Cheetahmen

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para navegação Ir para pesquisar
Você até pensa "poxa, tem uma intro, tem uma historinha, esse não pode dar errado..." E deu!

Cheetahmen era pra ser a grande aposta, o carro-chefe de Action 52 (pelo menos na versão do Nintendinho), ainda que sendo o jogo nº 52 e a essa altura, caso você tenha MESMO decidido passar pelos 52 jogos em sequência igual ao suicida do Angry Videogame Nerd, provavelmente você já está tão sedado com a ruindade dos jogos anteriores que se esse for ao menos um jogo tolerável, você irá elencar ele a uma obra prima, um jogo do nível de Super Mario Bros 3 ou perto dessa perfeição toda... Cara, um dos personagens principais do jogo tá na tela inicial do cartucho, como isso poderia dar errado?

Pois deu. O jogo é tão ruim que você basicamente pode pegar todas as desgraças que jogou nos jogos anteriores LITERALMENTE e enfiar nessa caralha que dá na mesma, é praticamente o Challenge da versão NES, só que mais carismático um cadinho de nada. Tanto que a versão do Mega Drive, já percebendo que o nível não melhorou em absolutamente porqueira alguma, jogaram ele pra, sei lá, 13ª posição nos joguinhos. É, até a Active percebeu que não ia dar em porra nenhuma mesmo esse jogo...

Versão do Nintendinho[editar]

WOW NICE GRAPHICS!

Incrivelmente, esse jogo não só tem uma tela inicial (tal qual Ooze e Storm Over the Desert) como tem uma historinha por trás contada em uma cutscene, quer dizer, algumas imagens com legenda feitas no Paint do Windows 2.0. Nessa historinha, um garoto sei lá como foi sugado pelo videogame dele enquanto jogava (efeito colateral de jogar muito Action 52) e acabou dando de cara com três chitas que simplesmente deram a ele a missão de se tornar um deles estágio após estágio desse jogo e assim virar de fato um herói e quem sabe sair fora da TV depois disso ou morrer dentro do jogo em agonia por estar preso numa desgraça dessas.

No jogo, como informei antes se você não for cego, burro ou MOBRAL pra não ter visto, você pode controlar os três chitas, um a cada dois estágios. O primeiro é o Aries, que não tem os poderes do Mu de Áries em definitivo, é só um chita com faixa na cabeça pagando de atleta. Seus ataques são bem bostas, e sua maior "habilidade" é que seus estágios são em 3D (olha que chique!), quer dizer, algo que se supõe ser 3D, já que ele pode andar em mais de uma tela, mesmo que por vezes o chão da tela seja completamente inseguro e a detecção de colisão desse jogo seja completamente nível Action 52 (ou seja, porca).

O segundo é o Hercules, que só tem esse nome por ser tomador de bomba bodybuilder, e passa pelos estágios 3 e 3 (sim, são DOIS estágios 3, não me pergunte o porquê). Esse é o único que tem barra de energia, que na verdade é meramente decorativa, já que você pode morrer com 5 ou 1 golpe só, depende do humor do jogo. Mas curiosamente esse é o personagem com um glitch zoeiro, que faz com que você possa facilmente atravessar os dois estágios praticamente voando pela tela. É só ficar apertando o pulo o tempo todo que sei lá como o mais pesado dos chitas consegue o que nenhum chita jamais conseguiu na vida, nem aquele de Beast Wars: voar.

O terceiro se chama Apollo e anda sempre com uma besta, que atira duas flechas por minuto e acertar inimigos é o maior desafio do universo, já que eles tudo estão ou mais baixos que o alcance dela (pois é, os chitas até abaixam, mas bem pouco), ou altos pra caralho. Serão os dois últimos estágios mais difíceis do universo, nem Super Metroid, Contra, Street Fighter 2010 ou Ghosts 'n Goblins têm estágios finais tão desgracentos como esses. Se você conseguir passar por tudo isso, vai se deparar com o chefão final mais ridículo do universo, provando que o verdadeiro desafio é sobreviver ao jogo em si, os chefes são uma piada total.

Ah sim, quando você zera, você ganha como uma bela recompensa... voltar pra tela inicial do jogo. Parabéns por horas e horas de perda de tempo!

Versão do Mega Drive[editar]

Até parece que melhorou, só parece...

Na versão do Mega Drive deram uma mudança no jogo, em que você passa por três estágios apenas dessa vez e eu nem sei direito qual dos chitas cê tá controlando dessa vez, apesar que deve ser o Aries, sei lá, depois o Hercules, depois o Apollo, tanto faz, os três só fazem a mesma merda no jogo todo. Bem, em questão de gráficos deu uma bela melhorada, não há como negar. Mas a jogabilidade foi bem piorada, principalmente porque agora você tem que pegar alguns itens para conseguir passar de estágio, bem a lá Kid Chameleon, mas ficou mais parecendo jogos de Wayne's World, confusos pra cacete e sem nenhuma indicação de pra onde caralhos você tem que ir. Com isso, se você realmente curtir esse jogo, você tem probleminhas sérios.

Desenho animado?[editar]

Pois é, essa cópia cagada de Battletoads tentou, como eles, ter um desenho animado. A Active Enterprises realmente investiu horrores nesse jogo (50 dólares) com o intuito de levar para a TV um desenhinho. Dizem que chegaram a gravar um episódio piloto, mas o piloto acabou perdendo o controle da moto que ia levar o episódio pro estúdio de TV e aí ficou só num comercial mequetrefe mesmo que nem pra promover a porra do jogo serviu.

Reboot?[editar]

Pois é, muitos anos mais tarde, uns malucos decidiram fazer um reboot (na verdade, fizeram de todos os jogos do Action 52, mas ninguém se importa muito), dessa vez pegando elementos de Teenage Mutant Ninja Turtles IV: Turtles in Time (inclusive jogar com os três chitas ao mesmo tempo), e não é que ficou bom? A Active na verdade era tão a frente do seu tempo e nós que não reparamos nisso, olha aí!

Porra nenhuma, o jogo deles era ruim mesmo e acabou-se, era tão ruim que até minha avó com demência faria uma desgraça melhor que essa.

Não jogue também - até porque, achar o cartucho dessa porra é quase impossível[editar]

v d e h
Action52Logo.png