Invencível Armada

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para navegação Ir para pesquisar
Este artigo é relacionado à história.

Não estranhe a pederastia da Grécia Antiga. Tá bom, só um pouco.

Luteroaaaa.jpg
A Invencível Armada em mais uma de suas derrotas vitórias estilo Quico, hihihihi-hohohoho!

Em meio a uma suposta Guerra Anglo-Espanhola que nenhum dos lados oficiara que realmente estivesse rolando, a Espanha em 28 de maio de 1588 lançou ao mar rumo ao Reino Unido uma porrada de barquinhos chamada de Invencível Armada ou a Armada Invencível. A esquadra enviada por Felipe II da Espanha objetivava dominar toda a ilha do adversário anglicano dominado por uma rainha "virgem" (é o que dizem) e esquizofrênica que não tinha à época nem metade da metade do terço do quinto do pó do ouro que os hispânicos possuíam. E assim esses montaram a esquadra com mais de oito mil barcos, quantidade tão enormosa que ia da Espanha pra Flórida e voltava. Chegava a ser tipo quase tentar enfrentar o Oceano Atlântico inteiro contra 10 barcos minguados.

Mas a vida é uma caixinha de surpresas, e a "Invencível" Armada na verdade entrou pra história como uma antecessora de mais de três séculos do RMS Titanic, só que nesse caso era uma caralhada de navios invés de um só, e acabaram todos praticamente se fodendo tão rápido que chega daria pena em quem visse na época quando chegaram ao Canal da Mancha a 29 de julho - os que chegaram, porque um monte de capitão era no improviso e pelo menos umas 7000 naves se perderam ainda no caminho - e era tanto barco ainda que ficaram num engarrafamento em alto mar. Nesse imprensado, em que várias embarcações colidiram, quebraram, afundaram e tudo mais, sir Francis Drake, o pirata mais fodão da história, contratado pela coroa britânica, fez o Duque de Medina-Sidônia de gato sapato. Os poucos que guentaram o cacete saíram em disparada rumo à Espanha de novo, mas a fuga foi mais uma miséria, e a emenda foi pior que o soneto: eles foram apanhados por tempestades iguais as que dão no Sertão (ou seja, de vez em nunca) e daí só uns 5, 6 barcos voltaram pra costa da Cantábria, onde atracaram por falta de opção e coragem de chegar em Madri todos fodidos pra tomar esporro do rei.

No fim foi um prejú da porra pra Espanhóis e Portugueses - à época eles eram uma cousa só - e ajudou também os Países Baixos num futuro não muito distante darem um pé na bunda e nas partes baixas dos castelhanos que tavam dominando por aquelas bandas.

Este artigo é ridiculamente pequeno e imaturo.
Ajude esta porcaria a amadurecer!!