Artur Bernardes

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para navegação Ir para pesquisar
Este artigo é relacionado à história.

E não foi descoberto, foi achado.

Cruzada7.jpg

Cquote1.svg Você quis dizer: Presidente Vingativo, Autoritário e Odiado pela população Cquote2.svg
Google sobre Artur Bernardes
Cquote1.svg Você quis dizer: Presidente que bombardeou São Paulo Cquote2.svg
Google sobre Artur Bernardes
Cquote1.svg Você quis dizer: Presidente que enfrentou a Coluna Prestes Cquote2.svg
Google sobre Artur Bernardes
Cquote1.svg Finalmente algum presidente com um nome comum. Cquote2.svg
Eu sobre Artur Bernardes.
Cquote1.svg FORA ARTUR BERNARDES. Cquote2.svg
Tenentes sobre Artur Bernardes
Cquote1.svg Olha lá o Seu Mé (Cara de Carneiro), ou será que devemos chamá-lo de Passarinho do Mal!!! Hahahahaha!!! Cquote2.svg
Sambistas cariocas dos anos 20 zoando o Presidente Artur Bernardes
Cquote1.svg Na minha época de Tenente ele mandava as tropas leais a ele descer o cacete na gente, os Tenentes que eram contra ele!!! E agora somos nós que mandamos descer o cacete nos subversivos que são contra a gente!!! É incrível como o mundo da voltas. Cquote2.svg
General Brasileiro dos Anos 70 (Ditadura Militar) sobre Artur Bernardes

Atum Artur Bernardes foi mais um dos inúteis presidentes, da república café com leite período da história brasileira que: te mata de sono, mas proporciona orgasmo ao seu professor de história, GAY. Sua maior benfeitoria foi não ter feito nada!

História[editar]

Artur vestido para ir numa festa à fantasia.

Artur Bernardes nasceu em uma cidade desconhecida (menos pelos estudiosos de geografia), como a grande maioria dos antigos presidentes. Provavelmente os pais dele queriam fugir dos engarrafamentos e assaltos comuns nas metrópoles, e foram para o interior. Como poucas pessoas moravam perto, quase ninguém sabe como foi sua infância (se duvidar nem o próprio sabia). A primeira coisa conhecida sobre ele é que fez uma faculdade. Hoje é difícil passar no vestibular, mas naquele tempo como todo mundo trabalhava na roça, poucas pessoas prestavam vestibular, assim era mais fácil, podendo Artur entrar no curso de direito mais prestigiado da época.

Escolheu errado. Ficou um bom tempo decorando leis, normas e livros com mais de mil páginas. Por causa disso ele não podia ir nas baladas, e sim estudar e estudar. Com muita persistência completou o curso, diferente dos amigos baladeiros, que viraram garis, mendigos e outras coisas com baixa rentabilidade. Bernardes já ia ganhar uma grana preta sendo juiz, mas virou deputado. Em vez de em tese condenar ladrões, agora trabalhava ao lado deles. Não que isso fosse pior. Subiu de cargo, agora para governador.

Presidência[editar]

Como uma nave espacial decolando, Artur subiu e subiu até o infinito e além. Agora era candidato a presidente. Como seu rival era Nilo Peçonha e ninguém gostava dele, virou presidente com relativa facilidade. No governo, todos o odiavam, mais do que esse cara. Para começar, o exército não gostava dele. Os comunistas não gostavam dele. Os outros políticos não gostavam dele.

Foto oficial do presidente Atum Bernardes.

Mesmo com tanta gente não gostando dele, como será que conseguiu ficar todo o mandato governando quando outros não conseguiram nem a metade? Porque o Greenpeace o apoiava. Defendendo a natureza e outras causas dos ecochatos, as ONGs deram um apoio moral, e boicotavam os discursos dos seus rivais.

Depois de presidente[editar]

Quando saiu do poder, Artur apreciava uma bagunça. Quando havia revolução, revolta ou outra coisa envolvendo desordem, estava ele junto com o pessoal. Provavelmente participou dos Carnavais. Acabado a diversão, voltou a roubar com seus amigos deputados, até morrer.

Precedido por
Epitácio Pessoa
Brasão do Brasil.png
Ditador do Brasil

19221926
Sucedido por
Washington Luís