Kyuukyoku Shinka shita Full Dive RPG ga Genjitsu yori mo Kusoge Dattara

Origem: Desciclopédia, a enciclopédia livre de conteúdo.
(dif) ← Edição anterior | ver versão atual (dif) | Versão posterior → (dif)
Ir para navegação Ir para pesquisar
Full Dido
究極進化したフルダイブRPGが現実よりもクソゲーだったら
Full Dive.jpg
Cquote1.svg Que merda, hein... Cquote2.svg
Gênero perda de tempo
Mangá
Autor Light Tuchihi
Divulgação Monthly Comic Alive
Onde sai Aonde sua mãe roda a bolsinha
Primeira publicação 2020-21
N° de volumes 5 litros
Anime
Dirigido por Kazuya Miura
Estúdio ENGI
Onde passa República das Bananas
Primeira exibição 2021
N° de episódios 12 episódios
Filmes Graças a Deus não tem
OVAs Zero

Kyuukyoku Shinka shita Full Dive RPG ga Genjitsu yori mo Kusoge Dattar, também desconhecido pelo nome de Full Dive, é mais um anime genérico de quase putaria, isso porque olhando pra a imagem de algumas de suas personagens era provavel que ele se tratava de mais um lixo de ecchi, talvez até seja, porém como diria o Drauzio Varíola: Cquote1.svg É verdade, quer dizer, às vezes não Cquote2.svg. Portanto, está muito mais para um anime genérico com um protagonista gritalhão e burro que só a gota serena...

Enredo[editar]

O miserável do anime conta a miserável história de um miserável que miseravelmente se chamava de modo miserável Hiroshi Yuki. Essa praga humanoide levava uma vida até de certo modo razoável, competindo competições de corrida, até que num belo dia o trouxa se escorregou no chão no meio da competição e se mijou de medo, e desde esse dia ele foi ridicularizado pelos seus colegas, instrutores e até mesmo a sua irmã mais nova, perdendo assim a chance de protagonizar não um anime meia boca, e sim um hentai incestuoso. Desde então Yuki, cujo nome lembra o nome da marca de pipoca Yoki, passou a jogar jogos de RPG superealísticos, tais como os de Sword Art Online, retirando a parte onde os jovens ficavam presos nele e teriam de lutar até a morte, obviamente, ou não...

Num belo dia, bem mais belo do que o cantor Belo, por sinal, ele decide ir comprar o octogésimo-sexta edição de um RPG pornográfico que ele era tanto , porém por ser um mendigo e viver sendo extorquido e roubado pelos valentões do colégio, ele fica sem grana pra comprar o original, e decide ir numa loja de jogos pirateados do Paraguai, onde é enganado pela vendedora sexy, e termina comprando um RPG falido e lixoso, por motivo nenhum, visto que ele poderia muito bem recusar, chamar a polícia por ela não aceitar devolver o dinheiro, porém como o anime não iria existir dessa maneira, e a losna do roteirista não pensou em nada melhor para fazer o protagonista entrar nesse RPG podre, ele acaba por fim ficando com o jogo, e dá uma chance pra ele.

Contudo a atuação dele no jogo é uma desgraça, visto que o game é o Dark Souls dos RPG modernos dos animes, e somente um único otário conseguiu ser burro o suficiente para ir até o final. Basicamente, Yuki mata o seu melhor amigo logo no começo do jogo, sem querer, deixa sua melhor amiga ensandecida, foge, é atacado, toma no cu, é entregado aos guardas do reino por um mendigo trouxa, vai parar na prisão de ventre, é atacado pelo fantasma do amigo, é torturado e se mija todinho no final disso tudo. Depois desse tanto de porcaria, obviamente até um lixo humano como o Yuki decide desistir de jogar essa desgraça, porém, de forma burra, acaba sendo chantageado pela mesma vendedora sexy peituda, e de uma forma vergonhosa, volta pro game numa tentativa de tentar ser alguém nele.

Ele de fato até tenta ser alguém nesse jogo, faz as pazes com o fantasma do seu amigo morto, faz as pazes com a sua torturadora sadomasoquista, quase que faz as pazes com a sua amiga amiga, ele entra para o exército para ajudar o rei Tesla contra os goblins (sim, goblins, pois o autor desse anime não tinha criatividade o suficiente para pensar numa criatura mística original ou menos clichê pro seu mundo de RPG e colocou esse verdinhos sebosos de qualquer jeito). Porém ai é que está o pequeno (dá nem pra chamar de grande) plot-twist do anime: os goblins não são burros e nem odeiam os humanos, pelo contrário, os humanos que usam eles para não deixar ninguém sair e nem entrar daquela cidade, e quem descobre esse mistério deverá ser morto. E é isso o que acontece com o nosso protagonista, que de tão ruim nem pra ser protagonista de shounen tipo Black Clover ou Re:Zero ele serve, ele morre pro rei, visto que o maluco era um inútil o anime inteiro.

E dessa maneira o jogo e o seu console explodem, porém ele descobre um código que pode restaurar o seu jogo quebrado, e é isso o que ele irá tentar fazer para poder derrotar o rei maligno Tesla, visto que sequer o anime explorou a porcaria do enredo do RPG, já que somente nos primeiros 3 episódios esse maluco só fez fugir da sua ex-melhor amiga. Porém é pouco provável que venhamos a vê-lo fazendo isso, pois só numa segunda temporada isso seria possível, algo que por sua vez, é muito pouco possível de acontecer...

Personagens[editar]

Tá olhando aonde?
  • Hiroshi Yūki: É, como é possível notar, o protagonista desse lixo animado de origem do quinto dos infernos do Japão. O pimpolho até que aparentava ser um pouquinho menos perturbado quando comparado com os outros protagonistas loosers dos animes (tais como o do já citado Re:Zero), porém ele não se difere em nada quanto a eles, talvez seja somente um pouquinho menos tarado, até porque esse anime é uma pegadinha e tem muito menos apelação sexual do que quando comparado com os outros...
  • Reona Kisaragi: Talvez o único motivo que tenha feito com que muitos jumentos desembestados tenham perco seus respectivos tempos com essa desgraça de anime. Reona é uma atendente de uma loja de games, e que por algum motivo escolhe Hiroshi (ou ele simplesmente tenha vindo a calhar no momento por ter sido quem tinha aparecido na hora, além de não badernar nem xiar por ter sido enganado por ela) para ajuda-la a zerar o jogo, porém ela não é uma jogadora dele, e sim uma fadinha sensual que fica voando pra lá e pra cá com os seus airbags, sem nenhum fan service de muito importante, além de ter uma personalidade irritante e viver zoando com a cara do protagonista. Ou seja, um completo desperdício de tempo.
  • Alicia: Ela, além de não existir, é uma NPC do jogo que era a melhor amiga de infância do personagem do Hiroshi no jogo, obviamente que somente dentro do jogo. Contudo, como pôde perceber, eu utilizei o passado imperfeito para o verbo "ser", visto que o imbecil do guri, ao invés de compreender que o jogo é altamente realista, trata mal os personagens por eles serem apenas um amontoado de pixels, e acaba acidentalmente matando o seu irmão Martinho, deixando-a puta da vida, não no sentido de prostituição, e sim no sentido dela virar um capeta e perseguir até a morte o guri. Porém, Yuki admite seus erros, pede desculpas e os dois voltam a serem amigos... ou não, visto que ela se sacrifica para salvar a vida de seu amado, para depois ele morrer da mesma maneira...
  • Martin: Martinho era o melhor amigo e irmão mais velho do Yuki virtual, e mesmo assim ele acaba morrendo pro seu próprio melhor amigo, e assim passa a assombra-lo até o idiota refazer a amizade. Martin até tenta salva-lo, assombrando sua espada (não pense em besteira) e assim ajudando-o contra Tesla, mas como nós, ou no caso eu, estou falando de ninguém mais e ninguém do que o incrível Hiroshi Yūki, é óbvio que tudo isso seria em vão.
  • Mizarisa: Uma torturadora sadomasoquista que por algum motivo aleatório se apaixonou pelo cheiro de mijo das calças de Hiroshi, após o mesmo se mijar todo de medo do enorme sei lá o que que ela usava como arma, mas que de fato era cheio de pontas e parte cortantes. Ela não acrescenta nada ao enredo, literalmente nada, pois ao menos a Reona, por mais inútil que fosse, ainda nos acrescentava uma bela visão a ser apreciada, já essa rapariga não nos acrescenta nada além de um terreno áspero e seco...
  • Tesla: É somente um rei que paga de bonzinho, porém é maligno e usa os goblins como fonte para prender e espantar o cidadãos da cidade. Ele é deveras forte, usa eletricidade que saem do fundo do cu dele, o que daria um bom chefão em Dark Souls, bem com cara de metrossexual, algo que destoa dos monstrengos do jogo, mas ainda daria uma boa luta, ou talvez nem isso...