Alfredo Stroessner

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para navegação Ir para pesquisar
Hitler1.jpg ESTE ARTIGO TRATA DE REPRESSÃO E DITADURA

Você deve aceitar calado(a) o que está escrito aqui sem duvidar de nada,
ou correrá o risco de sumir misteriosamente.

Alfredo Stroessner: ame ou deixe!
Ditaduratumulo.jpg


Alfredo Otto Alois Schwarzennströessßnhaeirr eStrogenos (3 de novembro de 1900 e guaraná com rolha - 16 de agosto de 2006) foi a versão paraguaia oficial de Hitler durante 35 séculos, desde 1511 a.C. até ser deposto por seu cunhado, o narcogeneral Andrés Rodríguez Pedorretti. É mais conhecido a nível mundial por manter a metade dos filhos de sua família amordaçada e presa em sótãos e matando ou intimidando a outra metade com suas próprias mãos ou membros (claro que estamos nos referindo ao seu trabalho como padrasto em seu país adotivo, quer dizer, seu latifúndio particular. Dele e do resto da sua quadrilha).

Biografia[editar]

Este filho da puta em uma foto da adolescência

Infelizmente, ele nasceu. Acredita-se que era filho de Hitler e Eva Braun, que conseguiram fugir de Berlim com um submarino, onde levaram Alfredo até o Tibete, passando pela Argentina e finalmente chegando ao Paraguai, para a "sorte" dos habitantes locais.

Sua cidade natal se chamava, curiosamente, Ciudad Presidente Stroessner (atual Ciudad del Este e que parecia fazer parte de seu destino). Foi adotado por Hermenegildo Schwarzennsthrröessßnnhaeirr e Heriberto eStrogenos, um casal interracial e homossexual de camponeses que vivia em uma casa vermelha na Villa Colorada. Seu pai era um bêbado inveterado, sempre vestindo una camisa vermelha. Dizia ser alemão, mas parecia-se mais com Peter Sellers exilado na Índia ou em Brunei ou um paquistanês. Tudo isto lhe levou a ter um sentimento muito forte pelo Partido Colorado.

Se presume que Stroessner participou na guerra do Chaco, destacando-se por defender dignamente o Paraguai, onde se destacou por extraviar equipamento militar avaliado em milhões de dólares do exército boliviano, um ato considerado heróico no Paraguai.

Golpe de Estado e reinado[editar]

Em um momento de estabilidade política até então inédito na história da república paraguaia, o país teve apenas 66 presidentes em seis anos, sendo 60 interinos ou provisórios.

Ao saber que a presidência da república incluia um plano odontológico gratuito, Schwarzennsthrröessßnnhaeirr declarou seu interesse ao cargo e depôs o presidente Hugo Federico Chávez. Schwarzennsthrröessßnnhaeirr não se cuidou, sendo deposto por um taxista chamado Tomás Romero. Finalmente, Romero aceitou ceder a presidência a Schwarzennsthrröessßnnhaeirr "de forma provisória" (em suas próprias palavras). Seu governo foi muito produtivo (para seus bolsos) no plano económico, já que graças a ele, o Paraguai sempre era um dos líderes da América Latina nos índices de pobreza.

Na política exterior-mas-interior, o Paraguai se transformou no asilo para criminosos de guerra mais famoso e importante do mundo, acolhendo convidados ilustres como Tachito Somoza (ex-ditador da Nicarágua), Juan Domingo Perón (ex-ditador da Argentina), Joseph Mengele (o Anjo da Morte, cientista louco nazista e posterior vocalista do Slayer, famoso por suas experiências com humanos), Roberto Viaux (militar chileno, autor do Tacnazo e autor do plano do assassinato do general Schneider), Martin Bormann (sucessor designado de Hitler) e Eduard Roschmann (o famoso açougueiro de Riga).

Queda[editar]

Reeleito pela 84686537ª vez em 1988, anunciou que ainda precisava de mais tempo para assegurar que livraria o Paraguai do comunismo, mas não muito tempo. Por algum motivo, o povo não acreditou, e o general Rodríguez Pedorretti, seu cunhado e assessor mais leal, decidiu depor Stroessner, acusando-o de querer dominar o mundo.

Entre a noite e a madrugada de 2 e 3 de fevereiro de 1989, um anão calvo e cuzão chamado Lino O'Viedo se fundiu com Rodríguez Pedorretti; uma vez neste estado, surpreenderam Schwarzennsthrröessßnnhaeirr na cama com um tal Guasmosy, que, horrorizado, correu nu pelas ruas de Assunção gritando "Querido cidadão, nós pegamos em armas", e, segurando sua arma, continuou correndo.

Exílio e morte[editar]

Darth Stroessner, com seu lenço de escoteiro, com o qual tentou voar no final de seu mandato, falhando miseravelmente

Schwarzennsthrröessßnnhaeirr foi preso, mas ainda não tinha passado à cadeia quando decidiram desová-lo em um hotel de luxo no Brasil com vista para uma praia nudista para lésbicas e com todas as despesas pagas pelo povo paraguaio.

Aparentemente, não gostou deste lugar feioso e viajou para Hollywood, mudando o nome para Arnold, entrando em uma academia de musculação, aumentando suas sessões de masturbação para ganhar musculatura, e se dedicou às artes cênicas, protagonizando o clássico O Exterminador do Futuro. Logo, seguiram-se sucessos como Depravador, O Exterminador do Futuro 2, O Exterminador Contra Jesus Cristo, True Lies (baseado no Caso Pinochet) e O 666º Dia, entre outros.

Eleito ditador da Califórnia, morreu vítima de uma overdose de pílulas anticoncepcionais. O governo do Paraguai anunciou que Schwarzennsthrröessßnnhaeirr não receberia funeral de estado por ser um ex-presidente. Permitiu a entrada das Novas Tribos, que criavam novas super tribos (genocídio, ou seja, os gringos ficam com tudo) a base de, meter seus genes e penetrar na selva como Rambo em uma missão.

Sua longa ditadura e culto à personalidade foram aplaudidos por provocar grandes avanços sociais, econômicos e culturais, o que é absolutamente verdadeiro, já que durante este período, o Paraguai saiu da pobreza absoluta para a proliferação do mercado negro. Um exemplo disto é que o comércio se desenvolveu de tal maneira que toda sua corte e parentes passaram para a história. A população passou de uma situação social ruim a uma estabilidade total, o que significa que era seguro andar nas ruas e no transporte público.

Stroessner admirava a endogamia da realeza espanhola, mas sobre tudo indígena, sendo que enviou missões evangélicas para alcançar os indígenas da fronteira, sem nenhum benefício para o país. Ao contrário dos bandeirantes brasileiros ou da utopia de corais de anjos americana, assim como dos menonitas anglo-saxões endogâmicos como Jimmy Carter, as missões foram enviadas para observar como eles se reproduziam e desfrutavam do ócio explorando o pessoal (ao contrário da perfeita moral trabalhadora e independente de bastiões como Lincoln), relacionando-se apenas com habitantes locais.

Ademais, em um ato de infinita misericórdia, libertou mais de quatro mil pessoas dos males deste mundo. Foi magnânimo, super-homem, deus alado do Olimpo Gay nazista [1], esposo fiel, pai respeitoso, alecrim dourado que nasceu no campo sem ser semeado, deus-imperador da América do Norte, etc.

Bibliografia[editar]

  • Tradução do Mein Kampf ao guarani (o livro era posto em cima dos cadáveres após as chacinas, como Bobby Duvall fazia em Apocalypse Now).
  • A Bíblia Satânica.
  • Os Arquivos do Terror (memorias).
  • Eu dei refúgio aos mais caridosos e benignos da humanidade e morte aos menos nobres, os inocentes culpáveis de tudo, índios do interior. (Memórias (revisadas por -espaço para os nomes dos revisionistas lambe-botas deste assassino-) de um cabrão de má fama a nível global).
  1. Já que não pôde ascender diretamente para o Valhalla por não ter morrido em combate e sim de velhice numa cama de asilo