Carlos Castañeda

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para navegação Ir para pesquisar
Car.JPG Carlos Castañeda
é sobre aquilo que pensa, mas não muito.

...ou alguém que é especialista nisso.

Clique aqui pra ver quem mais tenta explicar o inexplicável.


Castañeda ao se formar em feitiçaria.

Carlos Castañeda, antropólogo e feiticeira sedutora, é também um escritor de livros que não chega a ser estilo Paulo Coelho porque tem umas caçadas da hora, incluindo caçadas de pererecas molhadas, revelando o segredo das estratégias para que elas não escorreguem das mãos.

Biografia[editar]

Parte de sua vida é contada em 3000 livros mas, nada muito extravasador, ou seja: nada de coisa tipo minha vida de rapariga, nada disso. Carlos, ninguém sabe ao certo onde nasceu, isso foi uma das coisas que seu mestre-feiticeiro-tolteca-cacique-Touro-de-Pé, ou Juan Matos para simplificar, achou bom pois disse não ser bom saberem tudo sobre a vida de alguém, alegando atrapalhar a liberdade e até mesmo os feitiços.

Imagine então o que Juan Matos achava dos fofoqueiros mas, Carlos também não era muito de se abrir toda, de modo que não reclamou dessa filosofia. Carlos fazia faculdade em Azkaban quando conheceu seu mestre em um trabalho de macumba que fazia para a escola e, era só para pegar informações do índio mas, este o capturou (ui) e disse que só o ajudaria nos trabalhos de antropologia se ele fosse seu aprendiz.

Juan quis ensinar porque segundo ele, Carlos era um homem nagal, que tem a capacidade de levar as pessoas para outro mundo com um amasso... não precisa se arrepiar, biba. Assim ele ficou aprendendo caçadas e feitiços com Juan até que desenvolvesse sua capacidade nata.

Da infância de Carlos Castañeda se sabe pouco mas, o imprestável já era caçador nessa época, o que Don Juan fez foi ensiná-lo a caçar como um guerreiro, segundo sua filosofia e a cultura dos índios de sua linhagem. Por exemplo, Juan ensinou Carlos a não desperdiçar: Se pegasse capim no deserto de Sonora para o cavalo e, o cavalo não quisesse mais, ele deveria comer o capim e, coisas assim.

Porção Carlos guerreiro[editar]

Carlos não gostou de início mas, acabou se tornando um caçador de verdade e, consequentemente, um guerreiro, já que aprender o comportamento da caça e as estratágias de captura era importante.

De início, algo que Carlos não gostou, foi ter que aprender sobre o comportamento dos veados para então caçá-los, isso incluía aprender sobre maquiagem, gritinhos histéricos e o andar elegante da gazela, teve que aprender ainda, os motivos pelo qual se deve passar batom com delicadeza e não rachar o beicinho...

Mas, depois dessa parte mais difícil, Carlos pôde estudar o comportamento de presas diferentes e, se interessou mais nos ensinamentos.

Porção Carlos feiticeiro[editar]

O Carlos feiticeiro só pode vir à tona depois que Juan apresentou-o à Mescalito, que para quem não sabe é o cacto alucinógeno mas, Juan jurou que não drogou o Carlos mas, apenas fez ele abrir a consciência... sim, sim, claro... dos males o menor, esse troço não causa dependência (ou não) e um tempo depois, Carlos pôde abrir a mente sem mescalito.

O detalhe disso tudo, que ninguém conta muito é que quem foi lá se meter a pedir mescalito, ou cácto alucinógeno foi o próprio Carlos, o noiado e, para estudar antropologia tem mais é que ser bem noiado mesmo para estudar as criaturas chamadas de pessoas, humanos, primatas pensantes ou seja como for.

Carlos tinha entre muitos estados de espírito, dois principais em um deles, ele entendia facilmente o que Juan Matos dizia e, era um macumbeiro feiticeiro de primeira, no restante do tempo ele era um imbecil segundo Juan que tinha que explicar trocentas vezes e, ainda assim, ele não entendia tudo.

Porção Carlos nagal[editar]

Como nagal, mas eu é que não como nada disso, como nagal, Carlos se mostrou quase tão competente quanto Juan Matos e seu metre demônio (não literalmente) Nagal Sebastian (acho que é isso). Porém descobriram que ele tinha o saco dividido em trê bolas e não em quatro como a maioria dos demais homens nagal. Juan então mudou o grupo para pessoas que tinham uma bola de cristal para compensar a quarta bola do nagal que tem que ser o líder...

Se não entendeu nada eu menos ainda, mas o Nagal depois também se revelou um bom caçador, mesmo sem peiote, ele analisava a caça direitinho, como Juan havia ensinado, por sinal a rotina da caça é que fazia os bichos poderem ser estudados e caçados... pense portanto em mudar essa sua rotina de dar todos os dias: As dsts podem lhe caçar as partes íntimas e você será abatido por elas sem dó.