Balconista do bar que só vende panquecas

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para navegação Ir para pesquisar
250px-Wario WWare.gif Este artigo é sobre um personagem secundário!

Quase ninguém sabe da existência deste zé ruela que só serve pra encher linguiça na trama e provavelmente está morto. Se bobear, nem no Google tá!

Clique aqui para ver gente que só fãs alienados conhecem.


Cquote1.svg Ei, vovozinha! Cquote2.svg
Balconista do bar que só vende panquecas sobre Dona Clotilde

O Balconista do bar que só vende panquecas e sua disposição para a labuta.

Balconista do bar que só vende panquecas é a identidade secreta de Pepe, que não aguentava mais ser zoado pela sua profissão de tirador de velas. Ainda com sua personalidade atoa, sua única função é servir panquecas geladas em um botequim abandonado.

História[editar]

Nasceu em Tangamandápio, o que justifica a sua personalidade que pende para a evitação da fadiga através de relaxa mentos.

Desde pequeno, interessou-se por profissões que poderia exercer sentado, sem fazer esforço, como a de tirador de velas em laboratórios secretos de cientistas malucos.

Seguindo seu sonho, mudou-se de seu vilarejo, indo estagiar no laboratório do Maestro Linguiça, que estava fazendo um bico como cientista louco, já que o salário como professor de jumentos não estava dando pra bancar os buquês de flores para uma velha favelada que o mesmo queria comer.

Após alguns meses de estágio, o Balconista do bar que só vende panquecas foi demitido de sua função, já que ficava lendo o Jornal Zero Hora ao invés de cumprir com sua responsabilidade de abrir a porta quando alguém tirasse a vela.

Agora desempregado, para não morrer de fome, juntou suas economias e resolveu abrir um restaurante pé-sujo perto de uma vila cheio de gente favelada. Alugando um estabelecimento do Seu Barriga, o Balconista do bar que só vende panquecas abriu seu comércio, porém como não tinha dinheiro para investir em ingredientes, e muito menos vontade de cozinhar, passou a comercializar apenas panquecas geladas e dormidas.

O negócio ia bem, com as panquecas de defunto tendo um bom giro, já que a galera não tinha outra opção mesmo, mas o Balconista do bar que só vende panquecas vendeu seu boteco, ao receber uma proposta atraente de uma velha carcomida que estava querendo abrir um restaurante.

Depois de passar o ponto, o Balconista do bar que só vende panquecas desapareceu do mapa, provavelmente caiu no mesmo buraco infinito que aquela personagem da escolinha que pediu pra ir no banheiro e nunca mais voltou.

Atualmente[editar]

O paradeiro do Balconista do bar que só vende panquecas é desconhecido, provavelmente o mesmo voltou para sua terra natal, onde está fazendo o que sempre fez, nada.

Ver também[editar]