Al Atkins

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para navegação Ir para pesquisar


"Não, eu não tou imitando o Rob Halford. Se eu tivesse iria dar o cu como ele faz".

ATENÇÃO
NOTA IMPORTANTE

ATENÇÃO vamos encher linguiça antes de ler o artigo. Antes de tudo este artigo é uma porcaria, ele não tem informação nenhuma sobre Atkins, o cara tomou chá de sumiço faz anos, virou pó, múmia, ninguém sabe dele. Este artigo é pequeno, sem graça e podre, isso por que o autor é especialista em metal e não teve sucesso em trazer informação sobre o pobre diabo. Pelo que sei Al anda sumido faz anos, se quiser saber mais sobre ele basta procurá-lo em algum boteco de esquina. Ele é feio, barbudo, careca, desdentado e com uma Bíblia (sério) debaixo do sovaco. Agora cuidado com esta busca, não vá confundi-lo com o Rob Halford, além de sacrilégio e blasfêmia é muita burrice de sua parte.


Al Atkins é o vocalista super-hiper-mega-ultra-giga-master-eternal-supreme-extreme-infinite-GGG-power-Allejo esquecido do Judas Priest, tendo feito parte da banda láaaaaaaaaaa no inicinho do inicinho da banda. Mas é tão no início que ninguém faz nem ideia de quando no caso. O caso é que tudo que ele escreveu pra banda foi surrupiado pelos membros em seus primeiros álbuns e ele nunca levou os créditos por isso (OBS: os discos referidos são os piores da carreira da banda, talvez por isso eles jamais se sentiram na obrigação de pagar porra nenhuma pro Al).

Traumatizado com o total esquecimento de sua excelentíssima pessoa, Al entrou na Igreja Universal e passou a fazer carreira solo, ainda que nem o mais fanático por Judas Priest teve curiosidade de ouvir (afinal, deve ser ruim pra cacete né).

História[editar]

Alan John Atkins nasceu em mais uma daquelas cidades fodidas com a Segunda Guerra Mundial na Inglaterra. Ele desde jovem começou a fazer bandas de rock, todas meio blues e meio emo. Um dia ele ouviu uma música do pato rouco Bob Dylan chamada "The Ballad of Frankie Lee and Judas Priest" que ele baixara no Napster e assim ia chamar a banda de Frankie Lee, mas como acharam que o nome ia ficar muito Rob Halford, ops, muito gay, eles escolheram então o outro nome lá, "Judas Priest" e disseram que era uma banda de white metal falando da época em que Judas Iscariotes era um bom menino honesto e justo e também um pastor da Universal (contradição?), antes de ele ensinar Edir Macedo a roubar.

Se juntou com três muleques de uma bandinha de lá chamados K.K. Downing, Ian Hill e John Ellis (esse último não faço nem ideia de quem seja) e quiseram imitar o Led Zeppelin e o Black Sabbath, bandas que na época tocavam um som endiabrado e que tinham enchido o cu de grana com isso. Mas após lançar uma demo que não atraiu muita gente, e também porque a esposa estava o tempo todo com a colher de pau esporrando ele e querendo logo o sustento dela e da filhota deles, Atkins teve que sair da banda que ele mesmo criou em 1973 pra trabalhar de palhaço no circo da cidade.

Só anos depois voltou a ativa na música, mas tal como Pete Best, Paul Di'Anno e Vital Casé (ex-baterista d'Os Paralamas do Sucesso), jamais seria lembrado por mais ninguém. A não ser por mim, que escrevi esse artigo sobre... quem é esse cara mesmo?