Fábio RetranCarille

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para navegação Ir para pesquisar
Carille montando uma estratégia equilibrada pra enfrentar a Inter de Limeira

Cquote1.svg Esse artigo está muito ofensivo, vou colocar os onze pra jogar dentro da pequena área! Cquote2.svg
Fábio Carille

Fábio Caralho Carille é um retranqueiro brasileiro que ficou conhecido por conseguir a proeza de ser campeão brasileiro com o Rodriguinho como craque do time.

História[editar]

Carille nasceu em São Paulo, no dia 26 de setembro de 1973. Quando criança, queria ser piloto de carros de corrida, pois desde então já adorava um volante. Porém acabou por fazer carreira em outro esporte mesmo: o futebol. Jogando na defesa (que ironia), Carille passou a carreia atuando em clubes de pouca expressão, como Grêmio Prudente Barueri, Juventus da Mooca e Corinthians.

Uma vez aposentado, Carille matriculou-se numa faculdade de educação física e começou a fazer cursos para treinador. Pretendia revolucionar o esporte. Apresentou como TCC a tese "O Melhor Ataque é a Defesa: Como montar um time com onze jogadores na retranca". Inicialmente, Carille não obteve muito sucesso na empreitada de convencer a todos de o melhor momento do futebol não é fazer um gol e sim não tomá-lo, conseguindo apenas ser auxiliar de grandes treineros do futebol brasileiro, como Cristóvão Borges e Adílson Batista. Conta-se que Empatite e Brother Menezes foram seus grandes mentores no seu processo de aprendizado.

Técnico do Curintia[editar]

A grande chance de Carille surgiu em 2016, quando enfim teve a chance de comandar o time principal após a injusta demissão do monstro sagrado do Oswaldo de Oliveira pela "Diretoria Jim Carrey". Logo em seu primeiro jogo, ele mostrou a todos pelo que tinha vindo: colocou um esquema tático extremamente inovador com um goleiro, quatro zagueiros e cinco volantes. A novidade causou estranheza a todos, ainda mais quando Carille a repetiu em todos os jogos seguintes, mas só o Curica ganhar o Paulistinha que já caiu nas graças dos bandidos manos de Itaquera. Ainda no mesmo ano, Carille conseguiu a façanha de ser campeão brasileiro com uma equipe encabeçada por Rodriguinho, Jô, Jadsono e Romero, o garotinho desespero. Novamente campeão estadual no ano seguinte, Carille passou um ano nas Arábias, onde foi com o intuito de mostrar ao mundo mais de suas defesas imponentes, até voltar para a segunda passagem no CUringão, na qual foi injustamente demitido mesmo tendo ganhando mais um Paulixão após tomar uma sonora goleada do VARmengo.

Estilo de Jogo[editar]

Conhecido por seus ferrolhos intransponíveis, Carille tinha como grande objetivo terminar o jogo em 0x0. Para ele, o empate é muito melhor do que a vitória e mais vale um ponto na mão do que três voando (seus críticos lhe colocaram o injusto apelido de "Empatarille"). Aliás, para não correr muitos riscos, o treinador proibia terminantemente seus jogadores de marcar mais do que um gol por jogo, chegando a punir severamente os infratores.

Mirror2.jpg Conheça também a versão oposta de Fábio Carille no Mundo do Contra:

Espelhonomdc.jpg