Death (banda protopunk)

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para navegação Ir para pesquisar

Nota: Para outras mortes morridas, consulte Death.
Punkaosairdeshopping.jpg Este ser curte Panque Roque.

E deve praticar consumo de bagulhos ouvindo Sex Pistols
e xingando algum político.

Qualquer idiota diria que são três reggaeiros, mas achou errado otário!

Death, que não tem nada a ver com aquela outra banda, é uma banda de protopunk e garage rock de Detroit, Michigan, que nasceu em 1964 e muitos dizem que pode ter sido a primeira banda de punk da história, além de uma das primeiras bandas só de negão a fazer rock na história. E o mais zoado é que os irmãos que montaram essa budega eram tudo crente. Sim, tudo crente, mas decidiram tocar pra satanás, com a aprovação do pai deles, que era um pastor batista. Pois é...

História[editar]

A banda como já dito era formada pelos irmãos Hackney: Bobby (baixo e gritaria), David (guitarra) e Dannis (bateria). Como dito, eram filhos de um pastor batista e curiosamente tavam juntos assistindo The Beatles se apresentando no Sílvio Santos americano. Logo os maninhos pensaram se dava pra eles também fazerem como aqueles quatro patetas e formaram um grupo que originalmente tocava funk (não o carioca, óbvio!) e se chamavam pelo nome de Rock Fire Funk Express. Nesse período tiveram contato com seus conterrâneos da Merda Preta, banda de funk rock que até hoje juram de pés juntos que são a primeirona banda de rock só de pretos. Misturaram também uns souls, pra ver se a Motown contratava eles, e até por volta de 1973 seguiram assim de boas, chegando a gravar um single que só muitos anos depois seria publicado. Mas aí nesse tempo o pai deles morreu quando um motorista embriagado confundiu ele com um monte de óleo na pista e passou por cima com tudo. Aí, em homenagem à morte do pai deles, trocaram de nome pra Death.

Entre 1975 e 76 gravaram uns singles e discos, mas nenhum maldito empresário curtiu investir na banda por conta do nome mórbido, queriam que eles trocassem pra um nome mais bonitinho como "The Hackneys" ou sei lá, "Jackson Three"... e aí só um single realmente viu a luz do dia em 1976, pouco antes de Ramones e Sex Pistols assolarem o mundo com o som maldito deles. Assim, já de saco cheio da porra das gravadoras cuzonas, a banda se separou em 1977, sem jamais ver ou curtir o burburinho do movimento punk que nasceria naquele ano. Nos anos 1980, já em outro estado, voltaram pra igreja e formaram um grupo gospel chamado The 4th Movement e gravaram dois disquinhos pros crentes negões cantarem nas igrejas deles. David acabou em 1982 voltando pra Detroit onde viveu até 2000 sem fazer mais nada na vida. Já os irmãos ainda criaram uma banda de reggae chamada Lambsbread lá em Vermont, mostrando que tavam atirando pra todo lado mesmo.

Diga a verdade, seu editor racista safado, ninguém se importou com a banda porque eram negões, e negro fazendo punk ninguém se importa! Vidas negras importam sim e pau no cu de quem leu isso tudo aqui mesmo estando censurado!

Pós-banda e retorno[editar]

Aproveitando o vácuo de anos da banda, um tal de Chuck Schuldiner decidiu montar uma com o mesmo nome nos anos 1980 pra ficar cantando uns berros do satanás e sei lá como um monte de gente achava essa banda mó foda. Só que em 2001 Chuck foi pro colo do capeta e aí o nome Death tava vago de novo, e num é que os irmãos sobreviventes, após os filhos fazerem uma bandinha com as músicas dos pais. Daí em 2009 eles, após umas gravadoras descobrirem as "preciosidades" que eles tinham gravado decidiram por pura falta do que publicar lançar as singles e discos deles que ninguém além deles e da família tinham ouvido até então, e aí a banda virou mais um desses casos de banda cult que passaram a ser redescobertas sei lá como. Ao ponto até de ter músicas deles tocando em seriados como How I Met Your Mother, em filmes como Kill the Irishman e jogos como Tony Hawk's Pro Skater 5, mostrando todo o lado cult clássico deles (ou seja, o lado de ruindade completa do indivíduo). E ao estilo de bandas desgraçadas como Anvil, conseguiu ter um documentário sobre eles, mostrando realmente o nível de ruindade de depender justamente de um documentário pra alguém lembrar que eles existem.

Atualmente eles continuam na ativa, com alguns poucos fãs doentes tentando manter viva a história da banda, mas sempre tendo problemas quando dizem o nome da banda por aí e a galera diz "ah, eu conheço, né aquela que canta com voz de cachorro sobre filmes de terror e satanismo?" e tendo toda vez que dizer "ah, malditos metaleiros que não sabem de nada, tsc tsc tsc...".

Ouça, se tiver coragem[editar]

Ignore a voz esganiçada do Bobby, é o menos ruim disso tudo...