Carlos Drummond de Andrade

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para navegação Ir para pesquisar
Pensador trabalhando.jpg Carlos Drummond de Andrade é um filósofo
Portanto também é um deficiente mental...

Este é mais um desocupado que não tinha porra nenhuma pra fazer além de contemplar a empolgante vida sexual dos caramujos-de-jardim. Se você é uma pessoa provida de um pouco de sanidade mental, vá procurar algo melhor para ler, como uma bula de remédio!

Simbolo ateu moderno.jpg Carlos Drummond de Andrade é ateu/ateia!

Isto significa que ele(a) não acredita em Jesus, Alá, Buda, Krishna ou qualquer outro Deus fantasioso criado pelos homens. Bom, ao menos é o que eles dizem até um avião sofrer uma turbulência. Clique aqui para encontrar outros céticos.


Cquote1.svg Você quis dizer: Carlos Dumont de Andrade Cquote2.svg
Google sobre Carlos Drummond de Andrade
Cquote1.svg Ele escreveu um poema sobre mim. Cquote2.svg
Pedra sobre Carlos Drummond de Andrade
Cquote1.svg Claro que conheço né? Dããã, quem você acha que inventou o avião? Cquote2.svg
Carla Perez sobre Carlos Drummond
Cquote1.svg Penetrei surdamente no reino das palavras! Cquote2.svg
Drummond sobre o último baseado que fumou
Cquote1.svg Ele sempre me pedia uma tragada antes de começar seus poemas. Cquote2.svg
Bob Marley sobre Carlos Drummond
Cquote1.svg Mas era eu quem lhe atendia Cquote2.svg
Clarice Lispector sobre Drummond
Cquote1.svg Ele sempre voava muito nas minhas aulas. Cquote2.svg
Professor Raimundo sobre Carlos Drummond
Cquote1.svg Vai, Carlos! Ser gay gauche na vida Cquote2.svg
Anjo torto sobre Carlos Drummond

Carlos Drummond de Andrade foi um homem que aprendeu alguma coisa sobre Língua Portuguesa e saiu escrevendo poemas sem sentido. Entre seus famosos poemas destaco um que exprime toda boiolice que há em seus livros: "Tinha um pênis no meio do caminho / No meio do caminho tinha um pênis." Nasceu em alguma roça do interior de Minas Gerais, (Itabira,ou para os intimos, "Roça" mesmo) mas se a própria capital Belo Horizonte já é um roça que diferença faz?

Quem é Drummond?[editar]

Carlos e sua cabeça dando uma volta pelo Rio de Janeiro.

Carlos Drummond é um poeta famoso da República das Bananas. Conhecido mundialmente por pegar todas as palavras estranhas da Língua Portuguesa e juntá-las em um só poema. Carlos Drummond se julgava ser um ser supremo em relação aos outros por possuir um Q.I acima do normal, porém morreu pagando pelos seus pecados depois que Chuck Norris leu um poema dele. Chuck ainda tentou interpretar o poema "E agora José?" no filme que fez com Bruce Lee, Jogo da Morte, mas seu filho Brandon (de Bruce e não de Chuck) acabou levando um tiro na cena, fatal.

De que roça veio Drummond?[editar]

Carlos Drummond conversando com um .

Carlos Drummond nasceu um pouco depois onde judas largou as botas, em Itabira (é Itabira, não itabirito ou Ibirité, é itabira porra). Saiu Fugido da cidade por tentar tirar a inocência das moças da cidade (ééééé cidade como Itabira ainda tem moças inocentes). Com doze anos então saiu da roça de Itabira levado pelo atual tenente da guarda civil-militar e divina Cap. Nascimento I, avô do Capitão Nascimento.

Depois que ficou famoso todos os habitantes desse praneta resolveram idolatrar Carlinhos (como o Sr. Manuel da padaria da Igreja do Rosário o chamava). Hoje na cidade de Itabira, só tem uma coisa que não tem o nome desse poeta, que é zona, pois é mais conhecido como Curva (pra saber por que é só indo lá).

Mitos[editar]

Típico leitor de Carlos Drummond de Andrade

Pessoas que conviveram com ele dizem que Drummond escrevia seus poemas com um Dicionário Aurélio e constantemente o consultava para colocar palavras estranhas em seus poemas tentando colocar sentido entre uma palavra estranha e outra.Dentre sua obra, este é um trecho de seu poema mais célebre:

Pocotó, pocotó, pocotó,
minha eguinha pocotó.

Quem lê Drummond?[editar]

Seu público alvo são, basicamente, pseudo-intelectuais, professoras gordas e falidas de literatura, indies, viadinhos enrustidos ricos e sua mãe.

Por que ler Drummond?[editar]

Logo do Prêmio Jabuti ganhado por Andrade, após dar um autógrafo ao presidente da CBL

Todos que leem seus poemas procuram parecer inteligentes e buscar algum sentido nos poemas de Drummond por mais que eles não tenham sentido. Há grupos de discussões em Itabira (Tabira) onde emos se reúnem para discutir seus poemas, mas não passa de desculpa para depois das reuniões se comerem numa orgia homossexual. Seus textos também são usados com grande sucesso como ladainha na sessão de tortura de prisioneiros da ASFARC, Colômbia, onde o poeta é adorado.

Ver também[editar]