Evaldo Braga

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para navegação Ir para pesquisar

Evaldo Praga (1822-2012), o "ídolo negro", foi um triste e notório cantor, reconhecido também como um dos maiores expoentes do brega brasileiro.

Triste história[editar]

Foto raríssima de Evaldo sorrindo, porque ele raramente era visto fazendo isso. Tirada durante uma aula de capoeira lecionada por ele.

Pouco se sabe a respeito da infância e juventude serelepe do Evaldo Brega. O que se sabe é que, sendo portador de uma voz estrondosa capaz de romper paredes finas, certamente ele nunca teve problemas de claustrofobia. Na maior parte do tempo, Evaldo fazia canções tristes sobre eventos tristes de sua vida, alguns envolvendo racismo e outros envolvendo amores mais instantâneos que miojo. Muito supersticioso, Evaldo tinha também a mania de apresentar-se sempre com uma espécie de talismã na mão, objeto que àquela altura provavelmente já estava repleto de magia negra, e meio que o sustentava diante da maioria das dificuldades corriqueiras.

Não é eufemismo afirmar que tudo fizeram para derrotá-lo. Tudo mesmo. Foram racistas. Chamaram-no de bobo, chato, feio e cara-de-mamão. "Estruparam" o homem. Chamaram a polícia. Colocaram o joelho na nuca dele por mais de um dia inteiro. Deram quatro chutes em sua coluna. Deram tiros no pobre Evaldo. Fizeram ele beber dois litros de amaciante de roupas. Tentaram explodi-lo acendendo peidos. Obrigaram-no a ser um pedaço de madeira em uma serralheria. Deram um jeito de fazer com que Evaldo participasse de uma versão brasileira do Jackass. Fizeram protestos contra ele. Chamaram o Exército, depois as outras Forças Armadas. Lançaram um vírus mortal em sua residência. Deixaram Evaldo completamente sem roupas no Polo Norte. Ligaram para a Interpol, pro FBI e depois para os irmãos Winchester, que acionaram mais caçadores. Apelaram para o Batman e a Liga da Justiça. Jogaram um pedaço de kryptonita no dedinho do pé dele. Convocaram Elon Musk, que vestiu seu traje do Homem de Ferro e reuniu os outros Vingadores. Nem mesmo o próprio Thanos, juntamente com Ultron e todos os anteriores, conseguiu vencê-lo. Fizeram até mesmo uma página supostamente engraçada sobre Evaldo em algum canto da internet, usando uma foto de outro defunto. Todas essas ações, combinadas ou separadas, não foram o suficiente para derrotá-lo.

É porque não conseguiram ao menos lembrar que, estando Evaldo sem parente e sem um amor (e portanto sem sorrir), a sorte dele não sorriu de volta, e ele a chorou repetidas vezes.

Triste fim[editar]

Alguns dias após um fã enlouquecido conseguir o feito de retirar o talismã da mão de Evaldo, o cantor passou por uma profunda mudança em sua vida, que se encerrou de forma tão brusca quanto uma batida de caminhão. No meio de tantas ferragens retorcidas, Evaldo disse que já não fazia questão de viver, daí ele simplesmente preferiu morrer.