Costa Rica

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para navegação Ir para pesquisar
Tiquicia
Barriga Rica
Costa Pobre
Bandeira da Costa Rica
Brasão de Armas da Costa Rica
Bandeira Brasão
Lema: Vamos logo para os Estados Unidos
Hino nacional: Pura Vida!

Localização de Costa Pobre

Capital Seu José
Cidade mais populosa Pança Rica
Língua espanhol
Religião oficial Não há
Governo Democracia Venezuelana
 - Presidente Hugo Chávez
Heróis Nacionais não tem ninguém que o país possa gostar
Área  
 - Total 300.000 Km3 de areia km² 
 - Água (%) 10
Analfabetismo 65 
População Uma ninharia 
PIB per Capita Não faz jus ao nome 
IDH
Moeda cólon (útero)
Fuso horário - menos dinheiro
Clima Chuvoso de caribe
Website governamental ??


Cquote1.svg Marfim é melhor que ouro Cquote2.svg
Costa do Marfim sobre Costa Rica

Costa Rica é um pitoresco país que faz fronteira com Barriga Rica a sudeste, Nuca Rica ao norte e Nádegas Ricas ao sul, sendo um dos trocentos países minúsculos da América do Meio que ninguém liga. A única diferença que os Ticos têm em relação à Costa Pobre (também chamada de Nicarágua) é que eles ostentam mais suas riquezas trazidas por outros costarriquenhos que moram ilegalmente nos Estados Unidos.

História[editar]

Civilização nativa[editar]

Entrada da prefeitura dos Dicks com o famoso monumento do Testículo de Pedra Diqui na entrada.

Os nativos da Costa Rica se chamavam Dicks (que do saxão significa "Piroca") e a tribo não recebeu esse nome por acaso e nem por qualquer tipo de ofensa gratuita, os Dicks eram assim chamados devido à sua enorme obsessão por bolas. Há um grande mistério arqueológico sobre o povo Dick, quem eram e o que faziam, mas a teoria mais aceita sobre o cotidiano deste antigo povo é que eles eram um povo emasculado (por isso se chamavam "Dicks" e não "Testicles") e que se reproduziam através da captura e emasculação de jovens de tribos vizinhas (Nicarágua). A ausência de testículos em seus corpos (e de mulher para copular) criava na tribo essa enorme obsessão por bolas que os fizeram esculpir mais de 300 bolas de pedra e simplesmente espalhá-las por aí. Como cada bola representa um ovo sacrificado de um integrante da tribo, hoje se sabe que existiram 150 Dicks e eles acabaram extintos pelo óbvio motivo de não conseguirem se reproduzir.

Mas haviam outras tribos também na região, os Bichas, os Cagoetas, os Chorões e os Burucratas, todas tribos abarrotadas de ouro, mas que usavam esse ouro parta produzir porcelanato de uns bonequinhos obesos e de uns vasos em formato de jabuti. Até por esse desprendimento pelo ouro estima-se que os 700 trilhões de toneladas de ouro que esses povos tinham em El Dorado foram trocadas por 10 espelhos espanhóis, o que também explica como a Costa Rica virou Costa Pobre tão rápido.

Costa Rica colonial[editar]

É visível a influência espanhola na arquitetura dos bairros costarriquenhos.

A Costa Rica foi descoberta por acidente pelos espanhóis em 1500 graças ao desbravados espanhol Tico del'a Costa Ricas que só queria comprar cigarros duty-free em Heligoland, mas infelizmente ele não era um navegador muito talentoso e se perdeu completamente. Depois de semanas vagando no oceano ele e sua equipe chegaram a uma praia desconhecida onde devido a uma forte crise de disenteria com Escorbuto Costa Ricas morreu na praia após vomitar as próprias tripas. O nome "Costa Rica" foi uma ideia do Cristóvão Colombo que nunca soube da existência de Tico del'a Costa Ricas, e apenas num acesso de sarcasmo pôs a lei de Murphy a funcionar ao escolher o nome "Costa Rica" para designar a terra em que tinha chegado em 1502. Esse nome, "Costa Rica", é uma pura coincidência que seja sinônimo de "camarão com arroz" no idioma chibcha. O termo "Costa Rica", portanto, nada mais é do que uma expressão incorreta e arcaica de um país que atualmente ocupa seu território, a "Costa Pobre".

Os espanhóis lógico, disseminando as ideias cristãs na região, dizimaram as tribos e ficaram com todo o ouro. Depois foram elevar a inflação na Europa e torrar todo o dinheiro comprando porcarias dos ingleses. Esta foi a época do Vice-Reino da Nova Espanha, 300 anos de completo abandono e apenas pura exploração dos recursos naturais da região.

Domínio mexicano[editar]

Em 1821 o México conquista a sua independência, mas a Costa Rica não porque os costarriquenhos foram transformados num dos estados do México. Obviamente o povo da Costa Rica não ficou muito satisfeito com isso, afinal eles não são mexicanos, nem gostam de trombetas e nachos. Então o herói nacional Gregorio José Ramírez y Castro enviou uma carta para a Cidade do México comunicando o engano e que o novo mapa do Império Mexicano estava equivocado mostrando a Costa Rica como seu território. O burrico morreu no caminho e Agostinho I do México nunca chegou a ler tal carta porque morreu fuzilado acusado de ser imperador mequetrefe.

Estados Unidos fajuto[editar]

Tentando imitar o sucesso que estava sendo os Estados Unidos da América, a Costa Rica integra os Estados Unidos da América Central em 1823 que pelo visto não eram tão unidos assim, na verdade eram os cinco países da América Central que mais se odeiam que resolveram se juntar, só poderia dar merda. Honduras odiava El Salvador e vice-versa, Nicarágua odiava Costa Rica e vice-versa, e todos odiavam a Guatemala e vice-versa. A única coisa em comum que esses países tinham era a bandeira similar, e mesmo isso a Costa Rica meteu um vermelho e homenageou os franceses só de birra pelos vizinhos.

Primeira República[editar]

A Costa Rica conseguiu a independência de fato só em 1838 e agora pela primeira vez era um país livre para fazer a merda que quiser. Começaram com o Estado Livre da Costa Rica, mas não entenderam muito bem o que era aquela novidade chamada presidencialismo e acharam que só porque não era mais nenhum rei ou imperador podiam ficar trocando de líder a hora que quiser, por isso em 9 anos de existência tiveram 6 presidentes.

A primeira República da Costa Rica que veio em seguida pelo menos durou 100 anos. Essa foi uma invenção do José María Castro Madriz que teoricamente era o décimo primeiro presidente costarriquenho, mas que num movimento genial refundou a Costa Rica só para ele ser o primeiro presidente e o "pai fundador da Costa Rica". Foi até ele quem meteu aquela faixa vermelha na bandeira só para jogar no esquecimento os 10 que vieram antes dele. Durante 100 anos a Costa Rica foi governada por um sistema político denominado por eles próprios como "ninguém é de ninguém, deixa a putaria rolar" porque só era permitido ser presidente aqueles que fossem liberais e fossem, portanto, a favor da bagunça e da desordem, pois a única prerrogativa do presidente costarriquenho era ficar sentado no palácio contando quanto acumulou de imposto aquele dia, fazendo porra nenhuma e deixando o povo se virar sozinho. Candidatos conservadores e católicos eram permitidos de existir, mas só poderiam tentar assumir o governo através de algum golpe de estado, o que tentaram em 1870 e 1917, tendo conseguindo breve sucesso somente nessa segunda tentativa.

Ditadura dos Irmãos Tinoco[editar]

Imperador Tinoco exibe a sua esposa muito bem nutrida.

Em 1917 o presidente Alfredo González Flores estava fazendo um monte de merdas, a Costa Rica havia acabado de ganhar o 23º prêmio por 23 anos consecutivos por ser o país mais ineficiente de todas as Américas, uma consequência de tantos anos de liberalismo e um povo sem saber o que fazer da vida. Conhecendo bem as regras eleitorais do seu país, Federico Tinoco Granados subornou alguns marinheiros e organizou o golpe militar porque só assim ele poderia assumir a presidência do país. Insatisfeito em ter assumido a presidência através de um golpe militar, Tinoco demonstrou grande humildade em realizar uma nova eleição onde ele pudesse ser eleito democraticamente, por isso foi candidato único com partido único e o único que poderia votar era o atual presidente, que era ele e votou em si mesmo, assim se elegendo democraticamente e criando uma nova Constituição que abolia o Congresso e as eleições.

Tinoco, apesar do nome ridículo, colocou o irmão, outro Tinoco, como Ministro da Guerra e iniciaram juntos a primeira ditadura militar da Costa Rica que por 2 anos foi muita aceita no país graças à repressão de opositores que eram submetidos a cárcere e tortura. O sumiço de pessoas insatisfeitas fazia da Costa Rica o país com o maior número de pessoas satisfeitas do mundo e uma enorme evolução parecia aguardar o futuro da nação. Infelizmente, uma meia-dúzia de insatisfeitos se reuniram no Panamá, fizeram uma milícia e invadiram a Costa Rica, matando um Tinoco e expulsando outro para a França, onde aliás teve uma vida boa em Paris até morrer.

Guerra Civil de 1948[editar]

Um dia, um cara chamado Don Pepe decidiu brincar de democracia... e teve uma derrota acachapante contra Don Rafa e Manolo que assumiu a presidência de 1940 a 1944, sendo ele o presidente que declarou guerra contra a Alemanha sem nem que os alemães soubessem quem era Costa Rica e antes do primeiro barquinho costarriquenho chegar na Europa os alemães já estavam dizimados em 1945.

Enquanto isso Don Pepe planejava a destituição de Don Rafa utilizando uma estratégia amplamente utilizada por muitos políticos de sua época: a guerra civil, que não deu muito certo porque o sucessor de Don Rafa foi Michalski que usou o nome para convencer a todos que era um blochevique.

Em 1948 Don Pepe ainda estava sedento em assumir o poder, mas todos o achavam louco, então um dia ele se encontrou com o bêbado do comitê de bairro (a antiga forma de governo do país) chamado Otilio, e o propôs se candidatar a presidente porque costarriquenhos gostam de bonachões na presidência. A esperteza de Don Pepe foi colocar o seu RG, nome e CPF em todos os documentos que Otilio deveria assinar, então quando Otilio venceu as eleições de 1948 quem assumiu a presidência foi Don Pepe, o que pegou todo mundo de surpresa. Obviamente muitos adversários ficaram puto da cara ao ver Don Pepe presidente do nada, então tudo precisou ser resolvido num grande campeonato de cumbia em 1948, um torneio baseado não apenas em gingado mas em capacidade de fazer rimas ofensivas, algo que Don Pepe era especialista e assim ele assume a presidência, cria a Segunda República e extingue as Forças Armadas do país sob o pretexto de "pacifismo" quando ele apenas queria garantir que ninguém fosse aplicar mais golpes militar no seu país.

Eventos recentes[editar]

Atualmente a Costa Rica é a mesma porcaria de todos os seus vizinhos da América Central e não possui qualquer destaque internacional, com um leve destaque apenas para a Seleção Costarriquenha de Futebol que participa de Copas do Mundo, mas fora isso ninguém nem sabe o que a Costa Rica ou onde fica ou o que tem por lá.

Geografia[editar]

A fauna costarriquenha possui animais únicos.

A Costa Rica é um país pequeno e estreito, alguns acham ser impossível que dentro de seus poucos quilômetros quadrados de extensão territorial coexistam mais 10 tipos de climas, encontram-se 80% de todas as espécies de insetos do planeta, existam mais de 7 raças étnicas e se localize em três continentes simultaneamente, variando de América do Norte, América Central e América do Sul conforme o gosto, sendo norte-americanos na hora da arrogância em relação aos vizinhos que considera subdesenvolvidos, sendo centro-americanos na hora da pobreza e da quantidade de favelas, e sendo sul-americanos na hora da marra e da capacidade de gostar de música ruim.

Mas para fins geográficos a Costa Rica é considerada um país da América do Centro e seu território físico emergiu há muito tempo do Caribe após uma obra arquitetônica de aterramento que Hugo Chávez mandou fazer para conseguir fazer seus exércitos marcharem para os Estados Unidos. A vegetação é predominantemente formada por florestas tropicais primárias, bem como plantações de café e banana.

População[editar]

Com uma população de 5 milhões de habitantes a Costa Rica não é um dos mais populosos da região. É perceptível que os Ticos (apelido auto-escolhido) são sexualmente maduros em uma idade muito precoce e as Ticas têm potencial para engravidar já aos 9 anos de idade. Essa gravidez precoce, entretanto, mesmo que já seja um traço cultural na Costa Rica não afeta a demografia do país pois a crescente quantidade de bebês novos nascendo é compensado por traficantes matando seus devedores, o que mantém o crescimento populacional do país sempre estável, vai ver por isso o governo costarriquenho nunca fez nada contra os traficantes.

O costarriquenho, apesar de estar na América Central, em muito se assemelha aos sul-americanos, são um povo desenvolto e cheio de malandragem e é facilmente reconhecível por estar em algum lugar dando algum golpinho ou passando a perna em alguém. Um costarriquenho quase sempre vai ser aquele cara que, apesar de ter mais de 40 anos e ser barrigudo, acredita que pode ser o próximo treinador da seleção nacional e sempre vai tentar conquistar garotinhas 20 anos mais jovens que ele apenas usando elogios machistas como "Gostosa", "Tesuda" e similares. Mas tudo isso os colombianos e os brasileiros fazem, por exemplo, então para diferenciar um costarriquenho ele será o cara que estará fazendo esses "elogios" apenas de um carro em alta velocidade, mas nunca na frente de uma mulher, e se o carro parar por algum motivo tipo um semáforo, ele vai tirar o celular do bolso e fingir que nada aconteceu. Fora tudo isso, um bom método de identificar um costarriquenho é rastrear quem está negando categoricamente que o molho Lizano seja a mesma coisa de um molho inglês.

Política[editar]

Laura Chinchilla, eleita presidente da Costa Rica em 2010.

A Costa Rica tem uma democracia republicana ininterrupta desde 1918, uma conquista antes impensável na América Central, embora durante esse período já tenham acontecido uma ou outra guerra civil, um ou outro golpe de estado e uma ou outra eleição fraudada. Mas o país já teve até ganhador do Nobel como presidente, caso de Óscar Arias Sánchez, que foi expulso do cargo de presidente depois que uma proibição na constituição fez com que a reeleição se tornasse um evento inconstitucional, algo possível após um expurgo em massa mas espontâneo dos ministros do Supremo Tribunal. Embora um novo expurgo espontâneo de mais ministros desse mesmo Supremo Tribunal fizesse com que reeleições voltassem a ser válidas o que permitiu o segundo mandato de Óscar.

Cada um dos últimos 14 presidentes da Costa Rica já foram em algum momento indiciados por aceitar suborno durante seu mandato. Essa consistência incomparável na corrupção política traz orgulho à população.

Subdivisões[editar]

A Costa Rica é um país pequeno e se subdivide em apenas 7 províncias, e mesmo não sendo muita coisa já é o bastante para criar identidade regional e despertar rivalidades e ódio mútuo entre as províncias. Alguns territórios, como Tres Ríos, tentam sua independência já que são uma área afetada por física quântica semelhante à do Triângulo das Bermudas, um lugar onde nenhum policial vai e os habitantes rejeitam qualquer vínculo com Cartago, mas são categoricamente rejeitados por San José, deixando-os numa espécie de abismo jurídico difícil de definir.


Economia[editar]

Um costarriquenho provando que seu país faz jus ao nome.

A Costa Rica deu o terrível azar de perder uma disputa de par-ou-ímpar com o Panamá e não construíram o Canal da Costa Rica, mas sim o Canal do Panamá. O país que teve sorte de cobrar pedágios foi o Panamá, a Costa Rica só foi ficando mais pobre. A única vitória econõmica da Costa Rica foi o que eles chamam de "Anexação de Guanacaste", um lugar com praias feias de areia dura e preta, mas que ainda assim dizem ser as praias mais belas do mundo. A verdade é que Guanacaste antes pertencia à Nicarágua e os costarriquenhos gostam de elogiar aquele território só para sacanear os vizinhos e causar inveja nos nicaraguenses. Aliás, se o país está mais rico que a Nicarágua os costarriquenhos já se dão por satisfeitos.

A Costa Rica é o lar de 95% das reservas mundiais de cocô de pássaros do mundo, pois os outros países não coletam esse recurso tão abundante na natureza para virar bom fertilizante, o que torna o país líder nesse ramo. A Costa Rica também é conhecida como país das bananas e a população local adora ser chamado de maizeros por causa disso, uma palavra que significa "caipiras da colheita do milho e comedores de Tamal" (tamal é uma espécie nojenta de pamonha mas com um PF dentro: arroz e feijão) e todo esse cidadão tem um segundo emprego porque os salários não pagam o milho que comem.

Apesar de ser um país predominantemente agrário, o setor de serviços também tem sua relevância no PIB do país, tanto que uma importante fonte de renda para o costarriquenho médio está em seus serviços prestados para a Casa de Empeños La Cueva, que é o Wallmart costarriquenho, uma instituição centenária e respeitada especializada em comércio e remuneração monetária em troca de mercadorias roubadas discretamente de outras pessoas.

Turismo[editar]

As vans de turismo têm sido uma bênção para a economia local, pois seus adesivos pretos e amarelos chamativos identificam quais veículos são os melhores para roubar.

Visitar a Costa Rica tem se tornado um destino cada vez mais popular, os visitantes se sentem atraídos pela pitoresca mistura entre moda espanhola, marcas dos Estados Unidos, tecnologia haitiana, pilantragem sul-americana e instabilidade política centro-americana. Os turistas, obviamente, estão todos em Cancún no México, mas tem alguém que insiste que existe ecoturismo na Costa Rica, chamam isso a prática de se embrenhar na selva para contrair malária.

O ecoturismo está em alta na Costa Rica por causa de sua floresta tropical sendo este um tipo bem fácil de turismo, pois nada precisa ser feito, o turista apenas precisa ser solto no meio da floresta, sofrer um pouco por lá, e depois voltar com uma falsa sensaçãod e aventura cumprida. Os ecoturistas geralmente são ricaços notórios por apenas contar sobre os locais subdesenvolvidos os quais já visitaram ("Eu estive na Floresta Tropical do "<país subdesenvolvido a sua escolha>"!!!") o que causa mais inveja no seu círculo social e leva mais ecoturistas para a Costa Rica fazer nada, sem contar que esse tipo de turista são os mais fáceis de extorquir dinheiro, afinal eles estão lá tanto para experimentar situações difíceis e nisso o costarriquenho sabe oferecer.

Fora da selva o país oferece bungie jumping, parques de diversões, cyber-cafés, ligas de beisebol e basquete e outras atividades facilmente disponíveis em casa como campeonatos de jogo de dama, tudo isso para turistas que não se importam com um voo noturno e dois dias de diarreia após beber da água costarriquenha. A primeira coisa que você nota no centro de San José, aliás, são gringos altos praticando seus passeios, indo de loja em loja, nunca entrando e nunca comprando, apenas checando as coisas. Em um exame mais aprofundado você pode identificar os seguintes arquétipos: Nicaraguenses e colombianos que não se distinguem dos locais, exceto por seu desinteresse pelas consequências de suas ações; Mochileiros desajustados dos Estados Unidos que são enganados por todos por ali.

Infraestrutura[editar]

Transportes[editar]

A Costa Rica é um raro país do mundo que não possui rodovias, nãos endo possível considerar como "rodovia" aquela coisa esburacada e barrenta que alguns veículos de 1970 usam para trafegar, tanto que é por culpa da Costa Rica que não é possível ir de carro para os Estados Unidos, porque a estrada sempre acaba ali.

O país tem o status de lugar "quase mitológico" não a toa, muitos especialistas acreditam que para chegar à Costa Rica é preciso contornar uma fogueira três vezes, enviar dois sinais de rádio para os alienígenas e dar uma volta de 90 graus num pulo preciso enquanto canta "segurem as mãos um do outro comigo" para ser teletransportado para o Triângulo das Bermudas. Lá, o viajante deve recitar uma ode aos ouvidos de Óscar Arias e assim aparecerá de repente em algum lugar qualquer da Costa Rica. No entanto, outro pequeno grupo concorda que para ir a este país basta conseguir uma passagem aérea para San José, sem saber que quando pousarem estarão é em San José da Califórnia.

Segurança[editar]

A Costa Rica é considerada um dos países mais pacíficos do mundo, tanto que nem tem exército, pois teoricamente não precisam. Os costa-riquenhos tomaram a decisão em 1948 de que os exércitos são "uma coisa perigosa" e aboliram os seus próprios, surpreendendo ninguém mais do que eles mesmos quando nunca mais houve golpe militar no país, enquanto os seus dois vizinhos ficaram até com vergonha de invadir a Costa Rica pois sabiam que seria golpe sujo. Isso também criou uma piada local que diz: "Você é tão útil quanto um General do Exército". Essa piada, entretanto, na América Central só funciona na Costa Rica, os infelizes que não estudaram geografia direito e fizeram essa piada na Guatemala, na Nicarágua, ou em Honduras se viram em pé ao ar livre encarando uma parede de tijolos e um pelotão de fuzilamento como companhia em suas costas. Quanto à Costa Rica, em 1948 eles transformaram os militares em uma seleção de futebol, por isso eles sempre estão na Copa do Mundo.

A segurança é feita somente pela polícia da Costa Rica, que é chamada de Pacos, um nome que imita o chamado de acasalamento de um papagaio local que fica escondido na folhagem e quando um parceiro vem eles plantam ervas daninhas nas penas do parceiro e dão o flagrante. Os Pacos impõem a lei e a ordem, principalmente usando pistolas e espingardas da Batalha de Rivas de 1856 e alguns deles até usam coletes e capacetes à prova de balas. Suas tarefas constitucionais incluem: Parar qualquer pessoa estrangeira em um carro alugado e multá-la por violações técnicas, incluindo a falta de apresentação de um recibo da última cabine de pedágio ou a ausência de um segundo triângulo, exijindo que o turista compareça ao tribunal em Alajuela em dois meses, ou oferecer um pagamento em dinheiro simbólico no local.

Combinado com a polícia eficiente do país o sistema judicial mais eficiente do mundo também é o tribunal constarriquenho que prende, julga, sentencia e solta bandidos e criminosos em menos de 2 horas.

Educação[editar]

O sistema educacional costarriquenho começa muito cedo, pois os pais, para evitar educar seus filhos, os mandam para a escola a partir dos três dias de idade e não os procuram novamente até que tenham obtido o doutorado ou se tornado alguém famoso. O ensino fundamental costarriquenho consiste em seis anos de doutrinação para fortalecer as fobias dos Ticos contra nicaraguenses, gays e estudo. Quando graduados podem começar a catequese onde aprendem a odiar ainda mais os gays e só então podem ingressar no ensino médio onde a maconha é geralmente conhecida e as fobias típicas dos Ticos são reafirmadas: nicaraguense, gays e estudo. Quanto ao ensino superior, na Costa Rica existem universidades públicas e privadas e elas são bem diferentes entre si.

As Universidades Públicas são poucas e são todas lideradas pela União dos Comunistas Radicais. Nessas respeitadas instituições de ensino, não importa o curso, é ensinado a todos que: Deus não existe, é uma invenção dos capitalistas; O marxismo é provavelmente a melhor coisa que nos aconteceu; A melhor maneira de passar seus anos de faculdade é protestando nas ruas por tudo que eles possam pensar que precise ser protestado.

As Universidades Privadas, por outro lado, são o orgulho da nação, pois são um exemplo de eficiência e eficácia: Essas instituições são capazes de em três meses formarem graduandos em direito, medicina, farmácia, engenharia computacional, pedagogia, veterinária, e economia. Graças às universidades privadas, a Costa Rica possui uma grande frota de taxistas que também são advogados, uma multidão de carpinteiros que também são engenheiros agrícolas, uma multidão de donas de casa que são assistentes sociais, e milhares de porteiros que também são economistas.

Cultura[editar]

Por ser um país meio abandonado, não há muita cultura por ali além daquelas pedras de bola. A atividade costarriquenha que mais se aproxima da definição de "expressão cultural" são as mulheres costarriquenhas que são notórias como garimpeiras. A busca incessante por um marido estrangeiro rico não é exclusividade da Costa Rica, mas nesse país é um hábito tão forte que chegou a desenvolver uma identidade nacional como em nenhum outro lugar.

Culinária[editar]

McDonald's costarriquenho oferecendo arroz com feijão com o nome de Pinto.

A culinária costarriquenha baseia-se em colocar o molho Salsa Lizano em tudo, se a comida não tiver molho Lizano nem comida é considerado.

A culinária costarriquenha é bem simples, a população se alimenta de arroz com feijão, eventualmente biscoitos e genitais de macacos. O prato nacional do país é o "gallo pinto", que nada mais é que "feijão com arroz" sem galo e sem pinto, o que na real não faz disso um bom "prato nacional" já que todos os outros países da América Latina comem arroz com feijão, mas a Costa Rica é o único que colocou um nome diferente chamando seu arroz com feijão de "gallo pinto". Os habitantes locais, portanto, comem arroz com feijão acompanhados de arroz com feijão no café da manhã e no almoço (o jantar geralmente é cancelado porque não há fornecimento de energia e o Tico comum dorme às 18h). As vezes para variar o almoço pode ser "Pollo Frito", um frango frito inteiro (com pena, cabelo, bico, pés, órgãos internos). O que chama a atenção nessa dieta é a falta de frutas e vegetais, um déficit de vitaminas que normalmente é compensado pela ingestão regular de várias drogas (maconha, conservantes, pílulas para dor de cabeça, cocaína, leite em pó, etc).

Os principais restaurantes que oferecem as comidas mais típicas do país são os restaurantes da KFC, McDonalds, TacoBell, Domino Pizza, Spoletto e Subway. Em todos esses mencionados estabelecimentos é possível pedir o "Casado", nome de um prato que traz arroz, feijão e uma proteína a escolha (frango, peixe, porco ou carne).

Esportes[editar]

O esporte-rei da Costa Rica é assistir ao futebol de times estrangeiros que sabem jogar e eventualmente torcer para o time da cidade mas sem precisar assistir aos seus jogos sofríveis, apenas acompanhando os resultados das partidas como uma espécie de loteria.

Outro esporte muito apreciado pelos ticos é o de organizar os famosos "bloqueos" (organizados principalmente por universitários). O jogo consiste em faltar ao trabalho ou aulas com autorização destas, munir-se de criativos cartazes, chapéus e estandartes e passear em numerosos grupos pelas ruas mais movimentadas e importantes do país cortando o acesso de toda a população a bancos, hospitais, delegacias e outras possíveis entidades de emergência.

Idioma[editar]

O costarriquenho fala a língua espanhola, mas eles odeiam os espanhóis então precisaram de algo para se diferenciar, então criaram a palavra "mae", resultando na criação do dialeto costarriquenho. A origem do vocábulo seria do Engrish, outro idioma popular local, quando eles falam "mae fren" ("meu amigo" em inglês).

Abaixo um dicionário português→espanhol→costarriquenho:

  • Como vai você? → ¿Cómo está? → ¿Mae cómo está mae?
  • O que foi? → ¿Qué hace? → ¿Mae qué hace mae?
  • Onde você vai? → ¿Adónde va? → ¿Mae adónde va mae?
  • Que bom → ¡Qué bueno! → ¡Mae qué tuanis mae!
  • Que merda → ¡Qué cagada! → ¡Mae qué cagada mae!
  • Olá → Hola → ¿Que mae pura vida mae?

Religião[editar]

Fiéis costarriquenhos protestando mais uma vez.

A religião predominante na Costa Rica é o protestantismo, a única religião ensinada nas universidades públicas do país. Essa crença, como o nome já di consiste em protestar contra tudo! Não importa contra o quê. Contra os impostos, contra Óscar Arias, contra Laura Chinchilla, contra o Depotivo Saprissa, contra as escolas, contra o trabalho... As vezes nem é preciso ter motivo, basta sair na rua e protestar. Suas peregrinações são o contrário, porque em vez de chegarem ao templo, eles o abandonam e vão para a rua, sendo o mais usual é que saiam das universidades e inevitavelmente se reúnam na Assembleia Legislativa.

O catolicismo é uma segunda religião em número de fiéis, não tem a mesma força de antigamente mas continua ajudando o povo costarriquenho a serem um dos mais homofóbicos do mundo.

Mirror2.jpg Conheça também a versão oposta de Costa Rica no Mundo do Contra:

Espelhonomdc.jpg
Flag-map Costa Rica.png Costa Rica
HistóriaGeografiaDemografiaPolíticaSubdivisões
EconomiaMoedaTurismoCulturaBandeiraBrasãoHino
Itza Oxxo.png
América
v d e h

América Central: Antígua e Barbuda | Bahamas | Barbados | Belize | Costa Rica | Cuba | Dominica | El Salvador | Granada | Guatemala | Haiti | Honduras | Jamaica | Nicarágua | Panamá | República Dominicana | Santa Lúcia | São Cristóvão e Nevis | São Vicente e Granadinas | Trindade e Tobago


América do Norte: Canadá | Estados Unidos | México


América do Sul: Argentina | Bolívia | Brasil | Chile | Colômbia | Equador | Guiana | Paraguai | Peru | Suriname | Uruguai | Venezuela


Territórios: Anguilla | Aruba | Bermudas | Bonaire | Curaçao | Groenlândia | Guadalupe | Guiana Francesa | Ilhas Cayman | Ilhas Falkland | Ilhas Geórgia do Sul e Sandwich do Sul | Ilhas Turcas e Caicos | Ilhas Virgens Americanas | Ilhas Virgens Britânicas | Martinica | Montserrat | Porto Rico | Saint-Barthélemy | Saint Martin | Saint-Pierre e Miquelon | Sint Maarten