Абу Али ал-Хусаин ибн Абд-Аллаъ ибн Сина

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para navegação Ir para pesquisar
Avicena, em um momento de concentração.

Abu Ali al-Hussayn ibn Abd-Allah ibn Sina, em árabe, ابن سيناابوعلى سينا/پو رسيناابو سينا/پورسينا, em russo, Абу Али ал-Хусаин ибн Абд-Аллаъ ибн Сина, felizmente mais conhecido apenas como Avicena, foi um uzbeco-iraniano que mesmo médico e filósofo, não sabia escrever o próprio nome completo.

História[editar]

Avicena nasceu no Uzbequistão, um lugar inóspito e sem chances de sobrevivência para os fracos. Por isso, desde sempre ele foi um moleque fraquinho e magro, que não conseguia sequer levantar uma pedra. Depois de grandes doses de Biotônico Fontoura, ele conseguiu se concentrar, e virou um grande filósofo árabe.

Formado na Universidade Federal do Acre, suas obras eram bastante conhecidas na Idade Média, Idade moderna, Idade Antiga e Terceira Idade. Produzindo obras variadas sobre assuntos complicados, é respeitado até hoje porque ninguém entende o que ele quis dizer. Contudo, ele também aproveitou a fama de Sócrates e Platão para se aproveitar, traduzindo os escritos destes para o árabe, e ganhando toda a fama. Respeitado por todos, suas ideias permaneceram até Torquemada queimar todos os seus livros.

Avicena, com suas teorias teológicas, também influenciou Maomé, que levou tudo pro lado pessoal e... vocês sabem. por causa de toda essa confusão, ele acabou mais respeitado no Ocidente, e ele próprio teve sua obra traduzida para a glória e reconhecimento de outros.

Rugal mandou uma cartinha para este artigo.
Gaste todas suas fichas para tentar derrotá-lo!