Fortaleza de Diyarbakır

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para navegação Ir para pesquisar
Este artigo é um
Patrimônio Mundial da Humanidade.

Pode ser uma ruína, uma cidade
de merda, um matagal abandonado,
mas está protegido!

World Heritage Site logo.png

Leitura recomendada apenas para
pessoas com cultura.

A UNESCO monitora este artigo.


Fortaleza de Diyarbakır foi apenas uma tentativa mal sucedida dos turcos em imitarem a Grande Muralha da China, quando construíram quilômetros de muralhas, como se isso pudesse impedir qualquer invasão, sendo que todo invasor apenas circunda estas inúteis muralhas e facilmente praticam seus atentados terroristas e se explodam tranquilamente em Istambul, Ancara ou Bursa.

História[editar]

As muralhas de Diyarbakır. Protegendo o nada do nada, considerada pela UNESCO em 2015 como a segunda fortaleza mais inútil do mundo (a Fortaleza de São José de Macapá é imbatível nesse aspecto).

O local começou como uma cidade romana da província de Amida, uma função orgânica muito desconhecida e desimportante. A cidade era tão imprestável que alguém teve a brilhante ideia de derrubar tudo e usar os restos das ruínas para erguer uma muralha gigantesca e quilométrica, graças à toda excentricidade do imperador Constâncio II, que por volta do ano de 350 queria construir uma muralha em torno de todo Império Romano, algo que não conseguiu, por fadiga de seus engenheiros tangamandapianos e baianos, cujo resultado foi apenas esta muralha de Diyarbakır, que é tão inútil que não impede a cidade de Diyarbakır ser ataca e explodida constantemente por terroristas.

Ao longo dos anos, romanos, sassânidas, bizantinos, islâmicos e otomanos revezaram no controle da fortaleza, ma sinfelizmente nenhum teve vontade de desativar e demolir essa construção gigantesca no meio do nada, então em 2015 a UNESCO declarou o local como patrimônio mundial, por ser um exemplo incrível de como a humanidade sabe perder tempo construindo coisas sem sentido.

Arquitetura[editar]

A fortaleza trata-se de uma muralha de 5.8 quilômetros de extensão, sendo uma versão falsificada, genérica e desconhecida da Muralha da China. Em seu interior está o castelo İçkale, que está abandonado.

Um ponto importante da fortaleza são os jardins hevsel, que consistem num lamaçal que interliga o rio Tigres à cidade de Diyarbakır, que originalmente deveria servir de terreno para a cidade resistir a cercos e sítios, na prática serve apenas para todos na cidade diariamente sentirem o cheiro de estrume que vem dessas alagações.