Onofre Marimón

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para navegação Ir para pesquisar
Observe o cuidado que tinham para averiguar um carro acidentado nos primórdios da Fórmula Um.

Cquote1.png Sua intenção era pesquisar: Palmirinha Onofre Mari Moon Cquote2.png
Google dando uma de adivinho com a pesquisa de Onofre Marimón

Onofre Marimón (Zárate, 23 de dezembro de 1923 - Nürburgring, 31 de julho de 1954) foi o primeiro piloto da Fórmula Um que teve o azar de se foder numa corrida e ir para a cidade dos pés juntos. Claro, sem contar as merdas que rolavam já nas 500 Milhas de Indianápolis, já que essa aí nunca realmente fez parte do campeonato, mas já dava merda para caralho para uns pilotos de vez em quando (como foi o caso de Chet Miller e Carl Scarborough em 15 de maio de 1953), e sem contar também os azarados que morreram em testes (como Cameron Earl e Charles de Tornaco).

Carreira[editar]

Seguindo os passos de seu papai Domingos Marimón, Onofre decidiu virar dirigidor de carrinhos, inclusive disputando umas provas regionais da Argentina. Isso fez com que ele ganhasse a amizade e o apoio de Juan Manuel Fangio, que já era em 1950 um talento nato da Fórmula Um. Não demorou pro menino prodígio chegar em 1951 a correr as 24 Horas de Le Mans, e sobreviver a esse feito junto com José Froilán González (ainda que tenham brochado a corrida no meio e voltado pra Argentina na metade da prova).

Entretanto ele persistiu e logo em 1951 ainda entrou na maior categoria do automobilismo... que na época não era grande porra nenhuma, mas ok. Começou correndo na Scuderia Milano, mas os resultados pífios o fizeram tirar um ano sabático em 1952. Só em 1953 ele voltaria, primeiro de novo nas 24 Horas de Le Mans, apesar que ele nem conseguiu dirigir o carro por um problema mecânico lá, só azar. Ainda assim ele insistiu em correr na Europa (e não demoraria para isso se revelar uma escolha de merda).

Em 1954 ele conseguiu um baita feito, com dois pódios e parecia enfim virar um puta piloto na categoria. Mas aí deu ruim: em 31 de julho de 1954, com medo de perder a corrida de Nürburgring para o Stirling Moss, que tava correndo bem para caralho naquele fim de semana, acabou correndo sem noção e caindo num barranco bizarro no meio da pista, caíndo em um buraco infinito de Super Mario Kart, mas que sem Lakitu, não teve como ser salvo e morreu na queda.

Este artigo é um esboço.
Quem fez esse esboço não tem pinto.
Você pode fazer este artigo comer a Tia do Batman (e depois comer o Robin).
v d e h
Pilotos da Fórmula 1