parte de Singapura é o tráfico de indianos e bagladeshianos para serem escravizados e assim exportados a lavar banheiros em algum país europeu ou árabe.