Arttur

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para navegação Ir para pesquisar
264939.jpg ATENÇÃO:
Simplesmente estamos cagando e andando para quem não gostar do conteúdo deste artigo e, por conseguinte, das opiniões e sugestões dos mesmos. We just couldn't care less.
Putz, o coitado sofre de heterocromia...
Na hierarquia do YouTube, Arttur está ao lado de entidades como BarrS e zy

Cquote1.svg Você quis dizer: Canal genérico que comenta coisas genéricas? Cquote2.svg
Google sobre Arttur

Arttur, também conhecido pelo seu antigo nome que eu nem sei como se fala Artturer é um YouTuber CRiAdoR dE CONtEÚdO arrogante com voz de galinha moleque de 8 anos jogador de Minecraft garota que banca o intelectual falando sobre os vídeos CoNtEÚdO de alguns certos YouTubers e também fala de um monte de coisas que acontecem pelas Interwebs, quase como se fosse a versão brasileira Herbert Richers do Internet Historian ou então qualquer um desses outros canais da gringa que fazem o mesmo. Na hora de fazer um vídeo para seu público que consiste em moleques de oito anos que se passam por jovens de quinze anos, ele geralmente resolve surrupiar um vídeo do Internet Historian ou EmpLemon e copia toda santa palavra dita nos vídeos, mas na hora de dar os créditos ele fala que é uma "paródia", ou simplesmente nem dá os créditos, levando o povo inteligente à acreditar que ele é o rei da originalidade.

História[editar]

Arttur começou sua incrível carreira criando fases pro Geometry Dash, mas ficou putinho porque ninguém jogava suas fases e mudou para um fórum dedicado ao Super Mario Bros. XXX, aquele fangame do Mario que até hoje não foi derrubado pela Nintendo onde fazem umas fases customizadas, o único problema é que o fórum era em ingrêis e como o pequeno Artturzinho não entendia porra nenhuma de inglês, ele acabou optando por usar o Google Tradutor, a pior das opções. Em um dos tópicos do fórum, Arttur usou o Google Tradutor e soltou uma pérola lá, e por causa disso o pessoal ficou zoando ele, o que fez com que ele ficasse tristinho e saísse do fórum. E agora, sem rumo, a única forma de Arttur conseguir se abrigar era no temido site denominado-se de SeuTubo, mas era temido mesmo porque é mais difícil do que Dark Souls se dar bem no site.

Tentando a sorte no YouTube[editar]

Ele começou postando uns vídeos de música e também uns vídeos que eram um jabá de um jogo que trabalhava, e ficou assim por muito tempo, então ele viu que fazer vídeos nesse estilo não iam dar certo e ele acabou tendo que copiar o Douglassola e o Amdré Young para poder conseguir uns trocadinhos para se sustentar, mas ainda postando alguns outros videozinhos de música aqui e ali. Ele continuou copiando um monte de temas de vídeos que já passaram batido, até que ele finalmente se cansou disso e resolveu trazer uma nova proposta pro canal que por acaso foi "pegada emprestada" de outros canais gringos. Claro que os primeiros vídeos nesse estilo deram views medianas, mas assim como qualquer um desses filmes de superação genéricos, Arttur tentou, tentou e tentou mais uma vez, e quando mais parecia que ele iria fracassar e precisaria dar o cu para conseguir dinheiro, ele conseguiu ficar famoso, e famoso o suficiente para conseguir um artigo na Desciclopédia, e assim, ele viveu feliz para sempre (Ou não, já que ele sempre fica putinho quando outros YouTubers roubam temas de vídeos que ele tinha feito um dia antes e sempre quer os créditos).

Quadros do canal[editar]

  • História/Mini Documentários - O quadro principal do canal, onde ele conta histórias de coisas incríveis que aconteceram no vasto mar de merda que é a Internet.
  • Iceberg - Aqueles típicos vídeos sobre Iceberg onde você só conhece as coisas da Primeira Camada. Sim, o cara só tem dois vídeos sobre isso e já é considerado um quadro...
  • Críticas - Aqui, Arttur banca o intelectual superior à todo mundo e critica um monte de coisas.
  • A Incansável Busca pelo Site do Duende - Arttur tenta procurar um site que havia marcado sua infância, mas acaba se decepcionando porque o site não existe mais.

Ver também[editar]