Kingdom Hearts

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para navegação Ir para pesquisar
Virtualgame.jpg Kingdom Hearts é um jogo virtual (game).

Enquanto você lê, Captain Falcon chega em trigésimo.

Midna é humana! ALERTA DE SPOILER GAMÍSTICO!

Este artigo gamístico pode conter spoilers que revoltam os nerds, como o fato de que:
Tetra é a Princesa Zelda!!

Portanto, leia com cuidado.


Coração do Rei Dom
K.H logo.jpg
Logo da série
Gênero mais comum Action RPG
Desenvolvedor atual Square Enix
Publicador atual Square Enix
Plataforma de origem Playstation 2
Primeiro lançamento Kingdom Hearts (2002)
Último lançamento Kingdom Hearts III (2019)

Kingdom Hearts é uma franquia de Action RPG criada pelo Quadrado que era macio antes de virar eunuco em 2002, que conta a história de um Naruto paraguaio chamado Sora, que vivia levando sova do Michael Jackson na ilha do Peter Pan enquanto dançava Thriller e chupava sorvete de água com Sasuke e Sakura seus amigos Riku e Kairi. Sua vida, no entanto, tem uma esperada e previsível reviravolta quando uns bichos feitos de esperma preta chamado Heartless surgem do nada e começam a tacar o terror no resort tropical, forçando Sora a roubar um vibrador gigante no baú de cuecas do proprietário da ilha para exorcizar as criaturas e salvar seus amigos, alem de visitar todos os mundos da Disneylandia e ajudar os heróis da Disney a bater nos vilões dos filmes.

Origem[editar]

Cornologia
2002 – Kingdom Hearts
2003 –
2004 – Corrente de Chagas
2005 – Kingdom Hearts II
2006 – KH: Cagando e Andando
2007 –
2008 – LEGO Kingdom Hearts
2009 – Kingdom Hearts: Mil e Uma Noites
2010 – - Kingdom Hearts: Backstroke of the West
2011 – -
2012 – Kingdom Hearts 3D: Donald Deu Duro
2013 – - Kingdom Hearts HD 2.4 DoRéMix
2014 –
2015 – - Kingdom Hearts Mobile
2016 –
2017 – Kingdom Hearts: Arena
2018 – Kingdom Hearts: Dancing All Night
2019 – Kingdom Hearts III
2020 – Kingdom Hearts: COVID-19 Edition

A ideia de fazer um crossover entre Final Fantasy e a Disney teve inicio quando o fabuloso Tetsuya Nomura cruzou com o cérebro congelado do Walt Disney no elevador da Squaresoft, e os dois ficaram presos no dito cujo por 358/2 dias devido a um blecaute. Alimentando-se apenas de sorvetes de gelo (eram azuis) mandados pelos bombeiros, a dupla passava o tempo falando de RPGs japoneses e Naruto (na falta de sexo), e acabam escrevendo um fanfic onde o Cloud Strife e o Mickey Mouse salvam o mundo da Akatsuki, liderada pelo Pateta.

O primeiro jogo era só sobre encontrar os amigos desaparecidos e resgatar meia duzia de princesas da Disney da malevolente Malévola e do Bafo, que armaram um complô com Clayton, Jafar, Hades e tantos outros vilões descartáveis da Disney para legalizar um puteiro na Disneylândia, mas depois a história virou uma suruba incompreensível contendo roteiros piores que fanfic de crianças de 10 anos e cheia de furos, retcons e clones chupadores de sorvete do Sora que lutam contra clones do Sephiroth com diversas cores de cabelo diferente, imitando Neymar.

Não se sabe o que acontecerá após o terceiro jogo, mas rumores apontam Rey Palpatine e os Vingadores sendo incluídos em títulos futuros e ajudando Sora e Riku a impedirem que Jar Jar Binks use a Manopla do Infinito do Thanos para ressuscitar a Iugoslávia e o Disney CRUJ.

Jogabilidade[editar]

Imagem vazada de Kingdom Hearts IV mostram Sora e os homens Aranha e o de Ferro lutando contra Ultron e seus bots.

Como vários Action RPGs, Kingdom Hearts possui uma câmera horrível e a jogabilidade geralmente se resume em ficar pulando e apertando Button-x.png até que tudo que tiver na tela morrer. Chain of memories é uma exceção, já que você também precisa apertar L e R para trocar as cartinhas. Sora também aprende a invocar vários personagens da Disney (que não deram lucro suficiente para terem seus próprios mundos), como o Chucky, Bambi, Megamente, Pernalonga e Fuleco.

O segundo jogo também introduz fusões ménage à trois entre Sora, Donald e Pateta, alem de cutscenes no meio das lutas com chefes onde você tem que apertar os botões na hora certa para não morrer.

Além disso, também tem um minigame de navinha e você pode cantar "Under the Sea" com a Pequena Sereia, o Sebastião e o Linguado no melhor mundo de todos.

Jogos[editar]

  • Kingdom Hearts - Primeiro jogo, onde Sora descobre o Omnitrix e parte em uma jornada para encontrar Kairi e impedir seu amigo Riku de fumar baseado, ficar pobre e ir para o mau caminho. Ele conhece vários personagens de Final Fantasy (que tomam doril no terceiro jogo) e entra numa briga feia com o Squall Leonhart depois que diz a ele que sua Keyblade que abre portas e melhor que a Gunblade dele que nem da tiro.
  • Kingdom Hearts: Chain of Memories - Depois de derrotar Ansem, Sora fica com ânsia e vomita atras de uma moita, mas dai ele encontra o Castelo Rá-Tim-Bum, um lugar onde todos que entram perdem a memoria. Sora obviamente entra e se fode, tendo agora que passar pelos mesmos mundos e derrotar os mesmos chefes do primeiro jogo (só que agora jogando truco) para voltar ao normal. Ele também deve encontrar Naminé, um palette swap da Kairi que é mantida em cativeiro pelos perigosos bandidos da Organização XIII (que estão mais ocupados tentando matar uns aos outros para subir no ranking da organização do que impedir o pirralho da keyblede de estragar seus planos).
  • Kingdom Hearts II (Final Mix)- O jogo começa dentro da Matrix (que era modinha na época), onde Roxas e seus amigos sofriam bullying do Seifer e do Vivi. Depois de apanhar, Roxas vai pro quarto chorar, mas repara que o mundo não é real e decide abandonar os amigos e começar a andar com uns góticos barra-pesada seguidores do Anonymous que bebem café Três-Corações e aterrorizam os mundos da Disney com suas espadinhas de plastico. Depois disso, Sora acorda de um coma e é intimado pelo rato Mickey a salvar os mundos desses maus elementos.
  • Kingdom Hearts Coded - Sora fuça em seu diário e vê escrito "o meu tem 30 cm". Sem saber o que isso significa, ele parte em uma jornada épica cheia de cenários reciclados dos dois primeiros jogos para descobrir quem é o autor da mensagem e tirar satisfação.
Axé e Rochas relaxando e gozando depois de um duro dia de trabalho.
  • Kingdom Hearts 358/2 Days - Caça-níquel para NDS onde você controla Roxas e deve passar mais de 20 horas matando monstros para coletar EXP e puxar saco do Xemnas e dos demais membros da Organização XIII, além de socializar com Axel e Shion (primeiro clone transexual do Sora), que acaba virando purpurina de tanto chupar o sorvete do tio Axel e acaba não servindo pra porra nenhuma na história.
  • Kingdom Hearts Birth by Sleep - Caça-níquel para PSP, onde um trio de amigos (Aqua, Ventus e Terra) prestam vestibular na academia Jedi, mas só a fêmea do grupo passa, o que faz com que o Anakin Terra acabe sendo induzido pelo Palpatine a ir para o Lado Negro da Força. Enquanto isso, o clone do Sora da vez (Ventus) cruza com outro clone seu (só que do mal) chamado Vanitas, um badboy com capacete de Darth Vader que vive querendo bater em todo mundo com sua chave de plastico.
  • Kingdom Hearts 3D: Dream Drop Distance - Caça-níquel para 3DS, onde Sora e Riku roubam uma maquina do tempo para assistirem TV Colosso e comprarem armas de espoleta para consertarem os mundos que os Heartless foderam antes do primeiro jogo. A dupla também cruza com versões pacificas dos membros da Organização XIII, concertam a corcunda do Quasímodo e perdem a virgindade no programa Fantasia.
  • Kingdom Hearts χ - Joguinho para navegador de PC e para celular que tem celulite. Possui duas expansões: Lembranças de um Futuro Esquecido e Futuro Sombrio.
  • Kingdom Hearts III - Depois de lançarem Kingdom Hearts I+II HD 9.9 True Final Chapter Remix 4K, a Square não teve escolher a não ser parar com as compilações e os caça-niqueis baratos, e entregar algo novo. Neste jogo, Sora volta como protagonista e enfrenta trocentos Heartless (e Heartless com outros nomes, tipo Nobodies e Unversed) junto com Donald e Pateta, canta Frozen, brinca de boneca com Woody e Buzz, cheira o mel do Ursinho Pooh, raspa o cabelo da Rapunzel, reúne-se com os protagonistas anteriores e derrota Xehanort, Xemnas, Asnem e todos os outros Sephirots genéricos que o jogo põe contra você depois de uma luta de mais de três horas no cemitério-deserto das espadas-chave de plastico, onde a Kairi é esfolada pateticamente por um velho pedófilo, que vira adubo e vai jogar xadrez na boa com o amigo que ele apunhalou no Birth by Sleep enquanto o Sora fica sem sua miguxa.

Personagens-Chave[editar]

"Sora"
Soraviado.jpg Soraya é o protagonista da série que luta com uma chave de plástico gigante e derrota os vilões com mensagens de auto-ajuda sobre coragem, lealdade, amizade, amor ao próximo e todas os outros clichês desgastados do gênero. Acredita-se que Sora serja a autoinserção do próprio criador da série, Tetsuya Nomura, cujos pais nunca deixaram ir à Disneylandia e pro isso se imagina como um pré-adolescente de cabelo espetado que viaja pelo universo junto com os mascotes da Disney combatendo membros de uma banda de J-Pop vestidos com capas de chuva.

Seu sêmen extraido por Ansem no fim do primeiro jogo e usado pela Organização 11 para criar dezenas de clones e enriquecer os bolsos da Square-Enix.

"Mago Donald"
Donald-fuck.jpg Donald é um ex-prisioneiro nazista que foi reintegrado à Disney e virou o braço direito do rato Jerry Mickey, rei da Disneylandia. Ele também aderiu ao satanismo e fez um pacto com a Maga Patalógica para poder soltar raios, bolas de fogo e cristais de gelo em troca da sua alma. Por causa do baixo salário que recebe do rato comunista, Donald tem pavio curto e está sempre de mau humor, mas secretamente planeja assassinar o Tio Patinhas para ficar com toda a sua fortuna e comprar a DC Comics e o Star Trek para se vingar do famigerado roedor.
"Cavaleiro Pateta"
Kh-pateta-oh-naw.jpg Pateta é o chefe da guarda do castelo do Mickey, alem de ser seu escudeiro pessoal, melhor amigo e vizir. No entanto, sua aparência amigável esconde um sociopata sádico, frio e calculista que não exita em trair e sacrificar seus aliados se isso o beneficiar. Vizinho do Bafo de Onça, Pateta é um cafetão e o chefe da cracolândia do bairro; onde ele deixa seu filho Max (que não aparece nos jogos) tomando conta da Boca de Fumo, alem de também deixa-lo cometer furtos menores junto com o obeso P.J para ganhar status na comunidade e tentar ser descolado com as cadelas da faculdade.
"Riku"
Kh-riku-oral.gif Riku é um estereotipo de rival de mangá japonês, um pivete de cabelo cinza com tara por magia negra e que tem inveja do Sora porque a Kairi não quer dar para ele. Por ter trepado com o corvo de estimação da Malevola, Riku foi rejeitado pela própria keyblade, o que fez com que ele ficasse mais revoltado do que já era e sucumbisse aos poderes sedutores do Lado Afrodescendente da Força, sendo possuído pelo Ansem e clonado (para variar) por um Sephiroth loiro e nerd virgem da Organização XIII. No fim, ele decide passar o resto da vida praticando stalking no Sora e, no fim faz as pazes com o dito cujo e os dois vão plantar batata.
"Kairi"
Kh-kairi-sanduba.jpg Kairi é uma putinha ruiva e o interesse amoroso do protagonista (que é gay tapado demais para se interessar nela) que passa o primeiro jogo à merce dos malfeitores por ser uma das Sete Princesas da Disney, e portanto ter o poder de cantar Frozen para derreter a lua em forma de coração e abrir vaginas em forma de tranca. No segundo jogo, ela vira colegial e sai com a Selphie Tilmitt para cheirar cola e se embriagar for falta de atenção.
"Rei Mickey"
Mickey-feio.jpg Mickey é o filho prodigo do Walt Disney que acabou virando mascote e presidente da companhia depois que seu pai foi assassinado pelo PCC a mando dos Irmãos Warner. Mickey também é o primo rico do Jerry e era um frequentador diário do boteco do Mestre Splinter, mas parou de beber depois que conheceu o feiticeiro Gandalf, que viria a ser seu mentor e ensiná-lo a praticar bruxaria e magia negra para alavancar os negócios da empresa e transforma-la numa potencia mundial. Mickey também luta com uma keyblade por ser mais importante que o Donald e o Pateta, e passa a maior parte do roteiro desaparecido, alegando estar investigando os vilões.
"Organização XIII"
Organization XIII.jpg Organização XIII é uma Boy Band de cosplayers fãs de Final Fantasy XIII que atuam como terroristas nas horas vagas e adoram se apunhalar pelas costas. Eles não são ninguém, por isso caçam seres sem coração para se tornarem alguém.

Todos pagam pau para os X-Men, pro isso cada membro tem "x" no nome e o nome é um anagrama da pessoa em que são plagiados fumados baseados. Além do "x", para ser membro d organização é necessário se vestir capa de chuva e passar gel no cabelo, além de comprar armas de plastico gigantes para arrombar o pirralho intrometido da keyblade e os figurantes da Disney.

Ver também[editar]

v d e h
K.H logo.jpg