Atelier Lulua: The Scion of Arland

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para navegação Ir para pesquisar
Virtualgame.jpg Atelier Lulua: The Scion of Arland é um jogo virtual (game).

Enquanto isso, Yuyuko Saigyouji está insaciavelmente faminta em Touhou 7.

Atelier Lulua: O Esquilo de Arland
Atelier Lulua cover.png

Capa do jogo. Fanservice moderado.

Informações
Desenvolvedor Gust
Publicador Qualé Tecmo
Ano 2019
Gênero RPG de menina
Plataformas Uma cacetada de consoles
Avaliação 6/10
Classificação indicativa +18 (High Impact Sexual Violence)

Atelier Lulua: The Scion of Arland é um RPG de menina bastante desconhecido e o quarto jogo da série Atelier Arland, desenvolvido por um grupo de tarados em coxas femininas (os integrantes da Gust Co. Ltd.) e distribuído pela empresa que só faz jogo de punheta, a Koei Tecmo. Temos assim um jogo em boas mãos.

Jogabilidade[editar]

Ao contrário dos três jogos anteriores, Atelier Lulua nos faz o favor de remover a mecânica de limite de 5 anos para resolver as coisas, garantindo ao jogador a experiência real de jogar um RPG japonês, ou seja, a chance de passar 20 horas só fazendo grinding e farming e upando level de personagem, algo que era impossível nos jogos anteriores por causa do limite de tempo. Atelier Lulua mantém o calendário no topo da tela apenas como um lembrete do passado maligno da série.

O jogo, porém, continua a mesmíssima coisa dos 35 jogos anteriores de Atelier: Sair de casa para catar coquinho (literalmente) e voltar para casa para usar esses coquinhos para fabricar suco de tamarindo (e claro, tem outros 50 itens além de coquinho e outras 50 receitas do que fazer com esses 50 itens). Eventualmente o jogador também pode sair pra espancar animais silvestres e gelatinas multicoloridas, mas isso é meramente opcional.

Apesar da aparência, não é um jogo recomendado para garotinhas de 10 anos como seria de se esperar. Para conseguir se dar bem em Atelier Lulua é necessário ter pós-graduação em matemática para compreender todos os cálculos necessários de média aritmética e média ponderada, além de porcentagem, para determinar a qualidade final dos itens produzidos no caldeirão de alquimia.

Enredo[editar]

Lulua fabricando cocaína de qualidade 526. Uma das rotinas do jogo.

Atelier Lulua se passa vários anos após Atelier Rorona, Atelier Totori e Atelier Meruru e a guria retardada protagonista da vez é a Lulua, que mantém a tradição da série e da Gust e estará invariavelmente com as coxas a mostra, não importa qual skin escolha para ela.

Por falta de criatividade, na verdade não há muito o que Lulua vá fazer, pois vai apenas visitar os mesmos lugares anteriormente vistos nos jogos passados, enfrentar os mesmos monstros e ter que aturar as mesmas cutscenes. Mas o enredo é basicamente uma Chiquititas misturado com Curtindo a Vida Adoidado sobre uma guria adotada que sai viajando pelo mundo junto de um monte de amigo arruaceiro.

Lulua tem ainda um livro imaginário chamado Alchemyriddle, que ninguém consegue ler porque está em branco, mas ninguém contraria a protagonista porque contra dementes é melhor nunca discutir então todos fingem que está tudo bem quando Lulua começa a falar que do nada surgiu algo escrito em seu livro que está todo e branco.

No final de sua saga Lulua passa a ajudar um ser milenar feito de metal que coincidentemente tem a aparência e o comportamento de uma garotinha extremamente fofa. Essa robô-menina chamada Stia é quem vai ficar mandando Lulua para uns templos alienígenas enfrentar mais monstros para evitar o aquecimento global (era para ser um jogo de conscientização ecológica isso?).

E tudo isso para no final a Lulua abrir um restaurante de curry e ser esse a droga do zeramento. Grandes merda.

Personagens[editar]

  • Elmerulia "Lulua" Frixell - Guria extremamente retardada (seguindo a tradição da série) foi adotada por uma mãe irresponsável e agora viaja pelo mundo fugindo do conselho tutelar. Deseja ser a maior fabricante de drogas do mundo e vários fóruns desse jogo dão dicas de como criar cocaína de qualidade 999, que é o objetivo final de vida de Lulua. O excesso de consumo de drogas deixou a menina bem retardada, por isso ela afirma que consegue ler um livro cujas páginas estão todas em branco, acha que pode fazer curry de qualquer coisa, e acredita que o poder da amizade pode salvar o mundo do aquecimento global.
  • Eva Armster - Melhor amiga de Lulua (e par lésbico em qualquer fanfic relacionada) tem pais ricos mas prefere viver num orfanato. Está ali apenas para ser uma fofa a mais. Em combates usa uma bazuca a qual ela não entende muito bem como funciona e a usa para dar porradas como se fosse um tacape gigante.
  • Piana - A mestra de Lulua, era uma NPC em Atelier Totori que foi reaproveitada. Como só pensa em beber, ficar bêbada, e agarrar a Lulua de maneiras indecentes, ela acaba sendo superada pela própria aluna Lulua.
  • Christoph Aurel Arland - Garoto virjão que só pensa em espada e enquanto isso ignora completamente as lindas garotas que continuamente estão ao seu redor. Na verdade trata elas todas com desdém e grossura, especialmente Lulua a quem ele constantemente ofende. Para o azar dele, a Lulua é bastante retardada e cada vez que é insultada faz é ficar ainda mais amiga dele.
  • Nikodemus David Dieter - A impressão é que esse marombado está ali só para encher linguiça mesmo, pois absolutamente nada acrescenta ao enredo além de tentar ser o alívio cômico do "musculoso sentimental". É basicamente um pirata seminu.
  • Ficus Finis - O personagem mais misterioso do jogo, tão misterioso que a única coisa que ele sempre faz é ser misterioso. Sempre que aparece é para fazer coisas misteriosas e falar frases misteriosas, além de fazer mágicas estranhas e misteriosas. No final, ele é um capeta, mas um capeta gentil e legal.
  • Sterkenburg Cranach - Aparecendo desde o primeiro jogo, é o "espadachim lendário" que bate mais fraco que uma garotinha de quinze anos, continua sendo um ranzinza, mas dessa vez um velho ranzinza.
  • Rorolina Frixell - Protagonista do primeiro jogo, continua sendo uma idiota que só pensa em tortas, adotou Lulua e depois falou que ia comprar uns cigarros e nunca mais voltou. Acaba sendo encontrada e se junta à equipe.

Recepção[editar]

Em nenhum lugar foi possível avaliar a recepção desse jogo pois aparentemente ninguém o jogou. Com muita pesquisa percebe-se que apenas uma meia-dúzia de otakos viadinhos viciados incel é que jogaram esse troço. Atelier Lulua é um dos mais desconhecidos jogos da série Atelier, e os motivos para esse fracasso são vários. O primeiro motivo mais óbvio é que ele é uma sequência de Atelier Rorona, Atelier Totori e Atelier Meruru, sendo necessário jogar esses três jogos antes para entender alguma coisa, e qualquer um que tentou sabe muito bem a tortura que é tentar jogar três jogos idênticos e tediosos para então jogar um quarto jogo ainda mais idêntico e mais tedioso.

Outro fator decisivo para o ostracismo de Atelier Lulua foi o lançamento de Atelier Ryza mais ou menos na mesma época. Por mais que Atelier Lulua dê bastante foco nas coxas de sua protagonista, as coxas da Ryza sãoa té meme do tanto que fizeram otako se masturbar pra hentai, então essa concorrência desleal interna contribuiu também para Lulua ficar de lado.

v d e h
Atelier logo.png