Manchester Beat

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para navegação Ir para pesquisar

Babel fish.gifTraduzindo: Batidão do Manchester
Babel Fish sobre Manchester Beat

Jogão hein! Difícil é fazer algum sentido!

Manchester Beat, as vezes só chamado de Manchester, não tem absolutamente nada a ver (pelo menos até onde eu vi) com a cidade de mesmo nome, nem com os times de lá, e o nome poderia fazer você pensar, sei lá, numa batida musical da cidade, que realmente existiu e panz, ou então em um ancestral do Guitar Hero ou do Just Dance, vai saber...

Mas, filho, esse jogo tá é no infame cartucho do Action 52, você realmente achou que seria algo tão complexo assim? Inocente, é só uma tentativa bem mal sucedida de fazer um beat'em up, como todas outras "tentativas de jogo" desse cartucho maldito.

História[editar]

Supostamente na cidade de Manchester, uns ninjas com cabeça pegando fogo bicho (ou algo assim) "se rebelaram-se" com a vida de merda que tinham no dojô e tomaram conta da cidade, transformando a população em zumbis e esqueletos amaldiçoados a la Castlevania, lançaram umas bolas rosas que aparentemente eram almas desencarnadas e por fim, fizeram a cidade ficar horrorosa, mais feia que a periferia de Guarulhos, com blocos de diversos tipos, um deles com algo que simula notas musicais e um chão que é possível atravessar, igual à fase 3 do Wily Castle no Megaman 2. Cabe a você, herói anônimo, derrotar esses ninjas encapetados e salvar o pingo de sanidade que ainda resta nas mentes dos sobreviventes.

Jogatina[editar]

São apenas três estágios, um mais feio que o outro, com o fundo todo preto e com o chão e o teto iguais, feitos do mesmo jeitinho horrendo, quase um manicômio dos anos 60's sofrendo com apagões. Os inimigos, em geral, são um monte de bosta bolas roxas que vão de um lado pro outro, bem parecido com os ovnis escrotos típicos de shoot'em up (ao invés de beat'em up), numa velocidade tão fuderosa que dificilmente o jogador conseguirá acertar um disparo sequer na porra do inimigo, pois a detecção de colisão do Action 52 é mais cretina que as pessoas que escutam música alta no ônibus.

No final de cada estágio, o jogador tem que enfrentar a porra de um ninja que fica correndo igual a um retardado gritando malakoi por toda a tela, de cima pra baixo, numa incrível falta total de surpresa e num método de ataque mais óbvio que tudo. E mesmo assim, como já disse antes, por conta do sistema de colisão ser a desgraça que é, as chances de se morrer são maiores que a bola de pedra que corre atrás do Indiana Jones.

E sim, quando você vencer os três ninjas de cabeça de fogo, adivinha só... looping! Pois é né...

v d e h
Action52Logo.png