Império Durrani

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para navegação Ir para pesquisar


●د درانيانو ټولواکمني
●Reino Sadomazokista
●Império do Rani

Bandeira do Império Durrani (1747–1826).png
Bandeira
Durrani Empire 1747 1862 AD.png
Mapa da época que Durrani achou que seria uma boa ideia ter o Paquistão também
Capital Kandahar (1747–1776) explodida
Kabul (1776–1823, 1839–1842) explodida
Herat (1823–1862) explodida
Língua pasto
Tipo de Governo Monarquia fundamentalista
Amado Chá do Rani à Chá Sujo do Rani
Moeda leite de burra
População -



Império Durrani foi a segunda tentativa de criar o Afeganistão depois do primeiro fracasso que tinha sido o Império Hotaki, dessa vez a ideia vingou e temos aí esse país até hoje. Como esperado de uma nação que desejava ser o Afeganistão, o Império Durrani foi um país pobre, desconhecido, desrespeitado pelos vizinhos e com uma história cheia de guerras e coflitos.

História[editar]

Criação[editar]

O criador do Império Durrani foi um afegão chamado Amado Chá do Rani, ex-tesoureiro de Nada de Chá - o fundador do Império Afsharida que saqueou a Índia - quando Nada de Chá morreu, Amado Chá do Rani foi muito perspicaz em pegar parte desse tesouro e fugir para umas montanhas inóspitas do leste onde criou sua própria nação. Inicialmente colocaria o nome de "Afeganistão", mas com medo de que esse nome pudesse chamar a atenção de potências bélicas do mundo, ele repensou a decisão e chamou o nome país do seu sobrenome, Durrani.

Expansão[editar]

Depois de chegar na cidade de Kaboom e criar o seu próprio país sem que ninguém contestasse a ideia, a primeira coisa que Amado Chá do Rani fez foi começar a conquistar tudo de novo, reunindo vários fanáticos por guerras e tretas para reconquistar as várias cidades afegãs e o Paquistão inteiro, onde aliás deixou seu filho Temor do Chá do Rani governando.

Depois manteve a tradição de seus antepassados e também foi conquistar o Tadjiquistão, o Uzbequistão e o Turcomenistão, resultando na Trigésima Sétima Grande Invasão de Afegãos no Uzbequistão. Na época a UNESCO determinou que invadir o Uzbequistão deveria se tornar esporte nacional no Afeganistão por ser uma prática culturalmente praticada continuamente ao longo dos séculos. O Império Durrani só não foi muito longe porque a Dinastia Qing, ao contrário de outras dinastias chinesas, demonstrou interesses em desertos inóspitos também e expandiu as fronteiras da China até o Império Durrani.

O grande destaque dessa expansão toda, porém, foi a guerra do Império Durrani contra o Império Maratha, uma invenção que deu tão certo que é culturalmente praticada até hoje. Como o Império Durrani assumiu controle total sobre o Paquistão, o mais natural é que mantivesse a tradição de seus irmãos muçulmanos e fossem fazer guerra com a Índia, com a única diferença que nessa época o Império Durrani teve uma ideia que poucos tiveram antes, ele declarou jihad contra a Índia, termo religioso que obriga até o mais pacato pastor de ovelhas se armas até os dentes para exterminar o inimigo da face da Terra, resultando na sangrenta guerra pelo território de Panicat, e para manter a tradição dos paquistaneses, a guerra deu em nada, exatamente como é até hoje.

Guerra civil[editar]

Quando é creditado ao Império Durrani as raízes do Afeganistão como nação independente e com sua identidade nacional própria, não é exagero. Além da mania de fazer jihads que foi inventada pelo Império Durrani, uma outra mania afegã muito comum foi inventada em 1772 também pelo Império Durrani, a mania de fazer guerra civil. Isso aconteceu quando Amado Chá do Rani morreu e foi sucedido pelo filho Temor do Chá após este precisar ter matado os demais 7 sucessores à coroa. Temor do Chá, por sua vez, teve três filhos, então quando morreu o Império Durrani passou por mais uma guerra civil, e assim sucessivamente, sempre que um novo rei morria a população já sabia que talvez fosse precisar matar o vizinho em mais uma guerra civil.

Queda[editar]

Como Ayub Shah Durrani não teve filhos e só fez merda, a ultima guerra civil do Império Durrani foi ainda pior, porque agora ao invés de uma guerra entre duas ou três facções para cada filho, dessa vez a guerra foi de cada um por si e quem sobrevivesse virava o novo rei. Quem venceu a guerra civil foi Dost Mohammad Khan, que criou o Emirado do Afeganistão alegando que para terminar esse ciclo de guerras civis intermináveis seria melhor transformar o país num protetorado submisso ao Reino Unido, uma ideia que obviamente desagradou os fanáticos afegão que são amantes de guerras civis e logo quando Dost foi deposto, Shah Shujah Durrani assumiu para tentar reerguer o Império Durrani, mas ele foi muito incompetente em criar novas guerras civis e acabou sendo o último xá Durrani, porque o Emirado foi recriado depois dele.