Anticapitalismo

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para navegação Ir para pesquisar

Cquote1.svg Você quis dizer: Adolescentes Revoltados? Cquote2.svg
Google sobre Anticapitalismo
Cquote1.svg Você quis dizer: Pobres? Cquote2.svg
Google sobre Anticapitalismo
Cquote1.svg Você quis dizer: Comunistas? Cquote2.svg
Google sobre Anticapitalismo
Cquote1.svg ABAIXE O CAPITALISMO, O CONSUMISMO... Ih, pera que meu iPhone tá tocando... Cquote2.svg
Típico Comunista anticapitalista
Cquote1.svg Capitalismo é uma desgraça, venham para mim que lhes darei um futuro bem melhor Cquote2.svg
Stalin sobre Anticapitalismo
Cquote1.svg Vão pra CUBA PORRA! Cquote2.svg
Bolsonaro sobre Anticapitalismo

Típicos Anticapitalistas

Anticapitalismo é um conjunto de ideias merdas que se opõem ao capitalismo (AVA), normalmente esses grupos são constituídos de adolescentes que gostam de bancar os intelectuais e pobres que tem preguiça demais de trabalhar duro para conseguirem o que querem, então se opõem ao sistema como se a culpa fosse do mesmo.

Pessoas que seguem esses movimentos normalmente são aquelas mesmas que compram em lojas capitalistas, usam internet capitalista e até limpam a bunda com papel higiênico capitalista, além de que muitos nem fome passam (hipocrisia pura).

Uma das principais características desse tipo de burro pessoa é a necessidade de quebrar coisas, para satisfazer seus fetiches por quebrar coisas eles geralmente fazem protestos sem sentido algum (como por exemplo um protesto feminista), durante os protestos eles vestem suas máscaras pretas e destroem tudo que veem (até a policia prende-los e eles ficarem chorando para mamãe vim buscar eles).

Movimentos[editar]

Apesar de serem tudo a mesma coisa, muitos dizem que anticapitalismo tem vários tipos de movimentos separados dentro do mesmo, dentre eles temos:

Fomismo Socialismo[editar]

O socialismo se opõe totalmente ao capitalismo, propondo uma repartição das pobrezas e garantindo o direito de todo mundo de passar fome até morrerem felizes para sempre.

Marxismo[editar]

Essa vertente propõe que todas as fábricas e meios de produção sejam tomadas dos pobres donos e seja repartida para um monte de favelados que nem comandar sua própria vida sabem, além é claro de roubarem os ricos e redistribuírem todo dinheiro até todos ficarem igualmente pobres.

Anarquismo[editar]

O anarquismo consiste em um monte de crianças choronas que não aguentam ser mandadas nem serem pobres, então querem que tudo se exploda e que eles façam o que bem entenderem sem consequências.

Religiões[editar]

Por incrível que não pareça tem cinco religiões que se opõe ao capitalismo e a riqueza.

Judaísmo[editar]

Um povo que raramente entra em contato com a pobreza, vive de forma tribal e quase nunca sofreu com a deportação por escravização, esquerda caviar típica. Em levítico 25:23 afirma que não se pode vender a terra que Deus teria dado.

Cristianismo[editar]

Esse proíbe cobrar juros pelo dinheiro que você pegou emprestado, basicamente o que eles querem é gastar dinheiro sem consequências e que quem emprestou se foda.

Islamismo xiita[editar]

Os islâmicos acreditam que seu amigo imaginário deus Ala pertence a todo mundo, logo o capitalismo é uma merda herege e deve ser destruído.

Ateísmo[editar]

Os ateus além de quererem um estado ateu, eles potencializam o Anticapitalismo colocando em prática o Feminismo (só ai já deu merda), além é claro de imprimirem dinheiro para a contratação de mulheres, fodendo de vez o mercado (quando que não fodem?), eles também aprovam as guerras do Oriente médio pois para eles religioso tem que se foder e acabou. Também defendem que não poderia haver a revolução burguesa, pois pra eles capitalistas esquerdomachos não pode abrir os mercados no mundo ao cultuarem a deusa-nação.

Paganismo[editar]

O maior exemplo é a Índia e demais países orientais miseráveis. Deuses seminus que mais transam entre si do que trabalham, machos que preferem matar seu filho no ventre de sua mãe do que sustenta-los e presos a uma religião que cultua o Estado e a natureza, ou seja, os verdadeiros Hippies do mundo. Os pagãos também defendem um nacionalismo desvinculado das religiões universais globalistas, autoritário e regulador da internet como uma forma de retornar as suas raízes o que os torna antissemitas e anti-comércio internacional, cujo ápice atualmente são países como Tailândia e seu maior ícone é o Dalai Lama.

Mirror2.jpg Conheça também a versão oposta de Anticapitalismo no Mundo do Contra:

Espelhonomdc.jpg