O Planeta dos Condenados

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para navegação Ir para pesquisar
De que lado você vai ficar: do bobo, do palhaço, do joker; ou do cientista maluco que faz tudo, menos um implante no cabelo?

O Planeta dos Condenados é uma saga da DC Comics interligada aos eventos de Contagem Regressiva para a Crise Final e depois de uma saga do Flash chamada de A Morte de Bart Allen e que basicamente consistiu na gorda da Amanda Waller e do Rick Flag levando os otários do Esquadrão Suicida capturar um bando de meliantes superpoderosos da DC e jogar todos eles em um planeta qualquer bem longe da Terra e sem nenhum recurso ou condição de voltar, mas eles mesmos depois acabam se fodendo e virando os novos moradores daquela porra de planeta, que supostamente deveria ser tanto a salvação do planeta (daí o nome que deram pro planetinha, "Salvation", lá nos EUA - e pra combinar também com o nome original da série, "Salvation Run", que seria o mesmo que "CORRE BERG!") como pros vilões um novo começo e coisa e tal. O problema é que o planeta tinha sido infiltrado por um monte de monstros do Desaad de Apokolips só para treinar parademônios. Então né, a vida dos vilões lá virou um inferno fudido, e eles passam a desesperadamente ver um jeito de sair da desgrama lá.

Antecedentes[editar]

Bart Allen era o Flash na época e tava cumprindo até bem sua missão, mas os editores da DC tavam com saudades do Wally West (já que ele é o mais engraçadalho mesmo) e aí fizeram uma missão fodida em que a Galeria de Vilões, estimulada por um filho da putinha chamado Inércia (que nada mais era que um clone fodido do Bart). Então os burrões causaram uma impressão desgraçadamente terrível na opinião pública e os que conseguiram ser capturados da gangue e não conseguiram como o Trapaceiro e o Flautista escapulirem (Capitão Frio, Mestre dos Espelhos, Mago do Tempo e Abra Kadabra) acabaram sendo os primeiros a serem jogados nesse planetinha que SUPOSTAMENTE tinha sido vasculhado e nada teria lá a não ser plantas e uns animais alienígenas bonzinhos. Mal sabiam eles que tinham jogado o quarteto num buraco do satã cheio de bestas selvagens e assassinas.

Mais inimigos, tretas e fuga[editar]

Com o passar do tempo foram enviando novos carregamentos de bandidos. A segunda leva foi um monte de cretino que atacou o casamento do Arqueiro Verde com a Canário Negro (olha azideia dos caras!), mais o Coringa que nem ia nessa, mas o povo já tava cansado das surtadas dele. Dessa turma, uma boa parte obviamente ao ver a merda onde estava planejaram um jeitinho de voltar pra casa, enquanto que o Psimon teve a ideia mais sexista e correta da história que era dar um jeito de engravidar as vilãs e todo mundo se estabelecer por lá mesmo, criando uma civilização só de fortes e fodões. O Coringa, que como todos sabem, só quer mesmo comer a tia do Batman e dar pro próprio, além de comer todos os Robins, não curte a ideia e estraçalha o cérebro do Psimon (que nem é muito difícil, o imbecil carrega essa merda num aquário na cabeça. Não é a toa que foi a segunda vez que isso aconteceu com ele, antes o Brainiac em Crise nas Infinitas Terras já tinha feito isso com o otário).

Daí chegou num outro carregamento o Lex Luthor, bem como os otários do Bane e do Pistoleiro que foram traídos pelo resto do Esquadrão Suicida. Logo Lex decide restabelecer a ordem por lá e se diz bem mais inteligente que o Coringa (o que eu não duvido, qualquer um é). Mesmo assim o Gorila Grodd fica lá no grupo do Palhaço, do Bobo, do Joker, do BigBesta - na verdade isso era planejado, já que o macacão era agente duplo que tava só por lá espiando a mente de vários vilões para depois usar para propósitos que só o Lex e ele sabiam até então.

Depois de algumas guerrinhas e vários ataques dos animais do Desaad, descobrem que a Mulher-Gato tava por lá espionando, e como ela há muito tempo tava mais amiguinha do Batman amiguinha nada, ela tava era dando pra ele direto do que vilã de verdade, queriam ferrar com ela, mas aí ela revela que tem um enganador no meio: o Arrasa-Quarteirão na verdade era o Caçador de Marte disfarçado. Ele na verdade tava lá pra monitorar tudo, mas obviamente ninguém entendeu isso e o prendeu. Embora os ex-heróis Trovão & Relâmpago o tentassem salvar, acabaram se fodendo e sendo presos também.

Com a ajuda do Doutor Silvana e do General Immortus, o Lex estava montando o que seria provavelmente uma espécie de tubo de explosão para a Terra. Mas os ataques intensificados, somados ao caos que o Coringa promovia, quase puseram tudo a perder. Foi quando a Mulher-Gato contou que o vagabundo do Vandal Savage tinha tentado convencer ela a se juntar a ele numa espécie de Paraíso que nunca tinha ataques e fazer uma família com ela, a Mulher-Leopardo, Phobia e mais duas vilãs randômicas aí e assim repopularem tudo com filhos perfeitos a lá Zé do Caixão. Ao descobrir a sacanagem, o Lex pede pro Pórtex levar tudo pra lá e assim terminarem o serviço. E assim a história termina com eles conseguindo fugir. Não sem antes descobrirmos que o combustível do tubo de explosão eram o Trovão & Relâmpago, Pórtex, Nêutron e outros azarados com poderes elétricos, nucleares e de teleporte, que tinham sido hipnotizados pelo Grodd, e iriam morrer (obviamente) naquela brincadeira. Ah sim, depois que os vilões vão embora (pra azar da Terra, claro!), descobrimos que o Caçador de Marte foi deixado lá pra morrer (mas ele só morre mesmo em Crise Final, nas mãos do cuzão do Libra, mas isso é pra outro artigo).


Consequências da saga[editar]

  • Um monte de vilão inútil ou inutilizado morto;
  • Não deu para fazer uma preparação adequada dos parademônios, o que levaria Apokolips a se foder durante a saga A Morte dos Novos Deuses;
  • Os vilões voltaram com sangue nos olhos e aceitaram facilmente o plano do Libra de matar e foder todos os heróis a vontade, ou seja, Crise Final. E essa saga foi a única que realmente fez mais sentido que as porras de "Contagem Regressiva para a Crise Final", que foi só uma bagunça de merda que ninguém entendeu nada (se bem que Crise Final também ninguém entendeu porra nenhuma, então tá tudo na mesma...).
v d e h
O incompreensível mundo do Universo D.C.