Driver 3

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para navegação Ir para pesquisar
Virtualgame.jpg Driver 3 é um jogo virtual (game).

Enquanto você lê, Max Paynefodendo Mona Sax.

Walker 3
Driver 3 cover.png

Capa sincera do jogo

Informações
Desenvolvedor Reflexão Interativa
Publicador Atari
Ano 2004
Gênero GTA San Andreas genérico
Plataformas PS2
Avaliação 9/10 segundo a Future plc
Classificação indicativa Livre (atropelamentos são proibidos)

Driver 3 foi uma tentativa frustrada da Reflections Interactive de copiar o GTA: San Andreas, mas o resultado foi mais próximo de um Bubsy 3D com carros. Apesar de ser um jogo altamente bugado, foi visivelmente bem sucedido em entregar ao jogador uma experiência única da sensação real de estar dirigindo em São Tomé das Letras, São Lourenço da Mata e Poconé, que são as três cidades fielmente retratadas no jogo, trazendo ao jogador todo tédio de dirigir nessas cidades vazias.

Desenvolvimento[editar]

A ideia inicial da Reflections Interactive era criar um jogo tipo Cyberpunk 2077 mas ambientado nos anos 2000, trazendo um detalhamento jamais visto antes na história dos videogames, por isso já estavam há 4 anos trabalhando no desenvolvimento de seu jogo e gastando fortunas no projeto porque sabia que depois que lançassem o melhor jogo de todos os tempos teriam o seu gasto todo de volta, inclusive vários atores famosos foram contratados para fazer as vozes dos personagens. É verdade que o Keanu Reves estava caro demais porque ele estava fazendo Matrix na época, então contrataram o Iggy Pop, isso mesmo.

O que atrapalhou os planos da empresa foi o anúncio do lançamento do GTA: San Andreas, que junto de Counter-Strike era a mania de todos os pivetes do mundo inteiro. Qualquer jogo de escrotizar cidades dirigindo carros que fosse lançado depois de GTA seria um fracasso, então a Atari ordenou que Driver 3 fosse lançado incompleto mesmo, que o projeto original fosse vendido para a CD Projekt fazer o Cyberpunk 2077 e que lançassem um jogo que fosse só missões sem graça estilo GTA, mas sem alma.

Jogabilidade[editar]

Apesar de ser um jogo onde os carros deslizam ao invés de rodar, é um jogo nota 9/10 segundo alguns especialistas subornados pela Atari.

Driver 3 trata-se de um jogo de cópia de GTA, tudo o que tem em GTA te em Driver 3, só que propositadamente piorado e muito sem graça, para ninguém acusar o jogo de plágio. Metade do jogo, portanto, é realizado a pé com missões de tiroteio com uma péssima jogabilidade e uma mais péssimas ainda precisão de tiros e uma mais horrenda ainda física que faz parecer que todos os tiros são fantasmas já que a sensação de impacto é nula. A Atari Games na época até cogitou mudar título para "The Pedestrian", mas como criar uma nova propriedade intelectual custa um dinheiro, deixou como "Driver 3" mesmo.

Como o protagonista do jogo é alguém similar ao Boça, completamente incapaz de comprar armas de verdade, o jogador o tempo inteiro vai usar apenas armas de air-soft descaracterizadas pela remoção daquele bico laranja, porque se você perceber bem, você pode fuzilar alguém que essa pessoa não vai sangrar.

Enredo[editar]

Para evitar acusações de que esse jogo era um plágio de GTA, apesar da jogabilidade ser a mesma coisa, o enredo de Driver 3 focou-se em algo completamente diferente. Você controla John Tanner, um ex-policial que cansado do caos da cidade grande decide visitar três cidades vazias onde nada acontece o dia inteiro, cabendo ao jogador escrotizar os policiais locais e caminhar por ruas desertas por horas.

Driv3rgate[editar]

Como qualquer jogo que se trata de uma cópia descarada e bugada de outra coisa, Driver 3 foi uma bela bosta e ninguém perdeu tempo com esse jogo. A Atari vendo seus milhões indo pro ralo, ao invés de gastar dinheiro criando um jogo decente preferiu gastar dinheiro subornando o site Future plc para dar nota 9/10 para seu jogo que na verdade valia 0,9/10 e depois ainda pagar desocupados para criar sockpupptets em fóruns e defender Driver 3 descaradamente alegando ser um jogo melhor que GTA, um comportamente visivelmente débil que atraiu a atenção de pessoas normais e por isso os farsantes foram facilmente desmascarados, escândalo que ficou conhecido como "Driv3rgate".

O fracasso do jogo causou a falência da Atari e a venda da Reflections Interactive para a Ubisoft, empresa reconhecida por gostar de lançar jogos bugados e inacabados, o que combinava com o estilo da série Driver.

v d e h
Driver logo.jpg