Flora Gomes

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para navegação Ir para pesquisar

Cquote1.svg A gente só inventou o cinema porque sabia que Flora iria trilhar esse caminho vitorioso Cquote2.svg
Irmãos Lumiére sobre Flora Gomes
Cquote1.svg Só fiz aqueles troço lá pro cara me filmá Cquote2.svg
Jesus Cristo sobre Flora Gomes
Cquote1.svg Ô meu rei, Flora é melhor do que comer Vatapá na praia e reclamar do imperialismo americano. Agora me passa uma água de cocô que eu estou aperreado hoje Cquote2.svg
Glauber Pedra sobre Flora Gomes

Sim, além de ser o único homem chamado "Flora" do mundo, Flora também é o único cineasta da Guiné-Bissau. Aqui o vemos com seu maior fã, Hélio de la Peña

Cineasta e maior orgulho da Guiné-Bissau, Flora Gomes (31 de fevereiro de 1949). Já foi muitas vezes comparado em complexidade ao diretor estadunidense David Lynch, em magistralidade ao cinema de Ingmar Bergman, em beleza pictórica ao de Akira Kurosawa e em surrealismo vanguardista ao de Luis Buñuel.

Poucos conhecem, mas Flora, que se considera como um outsider experimental de arte e todos aqueles adjetivos de viado que intelectual insiste em colocar, traçou definitivamente os rumos da Sétima Arte. Clássicos como "Amor Sem Conjugação Espaço-física" foram definitivos para a criação da Nouvelle Vague, por exemplo. Hoje, seus filmes estão espalhados entre os museus do Senegal e da África do Sul, visto apenas por amantes, fãs obscuros e aqueles que realmente conhecem e respeitam o cinema. "Não se entende cinema sem antes entender Flora Gomes", diz o grande teórico russo Aistorv Kokoh.

Carreira ímpar na filmografia internacional, Flora é mais conhecido por seu cinema humanista-transcendente com traços surrealistas. Porém, há aqueles que admiram a fase Western do diretor, que vai, basicamente, de 64 à 69 (com a pequena interrupção do longa "Jesus", feito para a TV Bangladesh como especial de páscoa). Além disso, Flora teve uma pequena queda pelo Terror na metade dos anos 70, dirigindo três filmes do gênero em 75, com destaque para "Epidemia Mortal".

Biografia de Flora[editar]

Flora em momento de descontração

Flora Gomes nasceu no dia tal do mês tal do ano tal, na aldeia de Muzhumbo na Guiné-Bissau. No dia seguinte Flora filmaria seu primeiro longa, o filme "A alegria do africano quando recebe um passe da grande área". No mesmo dia ele também descobriria a cura do câncer, a vida em Marte e inventaria os sites de putaria, mas não conta para ninguém.

Porém, como todos nós sabemos, a vida de cineasta na África não é fácil. Africano é mais miserável que mendigo no Piauí, mais fodido que puta em quartel, mais faminto que somaliano depois de tomar Biotônico Fontoura. Mas isso não foi impedimento para Flora Gomes. Ele ainda filmaria mais dez longas e incontáveis curtas (mais curtos que esse seu negócio aí) em sua fase africana. Mas Flora também era uma alma filantrópica. Mesmo fazendo filmes com uma miséria de orçamento, ainda dividia o lucro de seus filmes com diversas instituições carentes. Assim, cada instituição poderia comprar um clipe de papel e alguns barbantes.

Felizmente para Flora, os filmes caíram nas graças dos intelectuais e o cineasta ficou rico, famoso e conceituado. Ele fez diversos filmes nessa fase, incluindo "Aqueles que foram e voltaram repetidamente novamente" e o clássico "Citizen Motumbo", considerado a inspiração de Cidadão Kane.

Hoje Flora Gomes continua filmando, para deleite dos pseudo-cult. Mas todos sabem que a única maneira de realmente apreciar seus filmes é ver todos os filmes dele (um número maior que os algarismos de pi) em película num cinema chinfrim da Bahia.

Sobre o Mestre[editar]

Muitas pessoas dizem que LSD não é abreviação de Lucy in the Sky with Diamonds, como os cientistas fãs de Beatles tentam fazer crer, mas de Liwyt Syawq Djemba, que em dialeto swahili quer dizer: "Flora Gomes não só é o maior cineasta de todos os tempos, como é o espírito procrastinador da ideia de vida sacra e catalisador de todas as nobres emoções humanas, acoplado à fina certeza de possuir um aparato bélico superior aos dos demais países franco-belgas".

Em 2003, foi encontrado na casinha de cachorro de Andrei Tarkovski uma carta de Flora que, escrita em russo e datada de 78, teria influenciado o diretor a filmar "Stalker".

Flora Gomes não ilumina apenas os que procuram arte no cinema, pois seu campo de atuação é tão vasto como são brancos seus dois dentes (um em cima e outro embaixo, sendo ele mesmo um exemplo vivo de simetria poética). Flora também é ator, cantor folk, limpador de piscinas, prestigiador, vendedor de sorvete palitão na praia, promotor de eventos com as mais belas e requisitadas garotas, campeão de sumô e analista de sistemas, sendo em todos esses campos exemplo de qualidade e perseverança.

Flora também foi longo colaborador de Jay Jay L.L., aquele que é expoente máximo da fotografia no cinema. Jay, o maior diretor de fotografia que já existiu, uma vez iluminou o Madison Square Garden usando apenas uma vela e duas moedas de 10 cents para rebater a luz, para um filme de Flora Gomes. Dizem os pesquisadores que numa determinada cena do filme (intitulado "Três pontos de Luz e Ficou Bonito"), Flora pediu uma luz mais romântica e Jay Jay, para reduzir custos, pediu um espelho de maquiagem emprestado da maquiadora e rebateu a luz da lua no rosto dos mais de 550 figurantes. Foi Jay Jay também que inventou a bateria de moto que aguenta até 100 refletores de 2KW.

Filmografia[editar]

Ainda não se sabe muito sobre todas as obras do mestre Flora Gomes. Muitas delas foram vistas apenas uma vez e logo depois transformadas em sabão. Espero que alguma alma caridosa que possua conhecimento venha aqui e trate de completar essa brilhante filmografia:

  • 1958 - Viva Mandela!
  • 1958 - Viva Mandela! - Um Ensaio em 37 Frames (curta-metragem perdido, considerado por estudiosos como o precursor do making of)
  • 1959 - Os Grilos do Sul Gritaram Aurora (Curta)
  • 1959 - Amor Sem Conjugação Espaço-física
  • 1961 - Revés Humano em Sociedade Matriarcal
  • 1961 - Poeira em Alto-mar
  • 1962 - O Problema da Palha Seca
  • 1964 - Pistoleiro Sem Dedo
  • 1964 - Sangue em Beirut
  • 1965 - A Pistola Prateada Imaculada Sagrada
  • 1965 - Jesus (TV)
  • 1966 - O homem que descascou milho e arroz e não lavou a mão depois
  • 1968 - Django-Djemba
  • 1969 - As Aventuras de Sartana no Senegal
  • 1969 - As Aventuras de Sartana no Deserto do Saara
  • 1969 - Onde os Reis Vão Cair Para Que a Liberdade Nunca Passe a Ser Algo
  • 1970 - Já Fui Antes Por Nunca Ter Voltado Depois
  • 1971 - Não Sei Por Que Diabos Voltei Se Já Havia Ido
  • 1972 - As Longas Tranças do Rei Careca
  • 1972 - O Banguelinho Chupador de Cana
  • 1973 - Os Padres da Sinagoga não Estarão Mais Lá Depois de Amanhã
  • 1973 - Três Pontos de Luz e Ficou Bonito
  • 1974 - A Volta dos que Não Foram
  • 1975 - Epidemia Mortal
  • 1975 - O Vale dos Caramujos Canibais
  • 1975 - Epidemia Mortal 2: O Retorno da AIDS.
  • 1976 - Longe é um lugar que existe sim, mas é longe
  • 1977 - Mestre Dendê e Salsa parrilha na terra do dragão americano da capoeira de Sinhôzinho malta
  • 1979 - Django-Djemba
  • 1980 - Citizen Motumbo
  • 1980 - Mogamba Ogada Mobumba
  • 1981 - Como você tem coragem de me dizer que Nelson Mandela foi o melhor presidente que este país já teve?
  • 1982 - O Ocaso do Ovo na Rampa de Ponta-Cabeça
  • 1982 - Tou Roin Domav El (co-produção Svensk Filmindustri)
  • 1982 - Pelo Prazer de Capotar na Lama
  • 1983 - Protesto da Ragazza Sem Calcinha

(Flora Gomes ficou 24 anos sem filmar, devido ao efeito que lhe causou a morte lamentável de seu fungo de estimação. O fungo nasceu numa roupa que ele esqueceu de lavar, e desenvolveu tamanha relação de afeto com o cineasta que ele nunca mais lavou suas roupas e estava feliz vivendo em comunidade com seus pequenos e repulsivos amigos).

  • 2007 - Pélvis (Pós-Produção)

Curiosidades[editar]

  • Citizen Motumbo é considerado a inspiração de Orson Welles para fazer Citizen Kane. Infelizmente este foi um fiasco e Orson Welles se comeu até a morte.
  • "Django-Djemba" quebrou barreiras ao ser o primeiro filme em que todos os personagens são avestruz de bigode falso.
  • "O homem que descascou milho e arroz e não lavou a mão depois" é o primeiro filme no mundo falado só com rimas.
  • A película de "Mogamba Ogada Mobumba" vendeu tanto que ganhou DVD de urânio enriquecido.
  • "Mestre Dendê e Salsa parrilha na terra do dragão americano da capoeira de Sinhôzinho Malta" foi o filme completamente financiado por Glauber Rocha, que deu dez centavos e um caldo de cana para o filme ser feito.
  • Seu filho Cid Gomes é senador do Ceará e, nas horas vagas, praticante de manobras radicais com retroescavadeiras.

Críticas a Flora Gomes[editar]

Elenco do filme "O elefante veio e matou e matou o meu cunhado, agora quem cuidará das hienas?"

Algumas criaturas bizarras, monstruosas, comedores de bebês e outros adjetivos terríveis semelhantes acusam Flora Gomes de ser uma farsa e ter tirado suas ideias dos filmes do tadjique Rebadjinkjnlijn Ovdjtjzjin. Outras criaturas morféticas, macambúzias e afeminadas dizem que Flora não possui conteúdo, quando o próprio já afirmou que tem sim conteúdo, aliás muito. Só a alguns meses foram achados mais de 5 rins e corações de todas as cores dentro dele, mostrando que ele tem conteúdo de sobra.

Todos esses senhores são idiotas e incompetentes e não entendem nada do famoso cinema outsider experimental africano starving morto de fome.

Outras opiniões sobre Flora Gomes[editar]

Cquote1.svg Flora Gomes é a síntese do cinema Cquote2.svg
Jean-Luc Godard sobre Flora Gomes
Cquote1.svg Flora Gomes é o maior gênio da face da terra Cquote2.svg
Luchino Visconti sobre Flora Gomes
Cquote1.svg Eu sou da turma do Flora Cquote2.svg
Akira Kurosawa sobre Flora Gomes
Cquote1.svg Flora Gomes é a verdade yntrýnseca contra a burguesýa e o ymperyalysmo amerycano, meu rey! Cquote2.svg
Glauber Rocha sobre Flora Gomes
Cquote1.svg Não sei onde estava com a cabeça quando reclamei dos curtas de Flora Gomes Cquote2.svg
Maria Antonieta sobre Flora Gomes
Cquote1.svg Flora Gomes é do caralho, porra! Vá se foder quem não gosta desse puto! Cquote2.svg
Dercy Gonçalves sobre Flora Gomes
Cquote1.svg Eu vi todos os filmes do Flora em película aos 12 anos de idade na Walter Cquote2.svg
Deus sobre Flora Gomes

Statuette.jpg