Década de 1980

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para navegação Ir para pesquisar
Este artigo é relacionado à história.

Artigo tombado - Patrimônio histórico.

PepinoVerde.png
Caiu o Muro de Berlim nessa década... à marretada.

Cquote1.svg Você quis dizer: Década do New Wave Cquote2.svg
Google sobre Década de 1980
Cquote1.svg Você quis dizer: Chernobyl Cquote2.svg
Google sobre Década de 1980
Cquote1.svg Você quis dizer: Guerra Fria: Episódio Final - Invasão Soviética ao Afeganistão Cquote2.svg
Google sobre Década de 1980
Cquote1.svg Esta é minha melissinha, que vem com pochetinha! Cquote2.svg
Guria Retardada dos anos 80 sobre o comercial que fazia
Cquote1.svg Isto non Eczinte mas Cquote2.svg
Padre Quevedo sobre Anos 80
Cquote1.svg Eu sou você amanhã Cquote2.svg
Capitão Nascimento sobre MacGyver
Cquote1.svg EU não eczistia Cquote2.svg
Google sobre Anos 80
Cquote1.svg Eu tinha medo. Cquote2.svg
Regina Duarte sobre Anos 80
Cquote1.svg Mama mia! Eu fiquei famoso durante os Anos 80! Cquote2.svg
Super Mario sobre Anos 80
Cquote1.svg Hei... anos 80. Charrete que perdeu o condutor... Morri por lá! Cquote2.svg
Raul Seixas sobre Anos 80
Cquote1.svg O problema, nesse caso, era o de junta: junta tudo e joga fora. Cquote2.svg
Rogério Skylab sobre Anos 80
Cquote1.svg Época em que a reencarnação do Apocalipse chegou: Faustão. Cquote2.svg
Eu sobre Anos 80, quando surgiu o "Perdidos da Noite", com o dito cujo
Cquote1.svg Naquela época ainda dava pra chupar um pinto e pagar de hetero Cquote2.svg
Gayzinho sobre Anos 80

Anos 1980, ou anos 80, ou Década de 1980 foi uma época compreendida entre 1980 e 1989, ou seja, aquela década entre a Década de 1970 e a Década de 1990.

Soviéticos prontos para detonar os EUA.

Foi o grande momento de mudança no centro de dominação mundial, com o apodrecimento da União Soviética e a consequente queda do famoso Muro de Berlim, o que causou o suicídio de muitos camaradas um pouco por todo o mundo. Essa década conheceu grandes bostas que mostrariam a dominação Orwelliana, como o nascimento da Internet (que só chegaria ao Brasil nos anos 2000 como sempre) e a consequente supremacia do Big Brother dos Estados Fudidos. Foi uma década difícil, que só quem era guri e passava o tempo jogando videogame e vendo anime é que recorda com nostalgia.

Ronald McReagan, o presidente dos Estados Fudidos que mandou os vagabundos trabalhar.

Continuou nessa década a Guerra Fria com a ameaça de um Holocausto Nuclear, Chernobyl espalhou radioatividade por todo o mundo, guerra entre o Iraque e o Irão, ataques terroristas do IRA, popularizou-se o consumo de cocaína e heroína, os serial killers, a epidemia de AIDS em que morreu muito drogado e gay dentro do armário, gente a morrer de fome em África, Margaret Thatcher, Ronald Reagan, Michael Jackson, Madonna, Culture Club, Xuxa... Mas nem tudo foi mau nessa década. Para além de ter havido grandes avanços tecnológicos, de Pablo Escobar ter enchido os cofres, o Ocidente começou a ajudar as criancinhas famintas de África, acabou a ditadura no Brasil, o Apartheid na África do Sul, apareceram os videogames, o walkman e desenhos animados mara. Sessão da Tarde, Doutor Roberto, Sílvio Santos, o Chaves, o Exterminador do Futuro, Rambo, Diretas Já, Tancredo Neves, José Sarney, Plano Cruzado e outras bostas da época. A Princesa Diana casa com o Príncipe Carlos, naquele que foi celebrado como um autêntico conto de fadas (Ou não)... só ele chifrava ela com uma vadia com cara de cavalo e ela sofria de Bulimia.

Apesar dessa década ter sido uma bosta autêntica, esse foi um tempo de exagero, consumismo, joias, luxo e dinheiro. Começam a aparecer os shoppings que acabam com o comércio local, dão-se créditos ao desbarato, as pessoas ficam afundadas em dívidas para financiar uma vida de luxos e cafonice numa época que é recordada pelos vestidos de noiva serem maiores do que o bolo de casamento e o próprio bolo ser maior do que o altar da Igreja... E depois as gerações seguintes é que pagaram a conta.

Tecnologia

Exemplos de tecnologia dos anos 80 que hoje em dia você tem no seu smartphone.

Ciência

Política

Uma família feliz dos anos 80.

Economia

João Paulo II rindo-se de Reagan porque conseguiu acabar com o Comunismo antes dele.

Esteve uma merda para o mundo inteiro exceto para os EUA.

A economia brasileira nesta época foi marcada pelos índices de inflação nos trocentos porcento, sendo que por isso mesmo tivemos somente nesta época três moedas, uma com o nome de Cruzeiro, a outra com o nome de Cruzado e a última com o nome de Cruzado Novo. Mas de fato, nenhuma dessas três moedas conseguiu ter valor durante muito tempo.

Desastres

AIDS

Em meados da década, começou a surgir uma doença misteriosa e que nenhum medicamento curava e que vitimizava, sobretudo gays e drogados, mas que provocou a histeria geral na população. Sem saber do que se tratava ou como se transmitia, o pânico foi instalado.

Doutor Roberto alertava que isso se pegava nos banheiros públicos... o que não era totalmente mentira, já que esse era o ponto de encontro de muitos gays dentro do armário na época.

CounterZero.gifCounterZero.gifCounterZero.gifCounter5.gifCounter7.gifCounter3.gifCounter2.gif
Este é o número de gays que morreram durante a epidemia de AIDS

Esportes

O Brasil ganhou prémios muito prestigiados nessa década.

Cultura

Cinema

Os durões meio boiolas foram um grande sucesso nessa década.

A década foi muito rica de filmes bobos que faziam sucesso sem ninguém saber porquê. Filmes de durões, aventura, danças e cantorias fizeram muito sucesso.

Os grandes astros da década eram, na sua maioria, gostosas peludas ou "durões" meio abiolados tais como Arnold Schwarzenegger, Sylvester Stallone, Harrison Ford, David Hasselhoff, Patrick Swayze, Matthew Broderick, Molly Ringwald, Michael J. Fox, Sigourney Weaver, Phoebe Cates, Demi Moore, Robin Williams, Tom Cruise, Dustin Hoffman, James Spader, Jennifer Grey, Nicolas Cage, Michael Douglas, Brian Cox, Brooke Shields, Isabella Rossellini, Glenn Close, Kim Basinger, Juliette Binoche, Daniel Day-Lewis, entre outros que caíram no esquecimento.

Essa foi uma grande década para os teóricos da conspiração.

Os filmes de durões usuários de esteroides anabolizantes foram um grande sucesso nessa década: a trilogia Indiana Jones estrelada por Harrison Ford fez todo o guri quer ser arqueólogo: Indiana Jones e Os Caçadores da Arca Perdida (1981), Indiana Jones e o Templo da Perdição (1982) e Indiana Jones e a Última Cruzada (1989) fizeram parte da sua infância. Arnold Schwarzenegger torna-se num dos ícones da década com filmes como Conan, o Destruidor (1984), O Exterminador do Futuro (1984), Comando para Matar (1985) e O Predador (1987). Sylvester Stallone faz todo o guri querer usar fita elástica na cabeça como protagonista da trilogia Rambo (1982 - 1988).

A parvoíce do Dirty Dancing (1987) levou muita gente a tentar recriar a cena icónica.

Os filmes envolvendo guris aventureiros fizeram muito sucesso: afinal, essa foi uma década óptima para pedófilos, não apenas Michael Jackson encheu os cofres, como Roman Polanski foi muito aclamado pelo seu filme Tess (1980) e a novinha Brooke Shields aparece em cenas eróticas em A Lagoa Azul (1980). Filmes sobre guris metidiços foram modinha com coisas como Karatê Kid (1984), A História Sem Fim (1985) e Os Goonies (1985). Os adolescentes birrentos e metidos a descolados são os protagonistas irritantes dos filmes de John Hughes: Gatinhas e Gatões (1984), Clube dos Cinco (1985) e Curtindo a Vida Adoidado (1986). Na onda das coisas irritantes, vèm os filmes inspirados pela Disco, com aberraçoes como Flashdance (1983) e Dirty Dancing (1987), que faziam os delírios das gurias retardadas.

Os filmes de ficção científica continuam em altas com coisas como Flash Gordon (1980), E.T. (1982), Blade Runner (1982), a trilogia De Volta para o Futuro (1985 - 1990), Cocoon (1985), Aliens - O Resgate (1986), Robocop (1987) e Viagem Insólita (1987). George Lucas concluiu sua trilogia original e única decente de Star Wars com O Império Contra-Ataca (1980) e O Retorno do Jedi (1983). Os filmes de terror também marcaram a década: O Iluminado (1980), Um Lobisomem Americano em Londres (1981), O Enigma de Outro Mundo (1982), Caça-Fantasmas (1982), Poltergeist (1982), Gremlins (1984), Colheita Maldita (1984), A Hora do Pesadelo (1984), Conta Comigo (1986) e Os Rapazes da Noite (1987), assombravam seus pesadelos infantis.

Hollywood torna-se obcecada pela guerra do Vietnã durante essa década e guerra no geral, com filmes como Apocalypse Now (1980), Reds (1981), Os Gritos do Silêncio (1984), Top Gun - Ases Indomáveis (1986), Platoon (1986), Império do Sol (1987) e Nascido em 4 de Julho (1989). Os filmes policiais e da máfia também fazem sucesso com coisas como Scarface (1983), Era uma Vez na América (1984), De Caso Com a Máfia (1988) e Máquina Mortífera (1987). Os filmes biográficos fazem sucesso, uns mais do que outros, como Gandhi (1982) e Amadeus (1984), e o polémico A Última Tentação de Cristo (1988) que causou o maior barraco com a Igreja Católica. Filmes contra o Racismo como Mississípi em Chamas (1988), Conduzindo Miss Daisy (1989) e Faça a Coisa Certa (1989).

Música

O Rei e a Rainha da Pop: um pedófilo e um plágio ambulante foram os grandes ícones musicais da década.

Reagan, Figueiredo, a bomba do Rio-Centro, as passeatas inúteis da Diretas Já, Tancredo Neves, Sarney, Plano Cruzado, AIDS... numa década em que nada prestou, sua trilha sonora não poderia ser diferente. Acompanhe, corajosamente, esse breve perfil da música feita naquela década ingrata, e descubra porque a maioria das pessoas que vivem no passado preferem um que seja bem distante dos anos 80 que começam logo com John Lennon a levar um tiro no bucho quando acabou de gravar seu último disco.

Essa década é lembrada como a época em que a música começou a morrer com o surgimento da MTV e de aberrações como a música eletrónica da modinha, o chamado New Wave e o Synth-pop. A dance music dominou a década com seres vindos do Inferno que cantavam Disco mas sem assumir que era Disco como Gary Numan, Irene Cara, Gloria Estefan, Tiffany, Lisa Stansfield, Cher, Debbie Gibson, Laura Branigan e Whitney Houston. Aparecem coisas como Alphaville, Berlin, Roxette, Kate Bush e Pet Shop Boys, que ninguém sabia bem o que eram. Cyndi Lauper e o seu clone Madonna (que subiu na carreira a dar prós produtores musicais e a tornar aceitável em palco o que se passava na Casa da Mãe Joana) fazem o delírio das gurias, empoderando-as com suas mensagens de putaria emancipação e vagabundice liberdade femininas. Michael Jackson vira febre, entrando para a história com o seu horroroso disco Thriller, que acabou por assustar muita criancinha inocente.

Essa década também foi rica em divas que berravam mais do que cantavam: coisas como Tina Turner, Janet Jackson, Olivia Newton-John e Teena Marie fizeram fortuna a sangrar o ouvido alheio. As baladas românticas bem cafonas também foram muito populares: Bonnie Tyler, Paula Abdul, Michael Bolton e Lionel Richie foram banda sonora de muitos casamentos nessa década. Coisas como Prince, George Michael e Boy George contribuíram para a epidemia de AIDS fazer com que os gays começassem a ser socialmente aceites... Ou não.

O melhor que o Rock dos anos 80 tinha para oferecer.

No Rock, surgiram coisas como U2, A-ha, Queen, The Police, Duran Duran e Blondie, em que nada previa a salvação do gênero. Mesmo no Metal, as coisas não estavam melhores mas apesar dos visuais meio boiolas dos anos 80, conseguiram produzir bandas como Iron Maiden, Judas Priest, Metallica, Slayer, Megadeth e Anthrax. Aparecem galãs com o sistema cheio de cocaína como Bon Jovi, Van Halen, AC/DC, Guns N' Roses, Def Leppard, Whitesnake e Scorpions, que estavam mais interessados em drogas e em ter gostosas nos videoclips do que em produzir música decente. Foi a última década em que se produziu músicas de jeito, em resumo.

A década foi tão bosta que surgem as nostalgias por décadas anteriores, coisas como Neo-Rockabilly (Stray Cats, The Cramps e afins) e música Gótica e Post-Punk, na Inglaterra. Gente meio abiolada e cheia de crises existenciais que gostam de passear no cemitério à noite começam a formar bandas do género The Cure, Siouxsie and the Banshees, Joy Division, Depeche Mode, The Sisters of Mercy e afins. O Punk continua forte com Misfits. No country, tornam-se populares gente com voz rouca de whisky como Bruce Springsteen, Kim Carnes, Sheena Easton e Kenny Loggins.

Televisão

"Cresce aí delícia!" Uma das frases que alguns usaram para tentar processar os Thundercats.

Foi também o tempo do lançamento dos primeiros computadores e do famoso Show da Xuxa, que trazia desenhos muito toscos e duros de assistir como He-Man, Smurfs, os Flintstones (originários dos Anos 60 em todo o mundo menos no Brasil), dentre outras porcarias cheias de mensagem subliminar. Também foi a época do lançamento dos super-heróis japoneses na falida Manchete, com a tecnologia mais avançada do que dos super-heróis americanos, como Changeman, Jaspion e Jiraiya.

Caverna do Dragão, um dos únicos melhores desenhos dos anos 80.

Para alegria dos otakus, surgiram nesta época grandes Animes que foram exibidos por todo o mundo, exceto no Brasil, que era controlado pelas maléficas Organizações Globo. Eram vários desenhos muito divertidos, como por exemplo os famosos Dragon Ball, Cavaleiros do Zodíaco, Hokuto no Ken e Super Campeões, que foram febre no Japão e em países da Europa e nos Estados Unidos. No Brasil essas atrações só foram chegar a ser exibidos nos anos 90, mostrando o enorme atraso causado pelo isolacionismo dos tempos dos militares e a falta de preparo para uma abertura de verdade. Ao menos foi nesta época que o Fusca foi descontinuado no Brasil, só voltando a ser fabricado por insistência do mineiro "tupetudo" conhecido por Itamar Franco, persona non grata que Doutor Roberto não aprova.

Durante a década de 80 séries de TV bizarras e clássicas surgiram para educar nossos filhos eram séries de humor puro e com personagens que faziam peripécias dignas de Merlin. Vamos aos clássicos:

Está se sentindo velho?

Jogos

Os gráficos eram espetaculares nessa década.

Surge a Não-Intendo que revoluciona o mundo dos games com seus primeiros consoles; entre os de maior susseço estão NES, Super NES, Nintendinho e Game Boy. Tambem teve jogos de muito susseço menor fracasso como Pac-Man, The Legend of Zelda, Bomberman, Street Fighter, Donkey Kong e o famoso Mario Bosta Bros.

O Playstation 3 dos anos 80

A Sega ainda não existia bem como seus joguinhos de quinta, e só uns quantos ricos sortudos tinham uma em casa, que geralmente servia como ponto de encontro com os outros guris mais pobres que não tinham uma. O que todos os guris queriam era uma Atari ou uma ZX Spectrum, em que para jogar um joguinho com gráficos espetacularmente pixelados, você tinha de estar mais de uma hora montando a consola no televisor, no leitor de cassetes, o joystick... mas valia bem a pena.

Os Arcades eram bem mais baratos e em conta, o que fazia com que as empresas produtoras de videogames não tivessem bons lucros e atrazasses o pagamento de seus cobaias empregados. Já existia computador, mas era um lixo (isso no exterior, porque no Brasil ninguem nem mesmo sabia o que diabos era isso).

Moda

Tudo o quanto era cafona era modinha nessa década.

Imagine a maior cafonice possível… agora imagine pior… então, isso foi a moda dos anos 80. Com o lema “mais é mais”, a moda nessa década era se vestir que nem uma árvore de Natal, com muitos acessórios, muita maquiagem e muito cabelo. Estampadas tipo carpete, geométricas, havaianas e de oncinha eram muito fashion. Recordada como a década em que os vestidos de casamento eram maiores que o próprio bolo e mesmo o bolo era maior do que o altar da igreja, a década de 80 foi um tempo de exagero, consumismo, shoppings, joias, luxo e dinheiro... e depois as gerações seguintes é que pagaram a conta. A mulherada delirava com os looks de Madonna, Princesa Diana, Joan Collins, Cyndi Lauper, Demi Moore e Kim Basinger. Supermodelos como Jerry Hall, Grace Jones e Brooke Shields ditavam a moda. Os homens tinham como referência de moda George Michael (quando fingia ser heterossexual), Axl Rose, MC Hammer e David Hasselhoff... e coisas como Boy George, Prince e Michael Jackson.

1980 - 1983

Isso era considerado modinha.

Depois da loucura da Disco da década anterior, os anos 80 iniciam-se com a febre pelo fitness e pela moda esportiva inspirada na Dança. Inspiradas por Jennifer Beals e Jane Fonda, a mulherada começa a usar itens de aeróbica no dia-a-dia. Moletons rasgados, collants, cintos largos, polainas, tiras elásticas, shorts de ciclismo, leggings e vestuário esportivo em veludo, lycra e outras bizarrias eram usadas em público e fora da academia. Tudo isso em cores néon de rosa, amarelo, azul, verde combinadas com preto. Estampadas psicadélicas e geométricas viram febre.

Por volta de 1983, viram modinha os casacos de lã, jeans de grife, macacões, colares compridos com contas de plástico, minissaias justas e de lycra, luvas sem dedos, meias de arrastão e cintos BoyToy. Madonna populariza as saias usadas sobre leggings, pulseiras de borracha, cabelos descoloridos e joias de crucifixo. As saias de tule e as jaquetas curtas (tipo bolero) viram modinha por conta de Cyndi Lauper. A mulherada abraça a modinha de puta mostrar a alcinha do sutiã em público como símbolo de libertação sexual.

1984 - 1986

A Princesa Diana foi um dos grandes ícones de moda dos anos 80.

A meio da década, a mulherada achou que a breguice já era demais e começou a tornar-se mais conservadora. Com a ascensão ao poder de Margaret Thatcher e a popularidade crescente da Princesa Diana, a mulherada começa a copiar estes looks numa tentativa de ficar com um ar mais profissional para triunfar no mercado de trabalho. Colares de pérolas e ombros largos dominam a moda. Coisas como ombreiras, mangas bufantes, saias plissadas, fatos de saia + blazer numa só cor, cintos finos, joias grandes e brilhantes e sapatos executivos e pontiagudos são fashion. Mulher vestir igual a homem vira modinha. Os macho também começaram voltaram a usar fato de risca giz, gravata listrada e ternos trespassados em preto, azul-escuro e cinzento. Marcas como Giorgio Armani, Ralph Lauren e Anne Klein fazem grande sucesso.

Nem o macho mais macho se livrou dessa modinha.

Contra o Capitalismo, Racismo e outros males semelhantes, o tropicalismo vira modinha e várias minorias sociais adotam roupas simbólicas das suas origens. Em vários países da África, na Índia e na China popularizam-se o casaco safari e os ternos tradicionais Mao e Nehru. Padrão oncinha vira moda entre afro-descendentes. Vários ditadores africanos ostentam os seus ternos fashion e chapéus de oncinha para combater a moda ocidental e o Colonialismo enquanto o seu povo morre à fome a à doença. No Havaí, vira moda as camisas Aloha e as bermudas, que rapidamente se espalha para os Estados Fudidos. Influenciados pelos seriados Miami Vice, O Justiceiro e Magnum, P.I., os machos começam a usar jaquetas esportivas ou de camurça ou couro, ternos de ombros largos e acolchoados, óculos de aviador e camisas havaianas e coloridas.

1987 - 1989

Essa bosta vira modinha no fim da década de 80.

No final da década, o Satanismo Gótico vira modinha entre os fãs de The Cure, Siouxsie and the Banshees e The Sisters of Mercy. Coisas como Doc Martens, minissaias, vestidos de veludo, jaquetas de couro e maquiagem bem carregada de preto são usadas por gente deprimida e cheia de crises existenciais que gosta de passear no cemitério á noite. Espartilhos, pulseiras e coleiras pontiagudas são acessórios essenciais. Mas nem eles escapam aos penteados armados dessa década, usando tanta laca que uma simples chama podia fazer seu cabelo pegar fogo. Na Inglaterra, o movimento Pós-Punk é ainda mais abiolado deprimente, usando ternos e gabardines até aos pés de tons escuros, influenciados pela depressão alegria de viver dos integrantes de Joy Division, Bauhaus e afins.

O grande look do final da década de 80.

A moda de rua começa a ganhar atenção, espacialmente a de Nova Iorque. Inspirada por grupos de Hip hop e Rap. Inspirados pelos Beastie Boys e Run DMC, o vestuário esportivo da Adidas e da Puma viram modinha, assim como jeans rasgados, camisas sociais e jaquetas e chapéus de basebol. No Brasil, a Xuxa faz sucesso com os seus shorts de ganga, ombreiras, jaquetas de couro, mangas bufantes e cabelo armado. A minissaia era a única saia da moda no final da década de 80, tudo o resto era considerado cafona. Popularizam-se a biju de plástico em cores vivas, os saltos e os cintos finos, assim como boinas. A ganga vira febre, continuando até à década seguinte. Meias opacas coloridas, sapatos Keds e cores néon, ameixa, ouro, rosa e azul são as mais usadas. A roupa vira mais casual mas ninguém continua usando seu tamanho correto, sendo sempre maior do que devia.

Tendências de Beleza dos Anos 80

Na maquiagem, estavam na moda o colorido e extravagante, estilo palhaço (não é a tona que foi nessa década que Stephen King escreveu o It - A Coisa). Makes rosa, verde, azul e amarelo que parecem ter sido pensadas por criancinhas de 5 anos eram muito fashion. Tua avó Gurias retardadas copiavam os looks cafonas de Madonna e Cyndi Lauper. Tudo era usado ao mesmo tempo e muito colorido: era a sombra, o blush e o batom. Os Góticos queimam ao sol a sua pele pálida e abusam do eyeliner, sombra e batom pretos. Mais para o fim da década, as supermodelos popularizam a make de eyeliner preto e batom castanho.

No cabelo, a modinha era quanto mais armado, volumoso e empastado de laca, melhor! Tudo o quanto era brega era modinha nessa década. Permanentes, cabelo armado, rabo-de-cavalo lateral, franjas mal cortadas e enroladas, gel excessivo, laca excessiva, brilho excessivo… A mulherada delirava com cabelos inspirados em Madonna, e os macho nos penteados bizarros das lendas da WWE (especialmente o Hulk Hogan), Sylvester Stallone e drogados astros da música. Aberrações como mullets, bandanas e bigodinho foram muito populares entre os homens. Acessórios como scrunchies foram muito populares entre a criançada.

No Brasil

Até o Heavy Metal foi boiola nos anos 80...

Essa história você já sabe. O sempre claudicante rock nacional depois de certo ostracismo no final dos anos 70 ressurgiu com toda força na década de 80. Várias bandas apareceram ao mesmo tempo em grupos vindo de Estados diferentes. Caravanas das bandas do Sul, das bandas de Brasília, das bandas de Minas Gerais. Inúmeras gravadoras picaretas como o selo Plug foram criadas e desapareceram tão logo o fenômemo rock brazuca fosse esquecido.

Como sempre acontece no Brasil tudo chega atrasado. Um exemplo incipiente de New Wave era o patético Gang 90 & as Absurdettes. Aliás, ô década em matéria de nome de bandas. Alguém se lembra do Dr. Silvana & Cia, do Espírito da Coisa, do Herva Doce, do Finis África, de Akira S & as Garotas que Erraram, de Que Fim Levou o Robin?, de Os Melhores, do Eletrodomésticos, do Cinema a Dois, do Cheque Especial ou do impagável Os Heróis da Resistência?

E foi se aproveitando de planos econômicos para lá de suspeitos que o rock tupiniquim deu os seus primeiros passos. Hoje, parece difícil de acreditar, mas o rock brazuca dominava as paradas de sucesso. Nesses tempos sombrios onde pessoas escutam Prodigy como se fosse alguma espécie de música, o rock sumiu, desapareceu das rádios. Verdade seja dita, todos aqueles que criticavam o rock nacional na década 80 não sabiam o que estava por vir. Afinal, dá para levar fé em uma década onde Chico Science & Nação Zumbi, Calypso e Calcinha Preta são a salvação da Pátria?

Legado

Olhe a quantidade de coisas que você virgem aos 40 anos ou o seu pai/a sua mãe brincou quando criança.

Tantos produtos bregas acabaram derretendo o célebro de muitas das crianças que viviam na época, deixando suas mentes permanentemente presas naquela época. Assim, tornou-se comum ver marmanjos de 20 e tantos anos passando correntes de e-mails lembrando reminiscências daquela década que seria melhor terem permanecido esquecidas ou frequentando as famigeradas Festas Ploc, em que dançam ao som de músicas que já eram ridículas na Década de 80.

Foi para tentar ajudar os acometidos por este mal que surgiu a associação sem fins lucrativos Nostálgicos Anônimos, mantida pela Fundação Bozo de Amparo e Assistência. Por meio de reuniões semanais, os nostálgicos tentam perceber que cresceram e que já estão no Século XXI, deixando os ícones dos Anos 80 para trás. A taxa de recuperação tem sido grande.

Ver também

Lista de anús anos 1980 até 1989
<< 1980 - 1981 - 1982 - 1983 - 1984 - 1985 - 1986 - 1987 - 1988 - 1989 >>