Ferenc Puskás

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para navegação Ir para pesquisar
Marco Naty dentes.jpg Este artigo é sobre algo ou alguém com falta de beleza!

Não nos responsabilizaremos por qualquer dano em sua visão ou vontade de continuar a viver.
Alguma foto do Fernando Holiday pode estar neste artigo.

Cquote1.svg Eu sempre ia no mineirão ver os jogos dele Cquote2.svg
Carla Perez sobre Ferenc Puskás

Cquote1.svg Preferia ver o filme do Pelé Cquote2.svg
Chavez sobre ler esse artigo

Cquote1.svg ...Ronaldo! Cquote2.svg
Zina sobre Ferenc Puskás

Cquote1.svg Ferenc Puskas tem 13 letras Cquote2.svg
Zagallo sobre Ferenc Puskás

Cquote1.svg Não tem não, tem 12 letras Cquote2.svg
Você mostrando que entende de matemática sobre comentário acima

Cquote1.svg Tu traiu o movimento húngaro, veio! Cquote2.svg
Dado Dolabella sobre Ferenc Puskás depois de ir jogar na Espanha

Cquote1.svg Saque do goleiro Cquote2.svg
Narrador do campeonato brasileiro 96 sobre chute certeiro no gândula de Ferenc Puskás


Ferenc Fuscas Puskás Biró (Budapeste, 01 de Abril, 1921 - 17 de Novembro, 2006) foi um jogador de futebol húngaro, que você só conheçe porque ele está no PES SHOP do seu Winning Eleven. Era canhoto, porém sabia bater punheta com as duas pernas. Nasceu em Bundapeste, capital de Argentina Hungria. Era gordo, não tão baixo e feio, assim como os jogadores da atualidade.


Ferenc Fuscas Puskás na sua melhor forma.

Puskás e sua longa carreira[editar]

Puskás começou cedo no narcotráfico futebol, já treinando com a bola do filho do vizinho (não essa bola que você está pensando). Depois de entrar na categorias de base de um time qualquer da Hungria foi apelidado de Major Cavalgante, devido aos seu comportamento na concentração. Depois de marcar o único gol do seu time, o Honvéd, no campeonato de futebol de botão de 1945, foi vendido para o Real Madrid, onde ganhou seus primeiros títulos: 7 taças da dama espanhola, 5 Torneios de truco do interior e foi bissexual campeão de par ou ímpar de Veneza Valência.

A seleção húngara sempre se destacou pelo bom comportamento em campo.

Na seleção húngara, Puskás nunca ganhou nada, e via seu time sempre perder para seleções de baixo nível, como Seleção do Acre, Seleção da Nike, Tabajara Futebol Clube e outros. Então Puskás caiu no mundo do cheiramento de gatinhos, fazendo com que invés de marcar gols e tirar sua equipe do brejo, ele ficasse ocupado espionando a vizinha espanhola e jogando truco num barzinho. Como já não ajudava mais na Hungria, e como estava arrebentando a canela dos adversarios na espanha, decidiu trocar a seleção do seu país pela seleção da espanha, pra ver se lá ganhava um sálario decente que desse pra sustentar seus vícios e ainda os oito filhos bastardos e as 4 ex-mulheres. Foram 84 gols em 85 jogos entre 1945 e 1956.

Na seleção espanhola, Ferenc Puskás começou a jogar bem mal, e fez sua seleção ficar em 4º lugar no triangular final da Copa Lo Bagasso, foram só 4 partidas. Puskás saiu do Real Madrid depois da conquista pela última vez do seu último título final no Real Madrid: O campeonato de juniores, já aos 30 anos de idade. Jogou ainda por mais duas equipes fracas, uma do Brasil e outra da Inglaterra. Puskás morreu em 2006, por overdose de Cogumelos Alucinógenos.

Recordes do Capitão Cavalgante[editar]

Puskás quebrou muitos recordes, abaixo a lista de alguns deles:

  • Maior campeão do campeonato húngaro de 1950, ganhando todas as edições desse lendário torneio.
  • Primeiro jogador a marcar gol no empate em 0x0 da Hungria com a Inglaterra
  • Campeão mundial de xadrez dando passe pro gol de Allejo
  • Primeiro jogador à receber 3 cartões amarelos em uma partida.
  • Prêmio de Melhor jogador do São Paulo Fashion Week.
  • Eleito o melhor jogador húngaro da história porque era o único que sabia jogar.