Peter Gabriel

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para navegação Ir para pesquisar
Madonna-britney.jpg QUEM É O CANTÔ?

Este artigo é sobre alguém de uma banda mixuruca que quis tentar carreira solo.
Não vandalize este artigo, pois Arnaldo Saccomani pode lhe dar um NÃO.

♫ I love to sing-a... About the moon-a and the June-a and the spring-a... ♫
Emblem-sound.svg Peter Gabriel
Peter-gabriel.jpg
Peter mostrando a origem de seu sucesso
Nome Pedro Bruno Gabriel
Origem Bandeira da Inglaterra Inglaterra
Sexo Depende da fantasia
Instrumentos
Nuvola apps kcmmidi.svg
Voz e flautinha doce
Gênero Primeiro rock progressivo, depois foi um surubão de ritmos.
Influências David Bowie
Nível de Habilidade Alto
Aparência Depende da fantasia²
Plásticas Implante capilar, depois de saiu do Genesis. Mas não adiantou por muito tempo.
Vícios
Nuvola apps atlantik.png
Se fantasiar e fazer clipes bizarros.
Cafetão/Produtor
Crystal Clear action bookmark.svg
MTV

Cquote1.svg Chato pra cacete Cquote2.svg
Resto dos membros do Genesis sobre Peter Gabriel
Cquote1.svg Se dependesse dele eu estaria passando fome até hoje! Cquote2.svg
Phil Collins sobre Peter Gabriel
Cquote1.svg Tu traiu o movimento do rock progressivo, véio! Cquote2.svg
Dado Dolabella sobre Peter Gabriel
Cquote1.svg Adoro os videoclipes dele Cquote2.svg
MTV sobre Peter Gabriel
Cquote1.svg Essa música é a maior putaria! PUTARIA! Cquote2.svg
Alborghetti sobre Sledgehammer
Cquote1.svg Esse babaca veio fazer merda no nosso país! Cquote2.svg
Ultraje a Rigor sobre Peter Gabriel

Peter Gaybriel é um cantor, flautista e transformista inglês conhecido por ser o líder da banda de rock progressivo gospel Genesis e mais tarde por sua carreira solo.

História[editar]

Infância[editar]

Peter nasceu no dia 13 de fevereiro de 1950, numa cidadezinha inglesa chamada Solsbury Hill, onde ele costumava ter alucinações visões misteriosas sobre efeito de drogas. Nunca foi rico, e para sobreviver, seu pai costumava fazer vários bikos, quer dizer, bicos. Quando criança, Peter era bastante tímido e introvertido, porém gostava muito de música e soltava a franga se transformava quando estava no palco. O começo de sua carreira musical foi numa apresentação para o festival de talentos de sua escola, quando teve que cantar Ave Maria e apareceu para todos os seus colegas vestido de freira. Naquela época, os Bítous estavam fazendo muito sucesso e todo garoto queria tocar guitarra, e Peter resolveu aprender... flauta.

Genesis[editar]

Genesis durante sua formação clássica, repare como Peter está vestido como quem acabou de vir da boate

Em 1967, com apenas 17 anos, Peter fundou sua primeira banda de rock gospel progressivo, Genesis. Entre suas diversas influencias estavam os discos do missionário R.R Soares e Aline Barros, que ele sempre adorou desde pequeno. Como a música não dava muito dinheiro, Peter tinha que trabalhar como travesti nas horas, eventualmente comparecendo aos shows fantasiado pra economizar tempo e dinheiro. Embora ninguém gostasse do som, a presença de Peter travestido começou a atrair alguns membros da comunidade LGBT e assim, o Genensis passou a tocar para públicos maiores, de cerca de 15 a 30 pessoas.

Carreira solo[editar]

Após muitos anos, muitos discos e nenhum dinheiro depois, Peter resolveu dar um pé na bunda dos seus companheiros de banda e seguir adiante sozinho. Sua carreira solo não foi bem-sucedido por um bom tempo, porém, até o lançamento do seu álbum mais famoso, , em 1986. O título faz referência a uma viagem que Peter fez para Minas Gerais, Brasil, em busca de inspiração, e chegando lá ele conheceu o pessoal do Clube da Esquina, entre eles Milton Nascimento e Flávio Venturini, de quem ficou amigo. Nessa viagem ele conheceu ainda Luiz Gonzaga, que além de tocar triângulo na música "In You Eyes", apresentou a Gabriel o baião, ritmo que Peter usou para compor a canção "Mercy Streets".

Apesar de todas essas viagens, Peter é mais conhecido aqui no Brasil por ter interrompido o show do Ultraje uns anos atrás num desses festivais de música indie que os filhinhos de papai vão. A confusão aconteceu durante o show dos amigos do Danilo Gentili, quando a produção do cantor inglês tentou adiantar a apresentação do músico pra que ele tivesse tempo de tomar o chá das cinco. Putaço com a situaçao, Roger Moreira mostrou que é picudo como foi mostrado naquela edição da G Magazine (não que eu tenha olhado, um amigo meu me disse) e mandou os gringos irem tomar chá na casa do caralho.

Videoclipes[editar]

Peter se esforçava tanto para deixar seus clipes bem feitos ao ponto de se deixar até ser hipnotizado

Apesar de suas músicas serem sem graça, grande parte do sucesso de Peter Gabriel é graças ao seus videoclipes, geralmente todos ultra-mega-hiper-superproduzidos, passavam o dia inteiro na MTV. Aqui mostramos os mais famosos:

  • Sledgehammer: O clipe mais famoso do cantor. É um curta de 6 minutos em stop motion que parece aqueles filminhos de diretor amador em mostras de cinema. Foram utilizadas mais de 8 mil Polaroids para tirar as milhões de fotografias usadas no video. É até hoje o videoclipe mais exibido da história da EMOtv, superando até aqueles clipes do Red Hot Chilli Peppers que passavam umas mil vezes na mesma semana.
  • Steam: Patrocinado pela Valve, o clipe mostra como a vida de Peter virou a maior putaria depois que ele ficou superfamoso. Foi banido em mais de 100 países cristão por causa das cenas eróticas e contou com a participação de um dos figurantes do desenho Thomas e Seus Amigos.
  • Big Time: Um clipe tão estranho que parece tanto com um filme de terror psicológico low budget tanto com uma animação daqueles projetos de biologia que você fez nos tempos de colégio. No final do clipe, Peter quebra um espelho e consequentemente acaba pegando sete anos de azar, nunca mais vendendo tanto discos como antigamente.
  • Digging in the Dirt: A história desse clipe é pra lá de trágica. Em uma viagem á África, Peter quis conhecer as savanas e se afastou de sua produção para filmar algumas imagens quando acabou se perdendo, só sendo encontrado vários dias depois, deitado no chão, coberto de terra e grama. Curiosamente sua câmera permaneceu gravando esse tempo todo e as imagens recuperadas foram mais tarde utilizadas no vídeo.
  • Shock the Monkey: Um dos videoclipes mais antigos de Peter, remete a época em que ele tinha largado o Genesis fazia pouco tempo. Precisando de grana, ele aceitou um emprego temporário cuidando de macacos num laboratório de testes para animais onde aconteciam "coisas estranhas". Antes de ser demitido pedir demissão, Peter teve acesso ás imagens das câmeras de segurança e usou elas no clipe.
  • Games Without Frontiers: Um anúncio anti-guerra que Peter gravou como parte de sua tentativa de ganhar algum cascalho e não morrer de fome pois suas músicas não vendiam nada de seu ativismo. Para simular os efeitos de Transtorno de estresse pós-traumático pós-guerra, Peter faz caras e bocas provavelmente sobre o efeito de LSD.
  • Don't Give Up: Esse clipe é bem sem graça. É basicamente seis minutos do Peter abraçando e sarrando sua miguxa Kate Bush na frente de um eclipse

Galeria de fantasias do Peter Gaybriel[editar]