Mulher-Maravilha (filme)

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para navegação Ir para pesquisar
Chuck Norris.jpg Este artigo é um(a) super-herói(na).

O texto a seguir é sobre alguém que voa, tem poderes, salva donzelas e prende bandidos. Se vandalizar este artigo, eles te levarão à Justiça.

Para conhecer mais desses seres incríveis, clique aqui.


Alerta de spoiler: O artigo pode conter alguns spoilers, tais como o fato de que o

O MUNDO FORA DE THEMYSCIRA FOI DESTRUÍDO, DIANA É UM FANTASMA E O ARES ERA A AVENTURA O TEMPO TODO,

então leia por sua conta e risco.
Watermelon Woman
Mara Maravilha (BR)
Rapariga Beleza (PT)
Mulher-maravilha-capax.jpg
Bandeira dos Estados Unidos Estados Unidos
2017 • cor • 141 minutos
Direção Patty Jenkins
Roteiro Zack Snyder
Allan Heinberg
Jason Fuchs
Elenco Gal Gadot
Chris Pine
David Thewlis
Gênero Tragédia grega baseada em fatos reais


Mulher-Maravilha é um filme do gênero fantasia feminista arremessado em 2017 pelos Irmãos Avisadores para tentar animar os fãs da Desce Comics, que estavam com baixas expectativas depois do Esquadrão Arlequina e da Guerra Civil das Martas.

Enredo[editar]

Origens Excretas[editar]

O filme começa no meio do filme do Batman vs Superman (quando o alien de látex azul e a morcegona de Gothan ainda não tinham originado a justiça), depois que o Batman e a Mulher-Maravilha foram na festa de despedida de solteiro do Lex Luthor e rebolaram com o Coringa no cacete do cadáver do General Zod, que esteva à mostra para tirar selphies com os convidados dentro da Gaiola das Popozudas. Depois que todos os convidados estavam embriagados, a dupla aproveita a deixa para furtar um pendrive do anfitrião da festa contendo vários vídeos íntimos deles com o urso Catatau para preservar a imagem de herói politicamente correto. Bruce consegue abrir o pendrive no bat-computador e descobre uma foto da capa da Playboy de 1169 onde a Diana pousava nua para ameríndios. O morcego fica intrigado com a idade da Diana e pede para ele lhe recomendar um Botox e um cirurgião plástico, mas ao invés disso ela põe a mão na siririca e ativa um flashback do tamanho do filme.

Na época dos deuses antigos, opressores e reis, uma terra sem lei clamava por uma heroína. Tudo começou quando o deus da guerra, Ares, cansado de ser zoado pelos demais deuses do Olimpo por ser sempre o saco de pancadas nas histórias da Mulher Maravilha, decide se rebelar contra os roteiristas e matar todo o panteão para tentar parecer macho. Até o Zeus leva uma surra do filho rebelde e morre, mas antes de virar adubo caga uma praia de nudismo recheadas de mulheres usuárias de anabolizante chamada Tem-Mizera, onde nasceu a Diana, que passou a maior parte da infância fazendo cosplay de Xena e contando piada de homem junto com suas irmãs feminazis.

Invasão de Ubatuba[editar]

Diana tenta matar a Capitã Marvel por ela ter roubado o nome do Shazam.

Durante uma competição de sumô, Diana acidentalmente ativa os Braceletes da Submissão e quebra a mandíbula da sua tia, que geme tão alto ao ponto de atrair meia dúzia de navios alemães e um avião de bambu contendo Steve Trevor para a ilha, mas a mulherada consegue repelir os intrusos jogando lanças, flechas e lança-perfume neles. Trevor é encarcerado pelas matriarcas e forçado a cozinhar e passar roupa para elas. Como as amazonas não assistem TV paga porque o sinal da Sky Gato não chega do fiofó da Rainha Hipólita, elas usam o Laço da Verdade no rapaz para saber das notícias do mundo afora, que é quando ficam sabendo da Revolução Industrial do Charles Chaplin, da estreia da Lagoa Azul, da Primeira Guerra Mundial e do Quico.

Diana suspeita que a guerra seja obra do Ares (porque qualquer coisa com “guerra” no nome é obra dele), mas ela não pode sair de casa para ajudar porque sua mãe não deixa. Steve Trevor tenta hipnotizar Diana com um relógio, mas isso falha e ele apela para um discurso de lutador derrotado para induzi-la a mentir para as irmãs e roubar vários acessórios eróticos delas (a Espada Vibrador, o Chicote de Purpurina, o Escudo de Carvalho e uma sunga dos EUA) para usar contra o Ares.

Guerra Mundial W[editar]

Na versão latina do filme, Diana se transforma para lutar na guerra do Paraguai.

A dupla rouba um barco e volta para Londres em menos de 5 minutos, onde Diana fica assustada com o fumasse saindo da chaminé do trenzinho Thomas e indignada com os soldados castrados que voltaram da guerra. Para acabar com a guerra, Mulher e Steve fazem um panelaço e assinam uma petição online na internet, mas não adianta e eles acabam indo à sede do Governo Mundial exigir que o Ares disfarçado e outros políticos levantem a bunda do sofá e vão para a guerra, mas também não adianta porque eles preferem ficar em casa vendo o Manchester United do que tomar tiro no toba. Trevor revela um diário a prova d’água da Doutora Veneno (braço direito do General Vacina) detalhando experimentos com uma nova bomba sabor de ketchup e mostarda que os alemães pretendem jogar no Charlie Hebdo por serem servos fiéis do profeta Maomé.

Diana e Trevor decidem juntar mais três figurantes (só para a foto do Luthor fazer sentido mesmo) e ir para a guerra sozinhos, então mendigam uns trocados pro Ares disfarçado (para pagar as despesas da viagem) e recrutam um poliglota tarado, um saco de pancadas traumatizado e um ator turco para marcharem ao lado deles contra o exercito alemão. Obviamente a Mulher-Maravilha faz todo o trabalho sozinha, libertando Paris de snipers e indo dançar Festa Junina para comemorar a vitória enquanto um figurante tira a manjada foto.

Steve usa um orelhão para falar com Trevor e contar da viagem pro tio Ares (que recebia um boquete da sua secretaria), mas Ares revela que o General Ludendorff vai promover um baile funk no Castelo de Greyskull e não o convidou. Diana rouba o vestido azul de uma perua e entra na festa enquanto o Steve tenta comer a Doutora Veneno, mas leva um fora até dela. Diana e o General dançam Calypso e trocam indiretas, mas depois ele sai para tomar aspirina e ela vai atrás para mata-lo, achando que ele é o Ares. Os dois brigam e a Maravilha vence (mesmo depois que o General cheira Vik para limpar as narinas e se fortalecer) e o mata, cansando um apagão elétrico.

Buenos Ares[editar]

Diana encontra o verdadeiro Ares no final.

Diana estranha os homens ainda estarem bebendo cachaça, fumando baseado, batendo na mulher e ouvindo funk, então conclui que são um caso perdido e começa a chorar. Então, o Ares disfarçado se revela ser Ele e diz que os humanos são seres desprezíveis e devem ser exterminados para o bem da fauna e flora local.

Diana ainda sim o enfrenta (só para não admitir que matou o cara errado) e experimenta apunhala-lo com a Espada Vibrador, mas Ares destrói o aparato com a sola a mão e revela que a Mulher-Maravilha era o Quinto Elemento o tempo todo. Durante a briga, Ares usa os poderes do Magneto para assustar a garota, mas ela revida jogando o fusca do Sandro Lima nele para distraí-lo. Steve Trevor aparece do nada e rouba o som do filme, mas Ares restaura o áudio ao transformar o fusca numa armadura e ainda enrola a Maravilha num tapete persa. Enquanto isso, Steve Trevor sequestra um avião cheio de Varex e o explode no ar, sendo teletransportado para os Estados Unidos dos anos 80 porque isso acontece nas historias da DC.

Ainda brigando com o Ares, Diana vê o amante explodir e diz “não” em câmera lenta, ficando passada com toda essa violência num filme teen da Sessão da Tarde. Ares diz para ela matar a Doutora Veneno (que revela ser a Millena disfarçada) e vingar a morte do bofe, mas ela se recusa e diz que, embora Ares tenha razão sobre os humanos, eles são bem piores do que ele diz. Ares grita “verdade” e solta um raio do Palpatine na amazonense, que repele o golpe usando o Bracelete da Apelação e manda o vilão pelos ares com um o próprio raio.

De volta ao presente, Diana encerra seu flashback, passa o telefone da manicure pro Batima e vai no banheiro menstruar e trocar a calcinha antes de enfrentar o Apocalypse.

Personagens[editar]

Bonzinhos[editar]

  • Diana de Themyscira / Diana Prince / Mulher Maravilha (Gal Gadot) – Heroína do título que dá nome à história; Diana (pronunciado Daiana pelos gringos) nasceu do peido de Zeus junto com a Praia de Ubatuba, mas passou a infância achando que era uma simples camponesa filha da prefeita até o dia em que ela salvou um marmanjo que havia caído de bunda na praia de uns marinheiros nazistas. Após conhecer o rapaz e ir para Londres, ela passa a se vestir de Mary Poppins e a usar óculos sem precisar.
  • Steve Trevor (Chris Pine) – Espião americano que se infiltrou em uma pastelaria da Alemanha para roubar a receita de bolo de cogumelos da Doutora Veneno. Após conhecer a Amazônia, ele tenta convence-la a ajuda-lo na guerra para impedir que a Alemanha se torne uma superpotência e ameace a soberania norte-americana no ramo da gastronomia.
  • Amigos do Steve Trevor – Três aleijados que foram forçados a voltar pro campo de batalha pelo “amigo” deles, que prometeu pagá-los milhões de euros e muita cerveja se ele sobrevivesse.
  • Hipólita (Connie Nielsen) – Prefeita da Amazônia e mãe da Diana Cicrana. Ela acredita que a guerra nunca chegara a sua ilha por causa da barreira invisível e quer que o resto do mundo se foda.

Malvados[editar]

  • Erich Ludendorff / General Vacina (Danny Huston) – Velho drogado que quer prolongar a guerra contra o Ocidente para poder patentear o gás da Doutora Veneno e depois vender a formula para a Kaiser em troca de Viagra e Tele-Sena. Quando seus superiores descobrem a tramoia, ele os chupa com um aspirador de pó e bota a culpa na violência da televisão.
  • Isabel Maru / Doutora Veneno (Elena Anaya) – Doutora Vaugínia é uma cientista louca que ficou com a cara rachada depois que comprou cosméticos do Coringa e fez várias plásticas malsucedidas. Ela inventou o gás hélio do Nicolás Maduro e a Camada de Ozônio do Ozzy Osbourne, mas ainda queria mais e então uniu-se ao General Vacina para dominar o mundo e conseguir mais judeus para usar em seus experimentos.
  • Sir Patrick Morgan / Ares (David Thewlis) – Deus da Verdade e vilão do filme. Para provar que os humanos são canalhas, Ares se disfarçava de Gasparzinho e ensinava a eles como criar armas de destruição em massa; depois alegava inocência dizendo que nunca os obrigou a puxar o gatilho. Por ser muito preguiçoso, Ares finje ser um velho aposentado e fica dando palestra sobre paz e amor, mas depois tenta convencer Diana a destruir a humanidade para ele.
v d e h
O incompreensível mundo do Universo D.C.