Desnotícias:Epilepsia do novo logotipo da Globo afeta Tatá Werneck

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para navegação Ir para pesquisar

Este artigo é parte do Desnotícias, a sua fonte de ignorância 24 horas por dia.

CU DO CONDE, Brasil-sil-sil

Putz grilo

Nessa quarta-feira (1 de dezembro), a Globo, insatisfeita em manipular sua audiência quase indo pro brejo com novelas novas que ninguém liga e com a Sessão da Tarde passando filme velho e repetido, fez a gracinha de mudar seu visual, inclusive o logotipo (ah vá). Mas e tu aí, achou que o logotipo seria só uma versão 2D com o tom da bola prata e o arco íris se inovando e blebleblueble? Nananinanão, ainda mais, chamaram o Hans Donner dos mortos pra fazer um logotipo com bilhares de cores diferentes e aposentando o clássico arco íris da parte de dentro pra botar um gradiente molenga.

Cquote1.svg E o Plantão, e o Globo Repórter, e o plim plim, e o Quico? Cquote2.svg

Com o plim plim foi mais epilético ainda, se o logotipo já é epilético, o plim plim é mais ainda, com o logotipo azul saindo do logotipo verde, com o fundo amarelo e uma bolinha do logotipo laranja. Como se não bastasse ter queimado os olhos de milhares de telespectadores, a Tatá Werneck também foi uma das vítimas, ao ponto de enxergar o logotipo do SBT, e dizer que o novo visual da Globo é uma fraude, que plagiou na cara dura, que é mais feio que o suvaco dos personagens do Boku no Pico, que é obrigada a falar que o logotipo tá uma porra... No Instagram (uau, que sincronia, estamos falando de um logotipo que a Globo adotou que é um pouco parecido com o do Instagram, aí eu meto isso, oloko bicho) a Tatá disse "esse logo parece do Silvio Brinca de Televisão, tirou do... opa, desculpe, não quero ser demitida". A guria ainda por cima já sabia que isso iria dar sinônimo de fezes de cavalo, aí uma tonelada de gente brotou dizendo que ela será demitida e pá. Será que ela será mesmo demitida? Descubra hoje, no Globo Repórter

Compartilhe
essa desnotícia:
Compartilhar via Email Compartilhe via Facebook Tweet essa reportagem Compartilhe via WhatsApp Compartilhe via Telegram