A Feia Mais Bela

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para navegação Ir para pesquisar
Pelo visto a Televisa ficou com invejinha da RCN e decidiu fazer essa paródia fodida.

La fea más bella, ou A Feia Mais Bela no Brasil (que nome bosta!) é um remake bizarro de Yo Soy Betty, la Fea feita por mexicanos com invejinha da novela colombiana ter conseguido fazer mais sucesso no resto do mundo que quaisquer das atrocidades criadas por eles como A Usurpadora ou Maria do Bairro. Assim eles contrataram a diretora Rosy Ocampo, que exibiria no Canal de las Estrellas entre 23 de janeiro de 2006 a 25 de fevereiro de 2007, em 300 capítulos, essa atrocidade, que nem fora a primeira versão da novela colombiana (e nem a pior na real, ninguém imaginaria o que a indiana seria capaz de fazer...), mas conseguiu ser uma draga tão grande que só os fãs de novela mexicana que não largam o SBT por nada e que portanto nem conhecem a Betty a Feia original, só suas versões que passaram na TV do Homem do Baú como essa, Ugly Betty e Betty, a Feia em Nova Iorque, acham essa novela estupenda, já que até o público mexicano tem repulsa dessa tragédia.

Contou com os atores Angélica Vale (a atrocidade da vez), Jaime Camil, Elizabeth Álvarez, Patricia Navidad e Raúl Magaña, além de mais uns atores que só fazem mesmo participação pequena em novelas lá do México. Substituiu El amor no tiene precio e antecedeu Yo amo a Juan Querendón, duas novelas que ao menos só ficaram mesmo lá no México e ninguém jamais viu no Brasil.

Enredo copiado e colado na cara dura do artigo anterior, só que com leves alterações de enredo e comicidade bem lamentável e forçada e eu acho que essa seção tá gigantesca de nome...[editar]

A novela conta as desventuras de uma nerd que, como a maioria das minas nerds, de bonita não tem nem a beleza interior, a tal da Beatriz Pinzón Solano Letícia Padilha Solís - Lety (ao menos botaram um nome realmente de gente, invés de um trocadilho besta, como uma certa versão brasileira aí). Ela manjava pacas de economia, mas tava foda descolar emprego disso com a feiura dela somado a um tique bizarro nos olhos que ela tinha (primeira alteração sem sentido que essa desgraça de novela fez, mostrando o lado paródia forçada, parece até que a novela foi dirigida por Jason Friedberg e Aaron Seltzer...). Daí fez um teste pra entrar numa empresa de moda feminina chamada Ecomoda "Conceitos" (porra, mas que nome mais sem criatividade... pelo visto acho que né... faltou pensarem um pouco mais.). Então lá ela virou uma empregadinha qualquer, uma contínua de quinta, já que uma desgrama dessas não dava pra ser assistente do presidente bonitão (pras cegas que são fãs dessa novela, só pode) Armando Mendonza Fernando Mendiola, que é filho de um dos casais que fundou a empresa, e tá de noivado firme (ou quase firme, já que ele metia galha direto na noiva) com Marcela Valencia Marcia Villarroel, filha do outro casal que fundou a porra da empresa, e que vivia às turras com seu maninho Daniel Valencia seu "irmão com nome de mulher" Ariel Villarroel (não só o nome, o cara parece uma garotinha em corpo de menino...), que queria a todo custo ter a empresa só pra ele poder vender tudo e encher o cu de grana.

Apesar de atrapalhada pra cacete, Lety era nerd, lembram-se? Pois bem, um dia o Fernando descobre esse lado nerd dela e que ela manjava pacas das finanças da empresa - tão pacas que já percebia que o Fernando, pelo contrário, não entendia porra nenhuma disso e estava levando a empresa à falência. Daí eles planejaram, junto com o amiguxo do Fernando, Mario Calderón Omar Carvarral, a criação de uma empresa laranja no nome da Lety, que aos poucos já tinha virado a dona efetiva da Conceitos, que acabaria embargada e só poderia mesmo sobreviver de balanços financeiros tudo maquiados pra fingir que estava tudo bem. Sim, a história é exatamente a mesma que a da Betty, a Feia até aí, só que bem exagerada, bem cagada mesmo.

Essa situação logo levaria os amiguinhos a ficarem com medo de um dia a Lety tentar dar um olé em geral e tomar a empresa pra si. Aí veio o plano mais sacana do universo: tornar a Lety assistente direta do Fernando, ao mesmo tempo que ele iria virar amante dela. A princípio, como dá pra imaginar, o Fernandinho ficou foi desesperado com essa situação desgraçada, pra um cara que sempre passava a piroca em um monte de modelo, de repente ter de fazer o mesmo com uma aberração de circo... Só que do nada sei lá como aquele dragão foi conquistando o zé buceta, mas não deu tempo de levar a sério essa ideia de jerico: a Lety acabou descobrindo toda a tramoia e jogou a merda no ventilador, queimando o filme de geral com tudo e expondo a merda, fugindo da Cidade do México e indo pra Acapulco, já que se a turma do Chaves foi pra lá, é porque já tão acostumados com gente feia mesmo...

Mas ao chegar lá ela conseguiu graças a sua patroa nova uma puta cirurgia plástica promoção da Embeleze mexicana e fica um pitel, pintando até o cabelo de ruivo porque sabia que ruivas fazem os homens ficarem piradinhos da silva. Daí que rola a mudança mais insana da novela: invés da Lety voltar lá pra Conceitos simplesmente, ela também volta com dupla personalidade, já que assume duas identidades: a feiosa que todo mundo já sabe de cor, e uma tal de Aurora Mayer de Salinas, um mulherão da porra que deixou até teu pai, que odeia novela mexicana com razão piradinho por ela. Tá, onde isso se encaixa na parte do ser interessante ou engraçado não sei, mas a Televisa achou e jurou que estava...