Imer

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para navegação Ir para pesquisar
Viking dinamarca.jpg Ek est årtikkel Vikingen!

Este artigo veio das frias terras dinamarquesas! Ele gosta de remar, louva Odin e o Deus Metal, não tem nenhum senso de privacidade ou de educação e seu autor chegou ao Valhalla. Não vandalize ou envolva a Finlândia neste artigo!


Imer é um dos Jötunn (uma maneira chique e bem aviadada de se falar que ele era um gigantão) e o primeiro ser vivo da mitologia nórdica. Apesar de ter muito suposto filho de Viking que nasceu no interior da Paraíba e que ama de coração essa mitologia, o porquê desse bichão feio pra cacete existir na realidade é tão idiota quanto você. Ele nasceu de umas gotas de veneno que caíram dentro de um rio, sendo que esse veneno caiu de Ginnungagap (não, esse nome que você acabou de ler não é uma tentativa falha de Ruth Lemos ao pronunciar algo), o suposto conceito de "vazio" do burro povo nórdico pra explicar a existência de tudo a partir do nada(e se tu acredita em Deus não pode julgar os burrinhos vikings não, ok amiguinho?).

Origem e Vida[editar]

No princípio criou Deus o céu e a terra. E a terra era sem forma e sem vida... Opa! Foi mal, tava ouvindo a bíblia narrada pelo Cid Moreira e acabei me empolgando. No inicio tinha um enorme abismo chamado Grand Canyon Ginnungagap que ficava entre Curitiba e Mossoró. Da mistura do gelo e do fogo, junto com a presença de um rio e de veneno (que putaria!) nasceram o gigante Imer e a vaca Aldumbla.

Imer estuprando chupando o peito de Aldumbla enquanto ela geme intensamente de prazer e fica encarando sua próxima vítima.

No começo, o macho viril que acabou de nascer viu que tinha porra nenhuma pra fazer, e percebeu que só tinha uma vaquinha pra brincar, então logo foi fazer o que todo mundo faz quando tá sozinho com um bichinho todo inocente por perto: fazer carinho, claro. Só que a vaca era uma vaca mesmo, e quando viu que o gigante, puro que só ele, não ia fazer nada com o mamífero que saiu da fenda de Ginnungagap, resolveu dar um coice fodido no crânio do Jötunn. A moleirinha do recém-nascido afundou com o coice, e ele começou a ficar safado e retardado para a felicidade da leiteira.

Feliz que só ela, a vaquinha pacificamente ficava dando leitada pro Imer enquanto ele, nos seus intervalos em que não tinha porra nenhuma pra fazer (vulgo toda hora), levava esporrada por trás do agora doente mental gigante e dormia feliz, pensando em quanto capim ia conseguir comer pra alimentar seu amado.

Só que, como na época o universo e tudo o mais mal havia sido criado, a invenção do Rexona e Axe ainda não tinha sido feita. Com isso, ele dormiu e de suas axilas peludas e verdadeiras culturas de bactérias gigantes nasceram dois seres; um homem e uma mulher, que ao verem que saíram do suvaco de um bicho que parece sobrevivente da guerra do Afeganistão, saíram correndo o mais longe possível a fim de nunca mais terem que encontrar algo tão horrendo quanto.

Só que isso não é tudo - o cara ficou tão doente mental que de quebra também virou podólatra (puta merda!) e, de alguma caralha de maneira, os seus pés cheios de tesão começam a comer um ao outro e geraram uns bichão de 6 cabeças, enquanto do seu suor que foi feito através da putaria que rolou entre a sua sessão de autofodimento nasceu todo o restante da vida, incluindo os satanases e duendes, chamados trois (não aqueles da internet, o bicho).

Morte[editar]

Aldumbla lambendo a cabecinha de Buri. Nota-se que na época a beleza não era um fator predominante para os Vikings

Enquanto a vaquinha Mococa Aldumbla lambia o sal do gelo porquê tava com vontade de tomar picolé de cloreto de sódio, ela acabou descobrindo o cabelo de um homem. Como era burrinha e achou que era capim, ela continuou a lamber; no segundo dia toda a cabeça saiu e, percebendo que era mais um ser vivo pra ficar chupando a sua teta até pedir arrego, continuou lambendo pra conseguiu desgelar todo o corpo dele. Quem saiu de lá foi Burro Buri, o primeiro dos deuses nórdicos. Como o Buri tinha acabado de ser descongelado pela melhor fonte de alimento do lugar, ele agradecido e cheio de tesão (mas esse povo nórdico gosta mesmo de sexo, viu?) gerou Tor Bor, que se casou com a gigante Besta Blesta e teve os três deuses Æsir Odin, Vili e Vé; desses você provavelmente só conhecendo Odin graças á Marvel.

Como esses deuses assim que nascem já vêm com o pau duro em direção de qualquer coisa que mexe, eles resolveram ser a mudança do lugar e chegando já fazendo algo de peso - matando o Imer, que tava só na dele dormindo enquanto vários humaninhos saíam de seu suvaco. O bicho era tão grande, mas tão grande que o sangue que derramou dele foi de uma quantidade capaz de quase matar todos os gigantes de gelo, por pouco exterminando toda a raça por motivos de... foda-se; mas Bergelmir e a esposa dele conseguem sobreviver pra recriar a raça, agora obviamente putassa com os deuses malandrões.

Com o corpo de Imer é feita a terra e tudo que existe, sendo que os vulcões são uma representação da virilidade e esperma querendo sair quando veêm a raba de uma giganta balançando por aí. Do sangue dele é feito o genocídio dos gigantes o oceano, dos dentes e ossos esmigalhados veêm as pedras de crack e todo o caralho cascalho existente, e das larvas do ser cadáver os elfos e os anões nascem (mas que gente de bem!). Do crânio dele é feito o céu (mostrando o quão vazia e imbecil era a sua cabeça), do seu cérebro as nuvens (outro exemplo de seu magnífico intelecto), de seus cabelos toda a maconha vegetação e de seus ossos empilhados as cadeias pros bandidos de montanhas.

Familia[editar]

Uma família muito unida, como você pode perceber nesse belo porta-retrato.

Como dito antes ele nasceu do encontro de Curitiba, de Mossoró, de um rio e de veneno; logo ele é mais um dos membros do grupinho de órfãos que não tem pai ou mãe (avá); ou você pode considerar que toda essa suruba de coisas sem vida geraram o retardado primordial. Como Aldumbla nasceu da mesma maneira eles poderiam ser considerados irmãos, os dois gigantes que nasceram do suvaco podem ser considerados os filhos, e os seres nascidos de seu suor e o ser de seis cabeças são coisas bastardas que não deviam ser consideradas vidas válidas (eles nasceram da suruba entre a porra dos PÉS dele), e como Blesta é uma giganta e portanto sua descendente, Odin, Vili e Vé mataram um de seus ancestrais, do mesmo modo que aconteceu com Tiamat (a deusa, não aquele item que a gente builda pra Fiora no LoL ou o dragão de muitas cabeças).

Deuses vs Gigantes[editar]

Yoda bebezinho.jpg
Do futuro, este artigo ou seção trata. Baseado nas premonições do Mestre Yoda, tudo que está escrito a partir daqui foi.
Clique aqui para mais premonições do Mestre Yoda você ver.

Como dito antes os gigantes quase foram extintos por causa dos deuses, embora algumas fontes dizem que eles já se quebravam no pau antes, mas de qualquer forma eles se quebram no pau, essa história termina no Ragnarok (a batalha não o jogo) quando eles vão cair no pau pela ultima vez, os Gigantes de gelo e de fogo, junto com Loki (que também é um Jotun) e seus filhos Fenrir e Jomugangue (espero ter escrito certo), os mortos e Trois lutaram contra os deuses causando muitas mortes (por pros vigkings os deuses morrem) e o rei dos gigantes de fogo Surt trará chamas que queimaram os mundos, mas sendo derrotados, avera poucos sobreviventes a isso mas depois avera um mundo bem melhor que esse.

Sobre Surt[editar]

A teorias que Imer não fosse o primeiro ser vivo mas sim Surt, nascido do fogo primordial sendo o inicio da vida e o fim dela também, mas isso é teoria não se pode disser que isso é uma verdade absoluta.

Ver também[editar]