Fabiano Baldasso

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para navegação Ir para pesquisar

Fabiano Baldasso, também conhecido como Fabiano Baldoso, Fabiano Viadasso ou Fabiano Calvasso, é um jornalista, influenciador digital (que não influencia ninguém nem porra nenhuma) e nas horas vagas é agente de turismo na empresa de seu xará, a Agência Fabiano Chu Passeios.

É conhecido como o Milton Neves gaúcho devido a sua estratosférica quantidade de patrocinadores e sua cabeça de arrombar navio avantajada.

História[editar]

Baldasso mostrando todo o seu amor pelo Inter

Filho da Elma Maria Baldasso com um imigrante italiano, Giuseppe Picadura Baldasso, Fabiano nasceu na cidade de Carlos Barbosa, Rio Grande do Sul. Como garoto do interior, aprendeu a pegar na enxada desde guri, mas como a vida simples de agricultor não lhe seria o suficiente pra arrumar seu próprio rancho, ele resolveu ingressar no jornalismo, que também não é grande coisa, mas pelo menos dá pra enrolar e ficar sem fazer nada enquanto vive de mensagens no Zap para os contatos das surubas e dos churrascos.

Como torcedor do Juventude, ele sabia que não ganharia um tostão se ficasse limitado a cobrir notícias dos times do interior, para os quais a maioria do estado caga e anda, por isso resolveu concentrar seus esforços na dupla grenal. Assim como todo jornalista gaúcho que teme pela própria vida, ele não assumiu publicamente nenhum dos lados, mas sabia que seus colegas de profissão eram em grande maioria mais tendenciosos para o lado azul, o que faz todo sentido se pensarmos que o Grêmio é o maior clube de RS e o que possui a maior torcida. Foi aí que Baldasso teve a ideia de começar a fazer justamente o oposto: puxar sardinha para o lado vermelho[1]. A príncipio essa tática não deu muito certo, até porque ninguém torcia pra um time que não ganhava nada e sempre era cadelinha da rival. Mas aí vieram os anos 2000 e o maior ídolo da história do Binter, Adriano Gabiru, apareceu para dar luz e colocar aquele time sofrido no mapa. Foi aí que finalmente começaram a aparecer (alguns) torcedores do Inter e jornalistas que pendiam pro lado vermelho, e como Baldoso Baldasso havia sido o pioneiro disso tudo, ele (finalmente) começou a fazer um baita sucesso. Havia uma época, que segundo o próprio, ninguem dava mais furo no RS que ele.

Cquote1.svg AQUI NO RIO GRANDE DO SUL, NENHUM OUTRO JORNALISTA DÁ MAIS FURO DO QUE EU!!! Cquote2.svg
Fabiano Viadasso

E assim, Baldasso ganhava a vida tranquilamente falando a merda na versão gaúcha do Donos da Bola, que assim como o Neto em São Paulo, precisava de um integrante clubista que puxava a sardinha descaradamente pra algum clube, até que aos poucos a internet foi crescendo cada vez mais e assistir TV passou a ser coisa de velho que não consegue se adaptar os novos tempos. Percebendo que ficaria desempregado em questão de anos, Baldasso resolveu aderir a moda da geração millenial e virou iutuber, assumindo de vez seu coloradismo (que como já foi bem dito, é fake) e passando a falar diretamente para o público colorado que é trouxa o suficiente pra acompanhar esse interesseiro nas redes sociais. Mas todo mundo sabe que quem dá audiência pro canal dele são os torcedores dos outros times que sempre aparecem nas lives pra mandar pegadinhas e rir da cara do pobre do Baldasso que sempre se fode já que seu time sempre nada, nada e morre na areia da praia.

Patrocínios[editar]

O único patrocínio que Baldasso não conseguiu até hoje

Baldasso possui mais de 8 mil patrocínios, que vão desde redes de supermercados até fabricantes de pés de mesa. O mais conhecido de todos é sem dúvida o Ativo Ultra, um viagra cuja empresa é de um amigo dele, o Jalim Rabei, e que ele usa pra conseguir acompanhar a Monique, sua mulher que por sinal é 20 anos mais nova e todo mundo acha que é filha dele, na hora da foda. Obviamente todos sabem que esse casamento é fachada porque o verdadeiro amor do Baldassinho é o Abelão, com quem ele tem sonhos eróticos toda noite e até compôs uma canção de amor:

Lá vem o Abelão
Cheio de paixão
Te catar, te catar, te catar
Lá vem o Abelão
Cheio de paixão
Te catar, te catar, te catar
Eu quero que o Abel
Me aqueça nesse inverno
E que o Coudet
Vá pro inferno

Comentários[editar]

Como comentarista de futebol, Baldasso é um ótimo influencer. Ele não manja nada de técnica ou de tática e só sabe fazer referência a "grande história do Internacional", que como bem sabemos começa em 2006 e acaba em 2010 com a dancinha do Kidiaba. Defende o Abelão com unhas e dentes por ele ser o "maior treinador da história do Inter", embora ele não tenha noção nenhuma de como montar um time, joga sempre na base do chutão pra frente e na esperança por uma bola espírita e só consegue trabalho hoje em dia por causa do gol do Gabiru em 2006. É também um defensor incontestável do futebol reativo (pra ele, ativo só o viagra que ele faz merchan), que consiste em colocar 10 jogadores atrás do meio campo e jogar na base do balão pra frente, na esperança de que o centroavante consiga de alguma maneira encontrar a rede. Não se sabe como ele ainda não pediu pro Carille comandar o Inter. Também defende com unhas e dentes a base do Binter, que apesar de não revelar ninguém desde Taison e obrigar a direção a comprar fora jogadores de 17-18 anos pra repor o elenco, continua sendo "uma das melhores do Brasil".

Cquote1.svg Quando o Tinga tava nesse meio-campo o Inter era muito melhor! Cquote2.svg
Fabiano Baldasso

Referências

  1. Como já foi mencionado, essa parcialidade pro Inter tinha motivos financeiros

Ligações externas[editar]


Predefinição:Comentaristas