Mandala

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para navegação Ir para pesquisar
Rede-GROBO.png PLIM! PLIM! Este artigo é uma coisa da Rede Globo de Manipulação! Esta página pode estar mencionando alguma novela clichê que sua mãe gosta, algum pseudo-ator rouaneteiro ou algum comunista de boteco que se diz jornalista. Para mais coisas relacionadas ao Projaquistão, clique aqui.

Cquote1.svg Você quis dizer: Édipo Rei? Cquote2.svg
Google sobre Mandala
Cquote1.svg Como uma deusaaaaaa... Cquote2.svg
Tema principal dessa bosta.
Cquote1.svg Minha deusa! Cquote2.svg
Tony Carrado sobre Jocasta.
Cquote1.svg Depois da tempestade, vem a ambulância Cquote2.svg
Tony Carrado, querendo parecer (só parecer) culto.

Escrita por Dias Gomes e outros que eu não lembro agora, Mandala foi uma 20:30 da Globo exibida entre 12 de outubro de 1987 a 14 de maio de 1988, no lugar de O Outro, e substituída por Vale Tudo.

Sim, aqui também temos o filho que come a própria mãe.

Sinopse[editar]

Uma novela descaradamente feita em cima da tragédia Édipo Rei de Sófocles, inclusive com os personagens principais com os mesmos nomes dos do livro, enfim, clique no link do artigo para ver a sinopse principal.

Elenco (principal)[editar]

  • Édipo (Felipe Camargo) - o filho de Jocasta e Laio, que mata o pai que nem na tragédia grega, mas aqui Édipo vê o pai morrer sem saber. Faz propagandas para a TV e sonha que vai matar o próprio pai, até que ele mata de verdade um dia. Conhece Jocasta, e a come sem saber que é sua mãe;
  • Jocasta (Vera Fischer) - a mãe de Édipo, de quem é tirado assim que nasce. Na primeira fase da novela, é militante do Movimento Estudantil, nos anos 60; depois, na atualidade, quer porque quer conhecer o filho;
  • Laio (Perry Salles) - o pai de Édipo, que o mata sem saber que é seu pai. Quando era mais novinho, Laio era um playboyzinho que vivia às custas do papi rico e não fazia porra nenhuma da vida; depois que o tempo passou, andou sapateando na maionese. É um daqueles caras sensitivos que não fazem nada sem antes consultar seu guru, nem mesmo soltar um simples peidinho;
  • Creonte (Gracindo Júnior) - ao contrário do Creonte do livro, que era miguxo de Édipo, este aqui é o vilão da novela, um sujeito sem caráter e ambicioso. Trabalha com Laio em uma casa de saliência na qual esconde um cassino. Sempre odiou Jocasta;
  • Argemiro (Carlos Augusto Strazzer) - o guru de Laio, a quem lê a mão, joga os búzios, prevê o futuro e todas essas charlatanices para enganar gente trouxa. É ele quem prevê que Édipo vai matar Laio, que o arranca dos braços assim que nasce;
  • Tony Carrado (Nuno Leal Maia) - bicheiro e alívio cômico da trama, um sujeito grossão mas com um coração de ouro. Vive querendo pegar Jocasta, a quem chama de "minha deusa", embora ela cague e ande para ele. Adora parecer culto (só que não), soltando frases mal formuladas.

Trilha sonora[editar]

Nacional[editar]

  • Lançada originalmente em elepê e fita do cacete no final de 1987, em 2001 foi relançada em CD dentro de uma série chamada "Campeões de Audiência", composta de 20 títulos.

CAPA: Vera Fischer

  1. Mitos - César Camargo Mariano (abertura)
  2. Viagem ao Fundo do Ego - Egotrip
  3. Dou-Não-Dou o Cu - Djavan
  4. O Amor e o Poder (Como Uma Deusaaaaaaa...) - Rosannah Fienngo
  5. Bobo da Corte - Alceu Valença
  6. Um Dia, Um Adeus - Guilherme Arantes
  7. Meu Mestre Coração - Bituca
  8. A Paz - Zizi Tosse
  9. Eu Já Tirei a Tua Virgindade - Wando
  10. Personagem - Fafá dos Peitões
  11. Eu Quero o Absurdo - Tânia Alves
  12. Tempo de Don Don Jogava no Andaraí - Zeca Pagodinho
  13. Preconceito - Via Pretomonte
  14. Peidão - Areia Cagada
  15. Eu Já Sei - Garotos da Rua
  16. Uma Traveca - César Camargo Mariano e Léo Gandelman

Internacional[editar]

CAPA: Lúcia Veríssimo
Lançado em 1988.

  1. A Matter of Feeling - Durão Durão
  2. Didn't We Almost Have It All - Whitney
  3. Sugar Free - Wa Wa Nee
  4. With or Without You - U Dois
  5. Nothing's Gonna Change my Love For You - Glenn Medeiros
  6. Bitter Fruit - Little Stevens
  7. No Conversation - View From the Kill
  8. Luka - Suzanne Vega (aquela sobre um garotinho que sofria abusos sexuais no prédio onde ela morava)
  9. Never Say Goodbye - Mau Jovem
  10. Lost in Emotion - Lisa Lisa & Cult Jam
  11. I've Been in Love Before - Cutting Crew
  12. Let the Sun Shine in Your Heart - Vento
  13. I Think We're Alone Now - Tiffany
  14. Songbird - Kenny G.

As Preteridas de Tony Carrado[editar]

  • Devido ao imenso sucesso da novela e do personagem Tony Carrado, a Som Livre lançou ainda em 1987 um disco com um repertório de 12 faixas, muito fino e de extremo bom gosto, que inclui os elegantes comentários do bicheiro antes de cada faixa. Coisa fina, só para quem sabe o que é boa música mesmo. Saboreie a bolacha sem moderação!
  1. Eu Já Tirei a Tua Roupa - Wando (repeteco da trilha nacional)
  2. Meu Dilema - Fafá de Belém
  3. Feristes um Coração - Zeca Pagodinho
  4. A Semente - Bezerra da Silva
  5. Nossa História de Amor - Gilson
  6. Parabéns a Você - Dicró
  7. Pra Sempre Vou te Amar (Forever By Your Side) - Adriana (vesti azuuuul...)
  8. Estrada do Sertão - Agepê
  9. Liga Pra Mim - Gilberto Lemos
  10. Boêmio - Emílio Santiago
  11. Na Certeza da Paz - Almir Guineto
  12. O Amor e o Poder (Como Uma Deusaaaaaaa...) - Rosana (outro repeteco do LP nacional)

Curiosidades[editar]


  • A Censura pegou muito no pé de Dias Gomes por não poder mostrar o que ele queria, já que era às 20:30 que a novela passava e o autor mostrava incesto, drogas, viadagem e outros temas bem levinhos;
  • Édipo e Jocasta só se beijaram no finzinho da novela, devido ao fato de que eram mãe e filho; Dias Gomes só pôde mostrar o beijo atestando que eles desconheciam sua condição maternal;
  • A música de abertura foi aproveitada na novela da TV Pirata, "Fogo no Rabo", em 1988, quando "Mandala" já não estava mais sendo exibida.

Ver também:[editar]