Maternidade

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para navegação Ir para pesquisar

Cquote1.svg Mostre isso aos seus filhos e eles lhe obedecerão Cquote2.svg
Mãe mexicana falando.

Maternidade é aquele curso profissionalizante que sua mãe fez quando você nasceu. Ensinado no mundo todo, a maternidade é uma área do conhecimento que apenas compete as mulheres, pois a sociedade ainda pressiona a mulher aos cuidados de seus monstrinhos, como se a mesma fizesse sexo com o dedo. Hoje em dia, no entanto até o homem tem aderido ao estudo da maternidade devido a pressão da mulher, vendo que este por sua vez sabe muito bem dos riscos da TPM para o mundo.

Competências[editar]

Dona Hermínia, considerada uma das melhores alunas de maternidade de sua geração.

O atual curso de maternidade, difundido nos anos 50, por nada mais nada menos que Dona Clotilde, se concentra entre 3 competências. Ambas as três são fundamentais para explicar a filosofia de uma mãe capacitada para lidar com pequenos diabinhos. A primeira delas é a habilidade de discurso. Nunca entre em uma briga de palavras com sua mãe, além dela ter o poder do chinelo em suas mãos, ela também pode te trancafiar em seu próprio quarto e roubar suas cartas Pokémon, ou até mesmo botar fogo pensando que são do tinhoso. Os aprendizados que uma mãe leva dessa competência é a habilidade de persuasão, tais frases como: na volta a gente compra, ou, em casa a gente conversa, são frases típicas ensinadas para botar medo em qualquer pentelho.

A segunda competência é a paciência e o tempo, ou a perda dele. Normalmente é difícil para uma mãe ter noção de tempo, principalmente quando ela está no supermercado ou no shopping, pois ela gosta de olhar todas as vitrines, sem contar quando ela encontra com uma de suas amigas que você nunca ouviu falar. Essa competência é marcada pela vingança e ensina apenas esse tipo de vigarice, é um verdadeiro atentado contra qualquer filho, fazendo você ter que esperar ela terminar de conversar para finalmente poder ir embora, ou mesmo ter que esperar na fila do caixa do supermercado, porque ela esqueceu alguma coisa, te fazendo ter traumas sobre isso.

A terceira e última competência é em relação ao físico das mães. A modalidade mais realizada por elas é do bom e velho arremesso de chinelo, que tem foco no aprimoramento da pontaria e da agilidade para acertar. É também de função dessa competência os ensinamentos de dona do lar, tais como fazer os serviços domésticos com agilidade[1] e da culinária[2]. Embora essas competências sejam questionáveis, estas ainda estão empregadas no currículo, caso (de caso raro) alguém ser um dessaste na cozinha e/ou porca em casa.

Habilidade de discurso[editar]

Pedir alguma coisa para a mãe é a mesma coisa que ganhar um não. Por isso, o ensino básico dessa competência é a de frases de impacto, que ao usa-las geram empoderamento e autoridade. Muito semelhante a filosofia, toda a mãe deve ter um olho ágio para julgar as cagadas de seus filhos, questionando-os, e envergonhando-os em situações embaraçosas. A seguir uma lista de frases que toda a mãe diz:

Frases de superioridade:

  • Enquanto você estiver no meu teto, você vai fazer o que mandar.
  • Vem comer se não vai esfriar.
  • Você não é todo mundo.
  • Isso não é um quarto, é um chiqueiro.
  • Leva o casaco.
  • Nem me pede nada hoje.
  • Em casa a gente conversa.
  • Me respeite que eu sou sua mãe.
  • Não fez mais que a sua obrigação.

Perguntas:

  • Aonde vai? Vai com quem? que horas volta?
  • Eu avisei, não avisei?
  • Você quer me matar, é?

Frases ameaçadoras:

  • Eu vou contar até 3...
  • Seu eu for aí, e encontrar, tu vai apanhar.
  • Tá chorando por quê? Engole o choro agora, senão eu vou te dar um motivo pra chorar já, já.

Habilidade com o chinelo[editar]

Uma mãe exercendo sua profissão com excelência.

O arremesso de chinelo é um esporte inventado pela mulher sapiens no Período Neolítico, introduzido nas olimpíadas de paris em 1900, este é o único esporte em que apenas mulheres venceram, com 90% delas sendo mães. Sabemos que existe os tais arremessos de martelo, disco e dardo, em uma maneira de se criar um objeto leve, mas completamente doloroso, foi o chinelo, o calçado mais comum na vida de uma mãe. De alta adesão na América latina, o arremesso de chinelo faz parte da modalidade olímpica de atletismo, por isso também está vinculado ao tiro ao alvo, o que explica de até uma mãe de 100 anos acertar uma chinelada a uma distância de pelo menos um quilômetro.

Um profissional em arremesso de chinelo não só aprenderá tacar a sua havaiana em obstáculos em movimento, mas também aprenderá técnicas de improviso, para que quando não tiver seu instrumento de guerra, terá sabedoria em escolher outro objeto para tal função, tais como vassoura ou a mão mesmo são ótimos exemplos que também entregam bons resultados.

No Japão, assim como qualquer outro esporte, o arremesso de chinelo é hardcore, por serem feitos de madeira, as tradicionais havaianas de pau getas componham a original modalidade de Quebra Cuca, já que esse chinelo são é arremessado, mas batido contra a cuca do indivíduo. No Brasil, especialmente nas esquinas a meia-noite sempre ocorre campeonatos de arremesso de tamanco, vindo da China, esse esporte é praticado majoritariamente por rapaligas ou travestis de plantão.

Existe também o arremesso de calcinha (praticado por piriguetes em puteiros) e o arremedo de roupas em geral (quando sua mãe descobre que é corna de seu pai, e decide tirar todas as roupas dele pela janela), no entanto nenhumas delas é ensinadas no curso de maternidade.

História[editar]

O ensino superior é difundido desde os anos de 1500 ainda quando a prova era aplicada em pergaminho, disciplinas como medicina, ciências e administração se tornaram cada vez mais profissionais, abolindo toda aquela bagunça de achismos que acontecia na Idade Média. A criação de um curso superior sobre a educação de uma criança é totalmente de autoria de Maria Antonieta, principalmente depois de receber a calorosa criação de sua mãe, que a fez se casar com um homem sem bolas, sendo posteriormente criada por empregadas que seu pai as usava quando tinha tédio. Quando se tornou rainha em 1774, se livrou de seus pais num piscar de olhos, e como primeira ação como monarca, resolveu criar dois cursos distintos, sendo o primeiro a de maternidade, cujo o objetivo era de ensinar as mulheres a serem menos vagabundas e mais proativas, botando medo na criançada e faze-los serem mais educados. Já a segunda é a chamada ciências carnais, curso que ensinava os segredos da masturbação, siririca e do sexo. Essa última por sinal foi aprovada e aplicada no ano seguinte, tendo como foco os ensinamentos do Kama Sutra.

Por motivos de não sei, a maternidade não foi aprovada e por isso Maria Antonieta precisou pedir esmola para algumas amigas de fofoca, sendo elas a D. Maria, a Louca, rapariga-mor de Portugal e Maria Alice Vergueiro, sua confidente e terapeuta. Inicialmente ela achou que juntas poderiam dar um chega pra lá na Academia e assim aprovariam seu curso, no entanto, quanto mais os anos se passavam, mais as marias se desencontravam, afinal, o que poderia sair de uma louca, uma drogada e uma patricinha mimada?

Os ensinamentos adquiridos no curso também tem eficácia com o marido.

Por fim, o curso de maternidade foi finalmente aprovado em 1840 por Maria II de Portugal, entrando como primeiro curso para mulheres pobres, já que nenhuma mulher nobre cuidaria de seus filhos, deixando esse trabalho para a empregada. Inicialmente, o curso abrangia o ensino de mãe para a filha, sendo que o filho homem era influenciado pelo pai, sendo quase sempre preso num internato, bem longe da família. O ensino metodológico da maternidade era dividido em apenas duas partes, a primeira relacionada ao comportamento das filhas em relação a sociedade, afinal ninguém queria que elas fossem vagabundas ou piranhas, e a segunda relacionada a perspicácia em arranjar um cônjuge para a prole, tudo isso ao mesmo tempo que teria que também ter que cuidar de um terceiro indivíduo, o animal do marido.

Porque a maternidade é apenas destinada a mulheres?[editar]

Simples, o homem sempre foi mais lesado, preguiçoso e idiota, é até de autoria de Eva, primeira mulher, a ascensão do ser humano no mundo, relatos de uma coruja, indicam que eva persuadiu Adão para fazerem o pecado carnal, a qual resultou em seu maior problema, porque se for para esperar Adão, o mundo ainda estaria intacto. Além disso, não é necessário curso para a procrastinação e o abandono.

Ver também[editar]

Referências[editar]

  1. Matéria duvidosa, pois a qualquer momento sua mãe pode te chamar para lavar a pilha de louça que há na pia.
  2. Todo mundo sabe que mãe nenhuma precisa de faculdade para lhe ensinar algo que ela nasceu sabendo, mesmo que o aprimoramento demore, pois comida de vó é melhor.