Agir

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para navegação Ir para pesquisar
Avisoazeite.jpg
ÒO..gif

Agir é poser!

E acha que Vanilla Ice é um bom rapper.

Ele(a) se acha nerd por conhecer todos os memes da internet.


Emblem-sound.svg Agir
Agiremoide.jpg
Como a Portugal chega tudo mais tarde, ainda existem emos em 2015
Nome Bernardo Correia Ribeiro de Carvalho Costa
Origem Bandeira de Portugal Portugal
Sexo Punheta
Instrumentos
Nuvola apps kcmmidi.svg
utilização repetitiva e irritante da expressão "GOT IT!"
Gênero Poser
Influências Emo, "Hip-hop" e Tony Carreira
Nível de Habilidade Azeiteiro
Aparência Cada milímetro de pele coberto de tatuagem
Plásticas Lipoaspiração e colocação de banda gástrica
Vícios
Nuvola apps atlantik.png
Ex-drogado
Cafetão/Produtor
Crystal Clear action bookmark.svg
da Carolina Deslandes

Cquote1.svg Este gangster afeminado do caralho Cquote2.svg
André Ventura sobre Agir
Cquote1.svg Ela parte-me o pescoço! Cquote2.svg
Agir sobre sua namorada
Cquote1.svg Querido, é melhor usares uma coleira cervical! Cquote2.svg
Namorada do Agir sobre citação acima
Cquote1.svg Kem exkreveuh ixtuh eh umh invejuxuh! Oh Agire eh winduhh!!! Cquote2.svg
Pita sobre Agir
Cquote1.svg Ai deixa essa droga... Cquote2.svg
Xano Cigano sobre Agir
Cquote1.svg É o Justin Bieber português? Cquote2.svg
Brasileiro sobre Agir
Cquote1.svg Ele é o namorado da Carolina Deslandes? Cquote2.svg
Poser sobre Agir


Agir (nome artístico de Bernardo Costa) é um cantor, compositor e produtor português de não se sabe bem que gênero musical, apenas que paga pau para tatuado e é alvo de adoração por parte das Pitas desse Portugal fora.

Infância[editar]

Agir nos seus tempos de emo dos anos 2000.

Nasceu a 18 de Março de 1988 em Lisboa, filho do cantor de um hitPaulo de Carvalho e da atriz Helena Isabel, meio-irmão da cantora Jazz portuguesa, Mafalda Sacchetti. Bernando nasceu num berço de ouro. Contudo, o seu pai anda sempre a trocar de mulher, como quem troca de cuecas, portanto cedo se divorciou da sua mãe, o que o tornou num Beto revoltado com a vida.

Aos 12 anos começou a escrever músicas emo sobre a sua triste vida e tentou fundar uma banda de Hardcore, mas como tinha mais jeito para dizer repetitivamente "GOT IT!" do que berrar, acabou por mudar de gênero, para um pseudoHip-hop, mas nunca abandonou o visual emo. Por volta desta altura também estava gordo que nem um chibo, pelo que a mãe lhe financiou uma lipoaspiração e a colocação de uma banda gástica na mesma clínica onde faz as suas cirurgias plásticas.

A ressaca é fodida.

Quando entrou na adolescência e para castigar os papás mauzões que nunca estavam presentes, tornou-se drogado juntamente com outros Betos ricos e revoltados de Lisboa, e chegou a ter um ataque cardíaco, beirando a overdose. Assim, finalmente, chamou a atenção dos pais que revolveram que tinham de fazer alguma coisa acerca do filhinho emo, que estava a destruir a reputação da família, e foi passar umas temporadas à mesma clínica de reabilitação chique do José Carlos Pereira. Agir, mais tarde, diria a dizer que "mandava de tudo", era o que houvesse ou o que os dealers da capital tivessem disponível, afinal dinheiro não era problema, pelo que nunca teve de recorrer ao roubo nem à prostituição para alimentar o vício.

Quando regressou da clínica, e para castigo, os papás mandaram-no ir trabalhar para ver o que custa a vida. Também lhe disseram que não podia usar o nome de família para subir na vida, já que era a desonra familiar, pelo que Bernardo teve de encontrar um nome artístico. Tornou-se DJ na discoteca Absolut em Lisboa, mas passado um ano desistiu, afinal trabalhar era coisa de pobre e custava muito. Pediu então aos papás para, ao menos, lhe financiarem uma carreira musical, já que não podia usar o apelido do pai para esse fim. Vendo que o filho estava reabilitado das drogas, lá concordaram.

Bob marley.jpg Agir dá um tapa na pantera!

E é aprovado pelo Tio Bob!

Clique aqui se você quiser dar um tapa também.

Carreira[editar]

Agir acha que é linda sem make up.

Depois de deixar a droga, Agir concentrou-se na sua carreira musical, ainda para mais com os papás a financiar. Com Milene Candeias, de quem nunca ninguém ouviu falar mas devia ser a gaja que ele andava a comer na altura, funda o projeto TriUrbana, e em 2007 vão tentar a sorte no Festival RTP da Canção, com a música Dá-me Lua. O pai de Agir ainda tentou forçar a coisa, mas só ficaram em 4º lugar.

Decide então fazer o mesmo que qualquer trambolho que acha que sabe cantar faz nos quatro cantos do mundo: começa a lançar músicas suas para o YouTube, na esperança que alguma discográfica note o seu trabalho. Até que em 2010 o pai lá lhe consegue lançar o álbum, depois de pagar a uma editora. As estatísticas dizem que este álbum esgotou em dois dias, mas todos sabem que isso é forjado. Só em 2015, quando lança Leva-me a Sério e conquista a Pitalhada portuguesa, é que alcança o sucesso.

Em 2016 lança a música Sem Make-up, que supostamente celebra a beleza das mulheres sem maquiagem, mas no videoclip aparecem todas as supostas gostosas de Portugal todas maquilhadas: Rita Pereira, Cláudia Vieira, Andreia Rodrigues, Ana Sofia Martins, Vanessa Oliveira, a sua miguxa Carolina Deslandes, Carolina Torres, São José Correia, a sua mãe Helena Isabel (para agradecer o patrocínio), Sílvia Rizzo, Carolina Patrocínio, Bárbara Guimarães entre outras subcelebridades. Aliás, toda essa música tem muito nexo: Ela é linda sem make-up, ela é perfeita, e quando se deita não precisa de make-up. Sim, porque para o Agir, aparentemente, as mulheres maquilham-se para ir dormir.

Também nesse ano lança a música Ela é Boa com o DJ Kamala, sucumbindo à moda do Kuduro e de Kizomba, que dominou o panorama português no Verão de 2015: alguém que diga ao Agir que em 2016 o que dominou foram os ritmos latinos. Talvez no Verão de 2017 venham o Agir misturado com reggaeton.

Discografia[editar]

2008: Do Amor : Álbum do seu pai Paulo de Carvalho[editar]

  • 01: O Meu Mundo Inteiro (feat. Agir) : É do mesmo gênero da música "Obrigada, mano" da Kátia Aveiro (irmã de Cristiano Ronaldo), mas desta vez é o Agir a pedir ao papá para lhe comprar a carreira, que está a ser difícil vingar sozinho no mundo da música

2010: Agir[editar]

Depois do pai puxar uns cordelinhos, lá consegue lançar o seu primeiro álbum, mas não tem grande sucesso.

2013: Alma Gémea - The Soul Sessions Experience (EP)[editar]

Agir tenta fazer um EP de Soul. Tenta, mas não consegue, que aquilo mais parecem músicas do Tony Carreira. Alias, não fosse nesta porra de álbum que está uma música com o Regula, Deixa-te de Merdas, e Esconder com Jimmy P. O suposto Soul só ficou no nome mesmo

Fazendo cosplay de Dementor de Azkaban.

2014: #AGiRISCOMING (Mixtape)[editar]

Já sem ideias para a sua música atingir a Pitalhada portuguesa, utiliza uma hashtag no título para dar numa de Justin Bieber e assim captar a atenção da pirralhada.

2015: Leva-me a Sério[editar]

Depois de perceber que o pai não lhe consegue comprar a carreira, vira-lhe para a mãe, atriz, que lhe estabelece contactos com a SIC, canal televisivo que o vai promover a todo o custo e espetar as músicas nas novelas da noite. Neste álbum que o campultou para a fama, saíram hits como Tempo é Dinheiro, Parte-me o Pescoço (azeite puro), Como ela é bela. O título deste álbum justifica-se porque o Agir está a pedir desesperadamente ao público português que o levem a sério. O que é bocado difícil.

Prêmios[editar]

Afiliados[editar]