Primeiro-ministro

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para navegação Ir para pesquisar

Cquote1.svg Você quis dizer: Ventríloquo Cquote2.svg
Google sobre Primeiro-ministro
Cquote1.svg Aqui deveria ser comandado pela monarquia como fazem com a Inglaterra e Israel! Cquote2.svg
Noob sobre Primeiro-ministro

Primeiro-ministro era mais um dos cargos políticos do nosso fudido amado Brasil, onde foi abolido pouco antes dos 1900 e guaraná com rolha e hoje se encontra em países que acham que estão no passado e no futuro em continentes velhos, como a Inglaterra, a Itália, Portugal, entre outros.

Sua função[editar]

Não confunda primeiros-ministros com ministros judiciais, onde os mesmos irão ficar putos, como nessa imagem.

O primeiro-ministro ou premiê (o primeirão a ganhar o bolsa-propina) é quem manda de verdade no país — isso se o governo não estiver em suas viagens de férias negócio. O primeiro-ministro responde pelas suas ações ao parlamento, num regime parlamentarista, ou ao Chefe de Estado (que pode ser o Rei, no caso de uma monarquia, ou o Presidente, no caso de uma república, ou qualquer outra porra que manda em tudo mesmo). Acontece muito de o primeiro-ministro da Inglaterra esquecer-se de servir o chá das cinco à Rainha e responder por isso.

Em um regime parlamentarista, o povo não escolhe o primeiro-ministro porque o governo acha que eles são burros pra caralho. O primeiro-ministro é indicado pelo partido com mais bandidos no parlamento e tende a continuar no poder enquanto o parlamento estiver no controle do partido. Um partido com grande força e popularidade, como por exemplo o partido colombiano Cartel de Medellín pode ficar muito tempo no poder, ainda mais se tiverem um primeiro-ministro de fibra, como Pablo Escobar.

O Rei ou o Presidente não fazem porra nenhuma, estão ali apenas para decoração. É o primeiro-ministro que vai para reuniões internacionais, é ele quem faz todo o trabalho duro enquanto o monarca ou presidente fica apenas coçando o saco em seu palácio, é ele quem lidera o país em guerras, é ele quem governa o país de verdade. Ter um primeiro-ministro até que faz sentido em países monárquicos, mas não em países republicanos, até porque não tem muita lógica ficar gastando dinheiro com campanhas eleitorais e pagamentos de ex-presidentes que não fazem porra nenhuma no cargo.

O primeiro-ministro é até mais famoso que o próprio presidente do país, tanto que alguns noobs que nasceram em países com regime presidencialistas (leia-se brasileiros, mas também argentinos e americanos) frequentemente chamam o primeiro-ministro de um país como a Alemanha ou a Itália de "Presidente", isso por pura ignorância. Dica para leitores europeus: caso viajem para o Brasil e de repente verem os brasileiros chamando a Angela Merkel ou o Silvio Berlusconi de "Presidente da Alemanha" ou "ex-presidente da Itália", não se assuste.

Mas isso não acontece em todos os países, em países como a França, a Rússia e é claro Portugal, o primeiro-ministro divide o poder com o presidente da República, ou seja os dois mandam no país, é como se o país tivesse dois governantes (uma Diarquia). Aqui o Presidente manda de verdade mas divide essa função com o primeiro-ministro, é como se o país fosse governado por dois Best Friends (dupla dinâmica estilo Batman e Robin), ou dependendo da situação por um casal que vive brigando (pode ser um casal gay ou hétero... tanto faz). A esse tipo de regime chamamos de regime semipresidencialista.

Veja também[editar]