Deep Purple (álbum)

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para navegação Ir para pesquisar

Cquote1.svg Se esses dois primeiros álbuns já eram uma merda, imagina só o terceiro! Cquote2.svg
Ian Gillan sobre Deep Purple e os outros álbuns com Rod Evans e Nick Simper
Cquote1.svg Eu ouvi e achei excelente! Cquote2.svg
A mãe de Rod Evans sobre o álbum Deep Purple
Cquote1.svg Pague o aluguel, pilantra! Cquote2.svg
Seu Barriga Jon Lord para Rod Evans depois do fim do New Deep Purple

Fundo Roxo
Deep purple deep purple-300.jpg
Capa de Deep Purple. Qualquer tentativa de imitar os Beatles é mera coincidência.
Lançado em 1969 (hmm...)
Gênero Alucinógeno
Gravadora Ah, sei lá!

Deep Purple é o terceiro álbum da banda de nerd metal Fundão Roxo (ah vá, é mesmo?). Desses três primeiros discos, que foram os mais sem-graça de todo o grupo (pra não dizer uma merda), Deep Purple fez tanto sucesso quanto o Virtual Boy. Depois disso, por um milagre de Odin o pilantra do Rod Evans foi chutado da banda (merecidamente) e se entregou ao narcotráfico e todo o tipo de falcatruas. Já o baixista Nick Simper preferiu viver o resto de seus dias na simplicidade mesmo, trabalhando honestamente como segurança de loja de lingerie, pra não ter que fazer nada o dia inteiro.

Estima-se que Deep Purple (o álbum, não a banda) alcance disco de ouro em 2228 e platina em 8299 (mas estamos em 2021!!).

Músicas[editar]

  1. Sombras Caçadoras - As mesmas que perseguiram Evans depois de sua merecida demissão.
  2. Cego! - Composição de Jon Lord se perguntava se ele tava cego quando admitiu o Rod na banda.
  3. La Cucaracha
  4. Linha de Pênalti/O Pintor - Profissões de Rod depois de sair do Purple.
  5. O Bebê de Rosemary - Homenagem a esse nem um pouco bom filme.
  6. O Passarinho Verde Voou - Adivinha do que ela fala?
  7. 1 de abril - Alusão à mentira que é o Rod Evans.

Integrantes dessa coisa[editar]