Desculpa esfarrapada

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para navegação Ir para pesquisar
Wiki.png Desciclopédia tá mei FODIDA...

Desculpa aê! É que o site tá tendo umas bronquinhas de leve e saiu do ar por isso.

Daqui a poquinho nós vorta! Aguarda ae trouxa!.


(Se não tiver conseguindo de jeito nenhum acessar o site, tente esse aqui. Beijinhos!)

__NOTITLE__

Cquote1.svg Ih... nem vai dar pra ir, mano, tou sem grana e sem tempo... Cquote2.svg
Você sobre ir pra um bacanal. Quer dizer, é o que você diz né...

Cquote1.svg Vô não, quero não, posso não, minha mulher não deixa não... Cquote2.svg
Você sobre o real motivo da negativa acima.

Desculpa do Abutre pra perder pro Cabeça-de-Teia é ser a teia do aracnídeo muito pegajosa pra suas asas.

Cquote1.svg Houston, temos um problema! Cquote2.svg
Astronauta sobre sua incompetência de mexer numa rebimboca da parafuseta do foguete.

Cquote1.svg Desculpe, nós fizemos alguma coisa errada. Tente novamente daqui a uns instantes. Cquote2.svg
Twitter sobre suas saídas de ar constantes.

Cquote1.svg O plug-in a seguir falhou: Shockwave Flash. Cquote2.svg
Google Chrome sobre suas travadeiras sem apresentar nenhuma solução que preste.

Cquote1.svg Desculpa de menino amarelo é comer barro... Cquote2.svg
Tua mãe sobre você.

Desculpa esfarrapada é uma das maiores estratégias de discurso existentes na face do planeta Terra e talvez do universo inteiro. A maior desculpa esfarrapada é sempre superada por outra, e assim sucessivamente, e no final de tudo a desculpa perdedora solta como desculpa esfarrapada de que não era uma desculpa esfarrapada tão esfarrapada assim. Toda desculpa esfarrapada é seguida de outras para tentar justificá-la, não deixando-a tão esfarrapada assim. Mas no final das contas sempre sempre sempre acaba por esfarrapar mais ainda a pobre esfarrapada desculpa. No final das contas você acaba por tornar sua desculpa mais enrolada que história de pescador ou conto-de-vigário.

Algumas das mais clássicas[editar]

Aqui vão algumas das mais conhecidas e clássicas de toda a história, além de toda uma explicação lógica e justificável da mesma. Cuidado para não terem o cérebro lavado.

  • Não deu tempo. (O que você faz da meia-noite às seis?)
  • Nem lembrei! (essa é velha)
  • Sabe, eu estava com tanta coisa na cabeça... (clássica!)
  • Eu tinha tanta coisa pra fazer...
  • Eu, hem, do que você está falando? (típico sujeito que se faz de bobo)
  • Como assim?
  • Cara, é que...
  • Puxa vida, vi sua mensagem só agora!
  • Hoje não dá, tenho outro compromisso.

Inícios de frases que antecedem desculpas:

  • Mas também...
  • A verdade seja dita...
  • Cá entre nós...
  • Pois é, né...

Atacante de futebol[editar]

"Sabe, eu não chutei com meu pé bom..."

Um mestre de desculpas e explicações enroladas e enfadonhas e por vezes porque não filosóficas a lá Mário Jardel Almeida Ribeiro do tipo "Quando o jogo está a mil, minha naftalina sobe" pra justificar o fato de ele ter começado a chiar e pedir substituição aos 5 do primeiro tempo ou mesmo chutar uma bola por cima do travessão a menos de 2 centímetros da marca do gol.

As mais conhecidas desculpas em casos assim:

  • Não usei meu pé bom (seria esse jogador manco de um de suas patas?);
  • O gramado está uma merda (isto até pode ser verdade, mas o fato é que um pé-rapado pior muitas vezes jogou no mesmo gramado na mesma partida e acertou o gol do seu goleiro);
  • A iluminação do estádio me cegou (se foi a iluminação não sei, mas realmente você é cego pra cacete!);
  • A pressão sanguínea da torcida foi grande demais (aham, e se a torcida dissesse muitas vezes "ei, fulando, vai tomar no c*, você ia dar o seu?);
  • Um alienígena fez minha bola ser abduzida (acredito nisso, e a Jabulani foi fabricada em Marte...).
Mais uma Maria Chuteira saindo dos tribunais em busca de pensão de um atacante? Não, essa é uma das travestis que o Ronaldo Fenômeno "traçou" "sem querer querendo"...

Tem também o afamado caso de atacantes de futebol que fazem cagadas de cocozaço na vida real, como por exemplo acidentes de trânsito, espancamento de namoradas e até mesmo assassinatos, entre outras confusões, que em todos os casos envolvem atacantes (e alguns metidos a atacantes também). Vejam algumas das mais famosas:

Cquote1.svg Eu tavo meo bebo, mas quiem furô u sinal foi a minina du otru carru... Cquote2.svg
Edmundo sobre aquele acidente de 1995 em que o "Animal" matou 3 de uma vez só.
Cquote1.svg Quem nunca bateu numa namorada né cara? Em briga de marido e mulher ninguém mete a colher. Cquote2.svg
Bruno Fernandes das Dores de Souza sobre seu amigo Adriano. Apesar que meses depois saberíamos mais sobre o Bruno...
Cquote1.svg Sou inocente! Eu nunca desossei essa galinha, digo, digo... Cquote2.svg
Bruno sobre Eliza Samúdio. Mas depois da frase acima é difícil crer...
Cquote1.svg Esse filho não é meu! Não vou pagar pensão não! Cquote2.svg
Romário sobre mais um dos seus rebentos adquiridos numa única noite de verão.
Cquote1.svg Sério que eram homens? Agora eu entendi o que era aquele trocinho roçando na minha bunda... Cquote2.svg
Ronaldo Fofômeno sobre sua noitada com 3 travecos.

Enfiou o que não devia lá atrás e... teve que operar[editar]

Cquote1.svg Doutor, eu tava assistindo o jogo de futebol, aí o controle tava encaixado no sofá, e quando o Richarlyson fez um gol, eu me empolguei, pulei e aí... Cquote2.svg
Paciente

Cquote1.svg E só deu tempo de abaixar a calça? Cquote2.svg
Doutor sobre a citação acima