Jonathan Cafú

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para navegação Ir para pesquisar
DramaticQuestionMark.png
Você sabia que...
  • ...Jonathan Cafú está até agora tentando dar boa tarde para os jornalistas?
Jonathan Cafú
Boatata doce.jpg
Por ser um exímio orador, a Diretoria Jim Carrey do Corinthians pretende realocar Jonathan Cafú no setor de comunicação, já que como jogador a coisa não vai mesmo.
Apelidos Batata Doce, Cafúdido, Esquema de empresário
Nascimento 10 de julho de 1991
Piracicaba, SP
Nacionalidade Bandeira do Brasil Brasil
Posição Atacante que não faz gols
Torto, por isso consegue se enrolar sozinho com a bola
Estilo de Jogo Nenhum, já que nem jogador de futebol ele é
Influências Carlos Kaiser

Cquote1.svg Não assumo esse B.O.! Cquote2.svg
Cafu verdadeiro sobre Jonathan Cafú.
Cquote1.svg Boata, boatatato, boa tarde! Cquote2.svg
Jonathan Cafú chegando nas minas na balada.

Jonathan Renato Barbosa, mais conhecido como Batata Doce ou Jonathan Cafúdido (Piracicaba, 10 de julho de 1991) é mais um dos esquemas de empresário que caíram de paraquedas no Corinthians. Apesar de não saber finalizar, nem correr, armar, marcar ou jogar futebol, Andrés Sanchez achou que ele seria uma boa adição para o alvinegro paulista, já que ele é agenciado pela Casa Soccer, empresa que paga umas boas taxinhas quando seus atletas são contratados.

A desculpa para fazer um contrato de três anos pagando 300 pau por mêis com um atacante de 29 anos que fez seis gols nas últimas três temporadas é que ele já jogou a Champions League. O fato de que sua equipe foi eliminada ainda na fase de grupos na ocasião e que ele mal conseguiu encostar na bola é apenas um mero detalhe.

Carreira[editar]

Olha o carinho da torcida.

Jonathan Cafú era apenas um daqueles jogadores de qualidade duvidosa que jogam em times de qualidade igualmente duvidosa do interior paulista e nem por lá conseguia ser titular, até que ele foi contratado pelo São Paulo, que estava montando um elenco de peso para continuar firme em sua missão de passar dez anos sem ganhar nada, nem Campeonato Paulista.

Cafú, com suas grandes atuações que deram muitas alegrias para os torcedores do Corinthians, Palmeiras e Santos, foi peça fundamental para o tricolor paulista continuar em seu eterno jejum, e por isso era muito apreciado pelo presidente do clube, Leco, que em agradecimento pelos não-serviços prestados, o vendeu para o primeiro bobo do futebol que fez uma proposta, neste caso, o Ludogorets Razgrad, da Bulgária, que com certeza o contratou por DVD.

Na equipe búlgara, Cafú mostrou todo o seu potencial e atingiu o seu ápice, sentando no banco de reservas em uma partida de Champions e assistindo aos maiores craques do planeta jogarem bem de perto, na beirada do campo, algo que todos nós gostaríamos. Além disso, na partida contra o Arsenal, ele conseguiu o maior feito de sua carreira: marcar um gol, o que resume bem a decadência da equipe londrina: uma equipe que toma gol do Jonathan Cafú deveria ser eliminada automaticamente de todas as competições que disputa e rebaixada em sua liga nacional.

Imagina a felicidade do técnico e do carinha que iria entrar com a incrível decisão de Cafú...

Apesar do gol, seu talento não foi muito valorizado pelos búlgaros, que nos próximos anos o emprestaram para duzentas equipes diferentes, apenas para não deixá-lo junto com os demais atletas e contaminá-los com sua ruindade. Dessa forma, o protagonista deste artigo virou um jogador cigano, daqueles que um dia um time acredita, aí ele leva toda a grana do clube e espalha que a comissão técnica era gay e que as rolas da comissão técnica eram pequenas, além de vagar pelos quatro cantos do mundo sem se firmar em lugar algum, até o fatídico dia em que foi parar no Corinthians, mostrando que o único acerto em sua carreira foi na contratação do empresário.

Na equipe paulista, Cafú brindou os torcedores com aquilo que sabe fazer de melhor: merda. Por conseguir ser pior que os moleques da base de dezessete anos com físico de sabiá, sendo incapaz de chutar ou até mesmo de dominar uma bola, ele foi emprestado para o Cuiabá, reiniciando assim seu ciclo de infinitos empréstimos. Após alguns poucos jogos na equipe do Mato Grosso, a torcida foi capaz de reconhecer o talento deste astro internacional, clamando para que essa bomba seja devolvida ao Corinthians antes que seja tarde demais e o rebaixamento chegue.

Estilo de jogo[editar]

Jonathan Cafú é um atacante de beirada, todos os treinadores concordam que a posição ideal para ele é na beirada do campo, sentado no banco de reservas. Sua principal função na equipe é abraçar o treinador quando o time faz gol (e nem nisso ele mostra competência).