Áustria

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
Ir para navegação Ir para pesquisar
Die im Reichsrat vertretenen Königreiche und Länder und die Länder der heiligen ungarischen Stephanskrone
Austrian Confederation of the Reich
Áustria
Bandeira da Áustria
Brasão de Armas da Áustria
Bandeira Brasão
Lema: Kein Mensch, kein Tier, ein rolle toilet papier
Hino nacional: Fur den Kaiser

Localização de Áustria

Capital Viela
Cidade mais populosa Fucking
Língua Alemão
Religião oficial Canguruísmo
Governo Nazismo
 - Führer Arnold Schwarzenegger
Heróis Nacionais Adolf Hitler
Área  
 - Total Indefinida km² 
 - Água (%) 0
Analfabetismo
População 20 milhões de cangurus 
PIB per Capita 857 900,00 
IDH 99 
Moeda marco alemão
Fuso horário Normal
Clima Frio
Website governamental www.germany.org


Cquote1.png Experimente também: Austrália Cquote2.png
Sugestão do Google para Áustria
Cquote1.svg Meus país Áustria-Hungria Cquote2.svg
Sr. Burns cantando o hino de sua nação
Cquote1.svg Seis unidades do Exército austríaco totalizavam 245.062 homens com 36.725 cavalos. A alimentação durante a marcha consumia uma ração diária de 800 toneladas de farinha e 200 cabeças de gado. Essa tropa foi comandada por homens que se notabilizaram nos anais da história militar austríaca por sua imbecilidade e incompetência Cquote2.svg
Crônicas do Exército austro-húngaro

Áustria é um pedaço desgarrado da Alemanha, visivelmente apenas um estado alemão mas que insiste em se manter independente, um país caracterizado por desejar ser subserviente a estrangeiros, se não para a Hungria, então para a Alemanha, ou então para a União Europeia como um todo. A nacionalidade austríaca, portanto, é algo que não existe de fato, pois carece de atributos básicos como uma língua própria, costumes próprios e território próprio. A capital da Áustria é Dreizehnlinden ("Treze Tílias", em português), na província de Santa Catarina Ocidental.

História[editar]

Crystal Clear app xmag.pngVer artigo principal: História da Áustria

Antiguidade[editar]

Os primeiros habitantes da Áustria foram uns bruxos irlandeses chamados celtas, reconhecidos por sua música com flautas e sanfonas, eram governados por um conchavo de druidas dos quais Gandalf era o líder em Österreich. Mas aquela paz bucólica foi quebrada pelas invasões romanas e sua superior tecnologia militar de catapultas. Ao longo da história não sobraram muitos resquícios dos povos célticos na Áustria pois os germânicos que chegaram depois tinham o passatempo de praticar ilusionismo, fazendo outros povos "desaparecerem". Aparentemente o povo austríaco sempre teve muito "gás" para essas atividades.

Como território integrante do Império romano todos os celtas, hunos, godos, lombardos e vândalos foram alfabetizados e ensinados a construir aquedutos, e agora que sabiam escrever não poderiam mais se considerar bárbaros celtas, hunos, godos, lombardos ou vândalos respectivamente.

Não era lá um território muito importante para os romanos, nenhuma cena de Spartacus acontece na região da atual Áustria, mas depois da primeira guerra os italianos fizeram questão de pegar metade do Tirol de volta para satisfazer o gosto de Berlusconi por loiras tesudas (é bom ressaltar que loiras tesudas é algo mais difícil de se encontrar no resto da Áustria onde só existem loiras raquíticas, e por isso os romanos nunca fizeram questão de ter a Áustria inteira).

Idade Média[editar]

A carência de alguma identidade nacional austríaca ficou clara na Batalha de Karánsebes de 1788 quando um exército de 10.000 austríacos atacou e matou 10.000 austríacos achando serem os inimigos. Nesse quadro está representado o momento em que uma infantaria de austriacos se disfarçam de turcos e atacam uma infantaria austríaca achando serem turcos vestidos de austríacos.

A primeira menção à palavra "Áustria" (Österreich) ocorre quando Carlos Magno durante a fundação do Sacro Império Romano-Germânico se refere às isoladas montanhas do leste como "duro como carne de avestruz" (hard as ostrich meat), no que a palavra "ostrich" acaba por se popularizar e se tornar o nome do país. Lembrando que os portugueses chamam o país de "Áustria" e não de "Osterraicho" devido à colonização australiana.

Com o desmantelamento do Sacro Império Romano-Germânico, o rei Oktoberfest da Boêmia abre a primeira filial de Habib's da Europa em Salzburg porque ele sempre gostou de kibes e não queria ficar viajando toda hora para o Líbano. A franquia do Habib's na Europa ficou conhecida como Habsburgo que governou o território da Áustria durante quase toda a Idade Média, sendo eles os responsáveis pela preservação, ampliação e popularização do Incesto dentre as famílias nobres europeias.

Apesar da família real não ter tanta variedade genética o mesmo não se podia dizer da população que era formada por um apanhado de uns 30 povos europeus. O problema de tanta multiculturalidade é que nas guerras era muito comum a Áustria atacar a si próprio achando ser o inimigo e isso sempre o enfraquecia.

Império Austro-Húngaro[editar]

Crystal Clear app xmag.pngVer artigo principal: Áustria-Hungria

Em 1867 a Áustria casou com a Hungria pois o imperador austríaco Francisco José I adorava as atrizes pornô húngaras, especialmente a Aletta Ocean e queria importar quantos filmes forem possíveis sem precisar pagar impostos. Ele não casou exatamente com uma atriz pornô, mas sim com Sissi, que apesar desse nome não era nenhuma atriz pornô, embora bem gostosa para os padrões de sua época.

O casamento do Imperador Francisco José da Áustria com a Imperatriz da Hungria (transmitido ao vivo por 400 canais de televisão ao redor do mundo) chocou a opinião pública e as revistas de fofoca. Este casamento é considerado o apogeu do Império Austro-húngaro conseguido graças ao fato da bela e carismática imperatriz ter seduzido os húngaros a ponto de fazê-los aceitar o pão de Viena e o Sachertorte como integrantes de seu café da manhã, algo até então inédito em decorrência da mania magiar em adicionar páprica em quase tudo. Imperatriz da Austrália, da Hungria e da Transilvânia, Sissi marcou uma época inesquecível e ainda hoje os turistas que visitam seus palácios podem comprar fotos, cartões postais, chocolates e filmes estrelados por ela mesma.

A infeliz vida da soberana - casada com um homem pouco viril e muito ocupado e quase sempre fingia estar doente para viajar para longe da sogra - terminou com o suicídio de seu filho Rodolfo e uma prostituta que trouxe para ela desgosto e vergonha até que Sissi foi esfaqueada por um anarquista italiano.

Sem Sissi para governar o império, a Áustria-Hungria ruiu rapidamente e durante os eventos da Primeira Guerra Mundial não sabia o que fazer, quem atacar ou quem apoiar, e assim a Áustria-Hungria acabou dizimada e desmantelada.

Áustria Alemã[editar]

Antes mesmo que a Áustria e a Hungria terminassem seu casamento, a Áustria já fazia suas tramas extraconjugais e implorava à Alemanha que se lembrasse de como a Áustria certa vez já foi a Alemanha e de que a Alemanha já foi Áustria. Mas a Alemanha estava fielmente casada com a Prússia e por muito tempo não dava ouvidos para a Áustria. Além disso, a Alemanha e a Áustria eram parentes consanguíneos e o mundo nunca aceitaria uma união tão incestuosa. Mas quando a Alemanha ficou viúva da Prússia, por dois anos aceitaram criar a Áustria Alemã (1918 e 1919).

Até houve Primeira República Austríaca depois de 1919. Como a Alemanha estava inteiramente falida a Áustria se separou e criou a sua própria república, que na prática serviu apenas para tampar aquela parte do mapa porque em termos de governo foi inexistente.

Só a Áustria sabe por que ela deixou isso acontecer, mas, aparentemente ela era uma república jovem, ingênua e facilmente influenciada por um grande e forte nação. A Alemanha Nazista nem mesmo pediu a mão da Áustria em casamento para concretizar a segunda união. Foi tudo feito no estilo de Las Vegas quando em 1938 lançaram o "Anschluss". Foram 8 anos apanhando sem parar até 1945 quando o seu marido, a Alemanha, morreu. A Áustria de alguma forma sobreviveu ao casamento abusivo, embora ela tenha demorado um pouco para se recuperar. A Áustria, aliás, se esqueceu da guerra (que guerra?)... Os austríacos também se esqueceram do casamento com a Alemanha (nazistas? Nós?)... A Áustria também esqueceu que Hitler discursou na praça em Viena (Hitler? Quem era ele?) e todos os cangurus que testemunharam essa época foram deportados para a Austrália.

Pós Segunda Guerra Mundial[editar]

No final, a Áustria havia perdido mais uma guerra, este não era seu forte mesmo, afinal atacar os outros usando violinos e trompetes não era muito efetivo quando o adversário tinha uma metralhadora. Era melhor para a Áustria voltar a compor música clássica do que guerrear. Entre 1945 a 1955 foi ocupada por Estados Unidos, Reino Unido, França e União Soviética. Esses quatro países não precisaram mais do que 10 anos para descobrirem que era melhor sair daquela terra inútil. E assim fizeram, foram embora.

Para evitar maiores humilhações, a Conferência de Potsdam estabeleceu que a Áustria ficaria neutra para sempre e que não teria mais seu território envolvido em guerras inúteis, para isso já existem Vietnã, Afeganistão e Ilhas Malvinas.

Eventos recentes[editar]

Depois da reconstrução do país, a Áustria se tornou uma democracia fantoche onde austríacos que querem realmente governar fazem isso em outros países, como exemplo Adolf Hitler e Arnold Schwarzenegger, os austríacos que ficam na Áustria são meros bonecos nacionalistas e precisam ser naturalmente muito nazistas para amar seu país inútil e derrotado da maneira que é.

População[editar]

Austríacos realizando mais uma de suas celebrações chatas.

Os austríacos são aversos à prática de sexo, mais especificamente os homens aversos à prática da paquera e flerte, por isso o país tem só 8 milhões de habitantes e não cresce. É, pelo menos, uma terra de gente carinhosa como Adolfinho e Conde Drácula, afinal, o país é conhecido internacionalmente pela mania de seus cidadãos homens em aprisionar mulheres durante anos consecutivos em seus sótãos já que não são nada bons em seduzir mulheres para formar com elas um par romântico consensual.

Os austríacos foram criados simplesmente pela mistura das nacionalidades que existiam historicamente em torno de Viena e por isso eles assimilaram as principais características desses vizinhos: Da crueldade e da insidiosidade turca, da arrogância dos húngaros, da covardia, da inveja e dos sobrenomes tchecos, da tolerância ao álcool dos russos, da ganância dos judeus e do inexistente senso de humor do alemão tradicional (por isso os austríacos até assumiram até seu idioma). Assim, os austríacos não podem ser considerados uma nação, mas sim uma etnia que por acaso tem um território montanhoso que calhou de sobrar para eles.

Essa mistura também explica a origem da burocracia maluca que se vê na Áustria. Quando a velha monarquia dos Habsburgos desmoronou a Tchecoslováquia herdou a indústria, a Hungria herdou a agricultura, a Croácia herdou o mar, a Transilvânia herdou a Romênia. Tudo o que restou para a Áustria foi o aparato burocrático. Por isso o país é cheio de placas de limitação de velocidade, há mais impostos que no Brasil, todas montanhas são conectadas com teleféricos, até o Danúbio foi endireitado para ter um leito mais reto e foi ordenado que todas as mulheres usassem um traje obsoleto de mau gosto chamado dirndl.

Política[editar]

Claro, poderíamos resumir que os políticos austríacos são preguiçosos e corruptos - mas isso também se aplica aos políticos de todos os outros países, é inerente ao cargo. Os representantes austríacos do povo, no entanto, têm sua própria maneira vergonhosa de manter os cidadãos felizes sem que uma revolução estoure. O princípio é mais ou menos assim: "Diga uma coisa e faça a outra. E depois apresente essas medidas de forma que muitos acreditem que tudo está sendo feito para o bem das pessoas". Os políticos na Áustria não mentem, eles só são impedidos de cumprir suas promessas devido a muitas circunstâncias. Como país parlamentar, o presidente serve pra nada, o chefe é o chanceler.

O Conselho Nacional possui 183 membros. O que essas pessoas fazem o dia todo no Parlamento é um mistério, mas existe uma TV Câmara da Áustria onde o povo pode acompanhar seus políticos numa mesa falando um monte de "assuntos importantes" enquanto alguns congressistas leem, dormem, falam ao telefone, mandam mensagens de texto, conversam entre si, assistem pornô no Zap ou fazem outras coisas para não pegar câncer de ouvido com essas divagações. De vez em quando, há protestos fora do Parlamento, mas sem brigas e sem quebradeiras, porque isso é coisa que os outros países fazem. Em algum momento, uma das partes proporá um projeto de lei que a outra parte rejeitará por semanas, até que ambas as partes negociam como melhor tornar a Áustria um país ainda mais submisso no cenário itnernacional. E por esses atos altruístas eles recebem uma média de 12.000 euros (bruto) por mês. Os cidadãos austríacos realmente agradecem.

O Conselho Federal tem 62 membros e estão lá para proteger os interesses dos estados federais. O que é realmente desnecessário, pois os estados austríacos fazem suas próprias leis e não precisam de ninguém defendendo os interesses deles. O Conselho Federal é menos importante do que o Conselho Nacional porque geralmente só tem o direito de objeção com efeito temporário e esse direito nunca é necessário porque o que exatamente é um "direito de objeção"? A única atribuição real do Conselho Federal é declarar guerra a outro país, mas a Áustria está proibida de declarar guerras desde 1955, então realmente servem pra nada.

Subdivisões[editar]

A Áustria subdivide-se em 8 estados sendo um dos poucos países do mundo cujos estados podem fazer o que quiser, afinal o país segue o laissez-faire (faz o que quiser). Por isso mesmo que o governo federal (Conselho Nacional) prescreva muitas leis (que na verdade todas vem de Bruxelas que aparentemente é a capital real da Áustria que não existe como país, mas sim como estado da União Europeia) os estados federais austríacos tendo a mesma oportunidade de legislar podem simplesmente negar as leis nacionais. Por isso em alguns estados fazer sexo com renas é permitido enquanto em outros a prática pode ser punida com pena de morte.


Economia[editar]

A Áustria tem sua economia baseada na produção de comida instantânea, trilha sonora de filmes eróticos e plantação de erva daninha. O país também se orgulha da sua suposta pujante indústria pois é na Áustria que se fabricam todas as peças para as montadoras alemãs fazerem seus carros Audi, Mercedes-Benz, BMW e Volkswagen‎, afinal, para que ter a sua própria marca de carro nacional? (ou você já ouviu falar de KTM e Magna Steyr?). Muitas vezes é visto como um marco para a indústria nacional quando um pequeno dispositivo feito na Áustria vai compor um foguete espacial nada austríaco.

E se tudo não ajudar a estar no topo na competição internacional, um velho truque é usado: o Banco Nacional da Áustria simplesmente ajusta para cima as expectativas de desempenho econômico e com essa medida os preços das ações das empresas nacionais sobem e a Bolsa de Valores de Viena fecha com saldo positivo. Essa prática defendida pelos internacionalmente reconhecidos excelentes economistas austríacos é chamada de bolha especulativa, e ela sempre vai estourar no governo seguinte, por isso sempre vale a pena executá-la em momentos de crise.

Turismo[editar]

Placa de advertência aos turistas.

A Áustria é a segunda opção para quem não foi rico o suficiente para visitar os Alpes na Suíça e agora precisam se contentar com o vizinho. O inverno austríaco atrai muitos europeus para as suas estações de esqui. onde a seleção natural elimina pessoas sem reflexo o suficiente, pois sempre tem acidentes graves e as pessoas continuam indo.

No verão o turismo aind aé presente, mas ele é feito mais nas cidades históricas e castelos. Visto que nenhum austríaco deve ser mencionado ou considerado importante caso ainda esteja vivo, visitar a Áustria é sempre uma experiência fúnebre sobre grandes personagens falecidos. Frases como "... o imperador [inserir nome] mandou construir este edifício..." , "... o(a) famoso(a) [insira o nome da mulher / nome do homem] viveu aqui ...", "... este memorial deve se referir ao [inserir evento que não importa] onde bravos austríacos morreram..." aparentemente devem inspirar os turistas. Sem contar que vale destacar a cidade de Fucking, um turista visitar a Áustria e não conhecer Fucking é porque está melhor fodendo num bordel em Viena.

Visitar antigas casas de compositores, maestros ou cantores também é bem comum. Mesmo que Wolfgang Amadeus Mozart tivesse deixado a sua cidade natal, Salzburg, de mau humor e insatisfeito, a casa onde nasceu em Getreidegasse ainda é uma atração. Isso também se aplica a Ludwig van Beethoven, cuja nona sinfonia é conhecida apenas pelo Hino da Europa e tenha ido embora da Áustria assim que pode, o fato dele ter uma residência em uma cidade da Baixa Áustria aparentemente é o bastante para turistas chineses invadirem o local para tirarem fotos.

Infraestrutura[editar]

Educação[editar]

Em 1775 a imperatriz austríaca Maria Teresa da Áustria percebeu que todos os austríacos eram burros, analfabetos e matutos sem instrução, por isso ela foi a primeira imperatriz da história a tornar o ensino obrigatório para crianças. Obviamente tal medida foi aceita com enorme insatisfação, quem trabalharia se estariam todos estudando aprendendo coisas inúteis como escrita, fórmula de Bhaskara e essas coisas que nunca usamos para a vida? Maria Teresa foi atacada e destronada. Infelizmente a história nos mostra que os vilões as vezes vencem, e hoje em dia o ensino é obrigatório para crianças em todo o mundo, e tudo começou na Áustria. Malditos. Bilhões de crianças tiveram sua infância roubada ao serem obrigadas a frequentar uma escola à revelia delas e dos pais.

As universidades da Áustria pelo menos ensinam coisas mais úteis, oferecendo diversos cursos de hotelaria e turismo aos formandos. Por ser um dos menores índices PISA da Europa, graças à alunos muito ocupados com Facebook, Counter-Strike, Twitter, militância vazia e smartphones, as universidades austríacas precisam colocar em seu currículo muitas coisas fnatasiosas, por isso surge a tão famosa Escola Austríaca, a escola mais famosa do mundo que não é respeitada em lugar algum.

Cultura[editar]

Duas austríacas vestindo o tradicional dirndl, uma roupa de camponesa que inspirou os vestidinhos de empregadas de sex shop.

A conexão histórica entre a Áustria e Alemanha tornam a definição do que seria a cultura austríaca uma discussão bastante acalorada inde muitos tem dificuldade em descrever uma identidade austríaca e não confundir com a identidade alemã. Nessa naálise até os debates sobre se Beethoven era austríaco ou alemão são acalorados. Embora muitas vezes se ouça a acusação do lado alemão de que a Áustria sofre de complexos de inferioridade e, portanto, nega os fatos que são claros como esperma de austríaco beta, a visão austríaca das coisas é que a opinião alemã é um lixo e os alemães - guiados pelo imperialismo prussiano - tentam dominar a tudo e a todos.

Para os austríacos o sentimento nacionalista existe desde o ano 976 quando a palavra Ostarrichi foi dita pela primeira vez. Para os alemães o sentimento nacionalista austríaco, entretanto, veio a surgir apenas em 1945 quando a covarde república alpina separou-se compulsoriamente do Reich alemão para não se sentir culpada. O mais impressionante, é que quando você passa pela fronteira da Áustria com a Alemanha, parece que você entrou em outra dimensão. Tudo é radicalmente diferente, o idioma, a arquitetura, as salsichas, os nazistas, aquela cara de germânico bobo, enfim. A Áustria estaria com a Alemanha, hoje, mas ela preferiu se unir com um país sem futuro, a Hungria.

No fim da discussão só há uma coisa a ser deduzida: A cultura austríaca é basicamente a mesma da Alemanha, a diferença é que na Áustria as salsichas são menores, eles falam algumas palavras usando biquinho de francês, tomam licor de chocolate ao invés de cerveja, são nazistas católicos, dançam valsas e ainda usam fiacres (consulte um dicionário para saber o que é "fiacre" pois aqui a Desciclopédia não vai explicar...).

Fora tudo isso, parece que a única prática cultural verdadeiramente austríaca é o fato dos seus homens serem quase todos incel. Essa inabilidade em conquistar seres humanos do sexo oposto impacta gravemente na baixíssima taxa de natalidade da Áustria, e uma prática cultural que acaba sendo muito praticada por alguns homens austríacos é essa estranha mania em trancar filhas ou namoradas por vários anos em seus sótãos, com alguns expoentes famosos dessa prática, como Josef Fritzl e Wolfgang Prikopil, fora os mais cautelosos que nunca foram descobertos até hoje.

Música[editar]

A cultura musical austríaca é formada por várias coisas totalmente atuais como piano, flauta, a flauta de Mozart, o piano do Steve Wonder, a peruca de Mozart e um jazz de 1900 e guaraná com rolha. Os livros são escritos por austríacos, mas a Alemanha que publica, então, Áustria é que nem Acre, ninguém lembra.

Culinária[editar]

A culinária austríaca é frequentemente equiparada à culinária vienense, o que não deixa de ser verdade, afinal Viena faz parte da Áustria. Para criar uma identidade gastronômica os austríacos apenas mudam o nome das refeições. É assim que o "porco assado" se torna o "tradicional pão de porco austríaco", o "Schnitzel" se torna o "Schnitzerl austríaco", um "frango grelhado" se torna o "Grillhenderl", um "ovo mexido" se torna "ovos à moda austríaca", e assim por diante.

Mas a principal especiaria da culinária austríaca sem dúvidas são bolas de Mozart, todo austríaco que se preze necessita chupar as bolas de Mozart pelo menos uma vez ao dia, sendo impossível não encontrar um austríaco que não adore chupar bolas de Mozart, a principal especiaria local.

Esportes[editar]

O austríaco está convencido de que faz parte de uma nação esportiva e possuem uma firme opinião de que os austríacos produzem um número incrível de atletas de ponta. Os esportes nacionais são combinado nórdico, ciclismo, e super trunfo. Mas o esporte não-olímpico mais praticado pelos austríacos são: sequestrar jovens meninas e mantê-las presas em porões por o maior tempo possível, arremessos de salsichas alemãs e contar as embaixadas austríacas ao redor do mundo.

Quanto à Áustria no futebol, pasme, eles são piores que o futebol brasileiro, já até perderam de 1x0 para a Ilhas Faroé e o seu campeonato nacional tem apenas 10 times e sempre é encerrado após 5 rodadas quando conhecemos o campeão antecipado.

Flag-map Áustria.png Áustria
HistóriaGeografiaDemografiaPolíticaSubdivisões
EconomiaMoedaTurismoCulturaBandeiraBrasãoHino
Europe.jpg
Europa
v d e h

Países: Albânia | Alemanha | Andorra | Armênia | Áustria | Azerbaijão | Bélgica | Bielorrússia | Bósnia e Herzegovina | Bulgária | Cazaquistão | Chipre | Croácia | Dinamarca | Eslováquia | Eslovênia | Espanha | Estônia | Finlândia | França | Geórgia | Grécia | Hungria | Irlanda | Islândia | Itália | Letônia | Liechtenstein | Lituânia | Luxemburgo | Macedônia do Norte | Malta | Moldávia | Mônaco | Montenegro | Noruega | Países Baixos | Polônia | Portugal | Reino Unido (Escócia - Inglaterra - Irlanda do Norte - País de Gales) | Romênia | Rússia | San Marino | Sérvia | Suécia | Suíça | Tchéquia | Turquia | Ucrânia | Vaticano

Territórios: Abecásia | Açores | Akrotiri e Dhekelia | Åland | Chipre do Norte | Crimeia | Gibraltar | Ilhas Canárias | Ilhas do Canal | Ilhas Faroé | Ilha da Madeira | Ilha de Man | Jan Mayen | Kosovo | Ossétia do Sul | País Basco | República de Artsaque | Svalbard | Transnístria

Flag of OCDE.jpg
Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico
v d e h

Países membros: AlemanhaAustráliaÁustriaBélgicaCanadáChileCoreia do SulDinamarcaEslováquiaEspanhaEstados UnidosFinlândiaFrançaGréciaHungriaIrlandaIslândiaItáliaJapãoLuxemburgoMéxicoNoruegaNova ZelândiaPaíses BaixosPolôniaPortugalReino UnidoSuéciaSuíçaTchéquiaTurquia